26.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 24, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesGreen Deal: Brasil pode certificar a origem dos produtos agropecuários

Green Deal: Brasil pode certificar a origem dos produtos agropecuários

Andav assinou acordo de cooperação com o estado de Tocantins, durante a realização do Congresso Andav 2023, que trouxe informações sobre inclusão, diversidade e tecnologia

O Brasil terá que se adaptar às imposições da Lei de Antidesmatamento, no âmbito do Green Deal Europeu, que entrou em vigor no final de junho. Mas, o país tem a oportunidade de transformar esse desafio em geração de valor para as sete cadeias produtivas que são o escopo dessa lei – soja, café, cacau, madeira, óleo de palma, borracha e carne bovina/couro. “Podemos realizar a certificação da origem desses produtos e torna-los grife de produção sustentável em todo o mundo”, destacou Samanta Pineda, advogada especialista em Direito Socioambiental da Pineda & Kranh Advogados, durante o Fórum Green Deal: As Implicações do Pacto Verde Europeu ao Brasil¸ realizado no Congresso Andav 2023, em parceria com a Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG). O evento é uma realização da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (Andav), organizado pela Zest Eventos.

Créditos: Divulgação

Sueme Mori, diretora de Relações Internacionais da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), ponderou que “infelizmente, não nos posicionamos em tempo para influenciar essa legislação. O setor está preocupado, mesmo assim, do ponto de vista comercial, as nossas empresas cumprirão as determinações da lei”.

Para Mori, essa legislação pode ser utilizada para antecipar argumentações com outros parceiros comerciais que estão planejando implementar políticas relacionadas às cadeias de suprimentos livres de desmatamento. “Os Estados Unidos trouxeram um estudo, que traz ponderações pragmáticas dos impactos para os americanos e para o governo com a aprovação desse tipo de lei. Enquanto a China já iniciou uma discussão sobre esse assunto”.

Nesse sentido, Pineda ressaltou a importância de dados oficiais sobre desmatamento e práticas ambientais. “O Cadastro Ambiental Rural (CAR) fez a diferença, ao comprovar que 66% da vegetação nativa brasileira está preservada e, desse total, 20% está dentro das propriedades rurais”, exemplificou. “Com isso, conseguimos participar da formatação desse tipo de legislação”.

Moderado por Luiz Carlos Corrêa Carvalho, presidente da ABAG, o Fórum contou com a participação de Ingo Plöger, vice-presidente da ABAG, que recordou a história do Green Deal e avaliou que a legislação é adequada ao clima temperado, mas não considera a realidade do clima tropical. Exemplo dessa divergência está no uso de defensivos agrícolas, uma vez que na Europa há uma safra, enquanto no Brasil é possível ter até três safras. “Nossa aplicação por hectare é muito maior. Se o denominador fosse o total de área produzida, seríamos campeões no manejo”, detalha Plöger.

Ele ponderou que a legislação europeia pode encarecer os produtos vendidos naquele continente, e que o consumidor europeu vai questionar a diferenciação de preço no bloco em relação a outros países. Sobre a assinatura do acordo entre Mercosul e União Europeia (EU), Plöger mencionou que a UE não atingirá suas metas climáticas, por isso precisará abrir seus mercados nos segmentos energético e alimentar. “Os países ou blocos que já tiverem acordos comerciais terão preferência”, enfatizou.

Andav assina acordo de cooperação com Tocantins

O presidente executivo da Andav, Paulo Tiburcio, e o vice-presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), Lenito Abreu, assinaram nesta quarta-feira (09/08) acordo de cooperação para troca de conhecimentos que garantam boas práticas agrícolas. A parceria, que inclui um plano anual de ações, é renovada a cada cinco anos, e deve estender melhorias a todo o segmento no estado.

Sistema de crédito vê confiabilidade no mercado de distribuidores 

Os distribuidores de produtos agropecuários já contam com ferramentas financeiras e de crédito para suas necessidades e são vistos de maneira diferenciada pelos bancos e pelo mercado de capitais. O assessor especial do MAPA, José Ângelo Mazzilo, atribui esse cenário à própria posição conquistada pelo setor como atividade rentável, com riscos mitigáveis, com escala e com perspectivas favoráveis. E apontou, durante o Congresso Andav 2023, a Cédula do Produto Rural (CPR) como principal opção, e cita alternativas como LCA, CDCA e CRA. 

Moacir Teixeira, sócio executivo da Ecoagro, contou que o segredo é respeitar as características do cliente conhecendo as rotinas da produção. Matheus Licarião, chefe de Renda Fixa do Santander, disse que o banco vem registrando crescimento de 30% ao ano em operações dedicadas ao agro.  

Para o CEO da Agromatic, Laerte Alves Júnior, o ingresso no mercado de capitais é resultado da melhoria da governança, o que abre novas portas do crédito. E David Télio, diretor de novas Estruturas Financeiras da TerraMagna, avaliou que o distribuidor pode alargar o olhar e o conhecimento sobre as formas de financiamento, qualificando seus ativos. 

Cinturão Tropical será a base para segurança alimentar

A agricultura brasileira cresce baseada em ciência e é assim que o Brasil está cumprindo sua missão de alimentar o Planeta. Em sua apresentação sobre Tecnologia e Inovação na Distribuição de Insumos em prol da produção sustentável, no Congresso Andav 2023, a assessora da presidência da Embrapa, Sibelle de Andrade Silva, falou da lacuna de conectividade vivida pelo Brasil.

O recente estudo da FAO mostra que quanto maior o acesso à tecnologia maior é a aproximação entre áreas urbanas e rurais, repercutindo na eficiência da distribuição de insumos.  Para a Embrapa, o desafio para o combate à fome à insegurança alimentar está no Cinturão Tropical, no centro-oeste brasileiro, que responde com maior produtividade em menor área de plantio.

Inclusão e Diversidade

O dia encerrou em altíssimo nível, com uma conversa de suma importância sobre diversidade, respeito e inclusão. Catharina Pires, diretora de assuntos corporativos LATAM da Nutrien, e Priscila Favaretto, gerente de desenvolvimento da Adagro, entrevistaram Guilherme Bara, sócio-consultor da MAC Consultoria em Diversidade, que comentou que a diversidade e a inclusão estão sempre juntas, porém tem significados diferentes.

A diversidade é expressada em números, enquanto a inclusão é a qualidade das relações e dos acessos. “A presença e o convívio com as pessoas que aceleram o processo e o aprendizado para a inclusão”. Tratou ainda da diferença entre valorizar e respeitar, sendo o primeiro ligado à intenção, enquanto o segundo conceito é relacionado à obrigação. Sobre pessoas com deficiência, informou que é preciso ter uma abordagem pragmática do tema, com foco na solução. “Pergunte para a pessoa com deficiência, que ela vai te dar a solução”.

Priscila Favaretto, gerente de Desenvolvimento da Adagro, abordou sobre a inclusão das mulheres no agro e ponderou sobre o ambiente de complementaridade, no qual as pessoas se unem para somar esforços. “A diversidade agrega valor ao negócio e traz lucratividade”, pontuou.

Lançamento do Guia do Produtor Rural: Em dia com a legislação socioambiental

Durante a Plenária do Congresso Andav 2023, a Nutrien, em parceria com a Andav, Produzindo Certo e a Serasa Experian, lançou o Guia do Produtor Rural: Em dia com a legislação socioambiental. “O Brasil tem uma das legislações ambientais e sociais mais avançadas do mundo. Com o intuito de levar conhecimento para toda a cadeia, publicamos essa cartilha socioambiental para o produtor rural. No material estão as principais dificuldades em relação à legislação socioambiental e trabalhista, redigidas em uma linguagem acessível, para que os produtores possam superar esses desafios e seguir o caminho da conformidade socioambiental. Vamos avançar sem deixar ninguém para trás”, disse Catharina Pires, diretora de Assuntos Corporativos LATAM da Nutrien.

A Plenária do Congresso Andav 2023 conta com cerca de quinze eventos de conteúdo, entre painéis, palestras, fórum e talk show, que contarão com a participação de mais de 40 especialistas dos setores do agro, economia, finanças, direito, agronomia, pesquisa, marketing e comunicação, entre autoridades governamentais, CEOs, proprietários e diretores de empresas, presidentes e representantes de entidades setoriais, professores e doutores da academia, economistas, advogados, jornalistas e produtores rurais.

O Congresso Andav 2023 é o principal ponto de encontro do mercado de Distribuição de Insumos Agropecuários no Brasil. A edição deste ano reunindo mais de 160 marcas nacionais e internacionais, e deve receber mais de 10 mil profissionais do setor, que estão conhecendo novos produtos e serviços, que contribuirão para ampliar o fortalecimento e sustentabilidade das empresas da Distribuição de Insumos Agropecuários, que são responsáveis por levar ao campo produtos, boas práticas, tecnologias e inovação.

ARTIGOS RELACIONADOS

Bayer anuncia mudanças na equipe da divisão agrícola para o Brasil e América Latina

Divisão tem novos executivos nas lideranças de Marketing de Clientes e Sustentabilidade.

O que esperar de 2021?

Depois do que o mundo atravessou no ano passado com a Covid-19, que infelizmente segue ...

Agrigento

Agrigento Fertilizantes é uma empresa multinacional pertencente à FertiGlobal, empresa de origem ...

Rehagro firma parceria com a Unión Agronegócio

Empresas se unem com o objetivo de atender as necessidades de produtores da agroindústria boliviana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!