26.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 17, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosIrrigação automatizada: a revolução da horticultura

Irrigação automatizada: a revolução da horticultura

Na horticultura, essa tecnologia tem se mostrado uma verdadeira revolução, permitindo o cultivo em áreas de clima desfavorável e aumentando a produtividade das plantações.

Glaucio da Cruz Genuncio
Doutor em Nutrição Mineral de Plantas e professor de Fisiologia Vegetal e Fruticultura Tropical – Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
glauciogenuncio@gmail.com

A automação na irrigação permeia o uso de tecnologia para avaliação do potencial hídrico do solo. Assim, a tensiometria é a principal técnica a ser aplicada.

O conhecimento de valores adequados para cada estádio de desenvolvimento da cultura é de extrema importância para a programação da automação e, consequentemente, aplicação da água via irrigação.

Obviamente, a aplicação associada de conceitos como Kpa da cultura e utilização do tanque classe A, dentre outros, sempre servirá de base para a tomada de decisões quanto ao manejo da irrigação na horticultura.

Lembrando que o sistema exige técnica operacional e, assim, conhecimento específico do operador para a tomada de decisão. Portanto, o treinamento de mão de obra operacional é fundamental. Ainda me arrisco a afirmar que a automação não será a solução da melhoria da eficiência do uso da água, caso o operador não saiba operar a tecnologia adquirida.

A medição do potencial hídrico do solo e a aplicação de água em função deste monitoramento é, de forma geral, a melhor tecnologia a ser destacada como revolução da horticultura.

Benefícios da irrigação automatizada

A automação proporciona uma eficiência do uso de água às plantas hortícolas. Ao se operar um sistema de irrigação de forma manual (com o uso de temporizadores, lisímetros, dentre outros) aumenta-se a margem de erro, caso este sistema não tenha cálculos no manejo de irrigação feitos por profissionais especializados na área.

A água é o fator que mais restringe a produção, produtividade e qualidade de frutos, seguida do nitrogênio. Com isso, o uso adequado deste recurso finito e essencial é fundamental para o atendimento da demanda de água nas diversas fases de crescimento e desenvolvimento.

Hortaliças frutíferas, como tomate, pimentão, pepino japonês, pimenta e fruticultura, de forma geral, como banana, mamão, maracujá, dentre outras, são beneficiadas pela irrigação automatizada.

Custo envolvido

Atualmente, o investimento em um sistema de irrigação automatizado, associado à fertirrigação, pode chegar entre R$ 28.000 a R$ 35.000,00 o hectare, com depreciação variando entre cinco e 20 anos, dependendo do equipamento avaliado e do sistema de irrigação (gotejo, microaspersão e aspersão).

Porém, o custo-benefício é ampliado quando se avalia aumento da produção, produtividade e qualidade de fruto. Assim, quando observamos a produção de maracujá no Brasil, que pode variar de 9,0 a 30 t ha-1, com calibres diferenciados, pode-se considerar que o manejo da irrigação é um fator de melhoria na produtividade.

Deve-se considerar, assim, que o manejo de irrigação é uma variável do sistema de produção, englobando a escolha adequada de genótipo (híbridos), manejo nutricional, manejo fitossanitário, monitoramento ambiental, eficiência de colheita e pós-colheita.

Em função do abordado, pode-se garantir que a automação é uma variável a ser considerada na escolha de um sistema de irrigação para a melhoria da horticultura brasileira.

ARTIGOS RELACIONADOS

Tecnologia digital – O futuro chega ao campo

Estamos vivendo uma nova revolução de valores e de requisitos para a sustentabilidade. O Agro 4.0 já é realidade nos ecossistemas de inovação e em parte do agronegócio, com franca expansão no Brasil. Neste cenário, a tecnologia digital é essencial, tanto para o monitoramento no campo como no aproveitamento das informações (Big Data) para a tomada de decisões com suporte em ampla base de conhecimento (data analysis), no funcionamento de equipamentos e implementos inteligentes (IoT + IA) e no tratamento de imagens coletadas e transmitidas em tempo real (5G).

Critérios para um cultivo bem-sucedido de maracujá

A qualidade da muda é fator primordial para a obtenção de altas produtividades. O maracujazeiro pode ser propagado por sementes, estaquia e enxertia. A produção comercial no Brasil é feita basicamente com mudas propagadas por sementes. São utilizados dois processos: em sacolas plásticas ou em tubetes. Atualmente temos disponíveis no mercado cultivares desenvolvidas pelo Instituto Agronômico, Embrapa e Viveiro Flora Brasil.

Técnicas de irrigação possibilitam a produção de açaí na entressafra

O Pará entrará no período de safra do açaí (Euterpe oleracea) em julho e irá até dezembro. Mas é na entressafra " de janeiro...

Como reduzir em até 3x o consumo de água

Andrés da Silva Engenheiro agrícola, M.Sc. e consultor EACEA " Soluções em Cultivo Protegido contato@eacea.com.br   A estiagem que afetou o Brasil e, em particular, o Estado de...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!