23.7 C
Uberlândia
quinta-feira, fevereiro 29, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosIrrigação por gotejamento em uvas viníferas

Irrigação por gotejamento em uvas viníferas

A irrigação por gotejamento nas vinhas não é apenas uma técnica, é a sinfonia silenciosa que nutre cada cacho, elevando a produção de uvas viníferas a uma obra-prima.

Sinara de N. Santana Brito
Engenheira agrônoma e mestranda em Agronomia/Horticultura – Universidade Estadual Paulista (UNESP)
sinara.santana@unesp.br
Harleson Sidney Almeida Monteiro
Engenheiro agrônomo, especialista em Fitotecnia e Fertilidade, manejo de solos e nutrição de plantas e mestrando em Agronomia/Horticultura – UNESP
harleson.sa.monteiro@unesp.br
Antonia B. da Silva Bronze
Doutora em Ciências Agrárias, pró-reitora de Extensão e professora de Fruticultura e Olericultura – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
antonia.silva@ufra.edu.br

Crédito: Netafim

A irrigação por gotejamento é uma prática essencial na produção de uvas viníferas, desempenhando um papel crucial no manejo hídrico para otimizar o desenvolvimento da cultura.
A escolha deste método de irrigação está fundamentada em sua eficiência no fornecimento controlado e direcionado de água às plantas, promovendo o uso racional desse recurso e maximizando os benefícios para o cultivo de uvas viníferas.

Direto ao ponto

No contexto da viticultura, a irrigação por gotejamento oferece uma série de vantagens específicas. A distribuição precisa da água próximo às raízes das plantas permite uma absorção eficiente, reduzindo o desperdício e minimizando a competição entre as plantas.
Além disso, a aplicação gradual da água contribui para a prevenção de doenças relacionadas à umidade excessiva, proporcionando um ambiente mais saudável para o desenvolvimento das uvas.
Ao considerar a variabilidade dos porta-enxertos utilizados na produção de uvas viníferas, a irrigação por gotejamento torna-se uma ferramenta valiosa para adaptar a oferta hídrica às necessidades específicas de cada cultivar.
A capacidade de ajustar a quantidade de água fornecida, juntamente com a possibilidade de incorporar nutrientes diretamente no sistema de irrigação, permite um manejo personalizado e otimizado para diferentes porta-enxertos, maximizando seu potencial produtivo.

Irrigação estratégica

A irrigação por gotejamento em uvas viníferas não apenas atende às demandas hídricas das plantas, mas também representa uma estratégia integrada para a gestão sustentável da produção, conciliando eficiência no uso da água, manejo personalizado conforme o porta-enxerto e a promoção de condições ideais para o desenvolvimento qualitativo das uvas.

Figura 1. Benefícios da irrigação por gotejamento para as videiras viníferas.
Autor: Harleson Monteiro, 2023.

Economia de água

O gotejamento fornece água diretamente à zona radicular, reduzindo as perdas por evaporação e lixiviação. Isso resulta em uma utilização mais eficiente da água, sendo particularmente importante em regiões com disponibilidade hídrica limitada.
A irrigação por gotejamento permite, ainda, um controle preciso da quantidade de água fornecida às uvas viníferas. Essa precisão é crucial, pois diferentes estágios de crescimento e tipos de solo demandam variações na oferta hídrica, sendo possível adaptar o sistema de irrigação conforme as necessidades específicas de cada planta.
Ao manter as folhas e os cachos secos, o gotejamento minimiza as condições favoráveis para o desenvolvimento de doenças fúngicas e bacterianas. Além disso, a aplicação direcionada de água contribui para a prevenção de problemas relacionados à umidade excessiva, como o desenvolvimento de fungos.
A irrigação localizada promove, ainda, um ambiente controlado, permitindo ajustes precisos na oferta de água e nutrientes. Isso influencia diretamente na qualidade das uvas viníferas, contribuindo para características sensoriais desejáveis, como o teor de açúcares, acidez e aromas.

Manejo personalizado para porta-enxertos

A flexibilidade do sistema de gotejamento possibilita a adaptação do manejo hídrico de acordo com os diferentes porta-enxertos utilizados. Cada porta-enxerto pode ter necessidades específicas, e a irrigação localizada permite ajustes personalizados para otimizar o desenvolvimento das plantas.
A aplicação controlada de água reduz a erosão do solo e minimiza a compactação, contribuindo para a preservação da estrutura do solo e evitando impactos negativos no sistema radicular das uvas.
Em resumo, a irrigação localizada por gotejamento emerge como uma prática fundamental no cultivo de uvas viníferas, proporcionando benefícios econômicos, ambientais e de qualidade do produto final.
O seu uso estratégico, aliado ao conhecimento sobre as características específicas dos porta-enxertos, amplia o potencial de sucesso na produção de uvas de alta qualidade.

Demandas nutricionais

As videiras têm demandas específicas de nutrientes ao longo de seu ciclo de crescimento, e uma gestão adequada desses elementos é crucial para promover um desenvolvimento saudável, a produção de uvas de qualidade e a sustentabilidade da vinha.
A Figura 2, destaca os principais nutrientes demandados pelas videiras, durante o seu ciclo de desenvolvimento e de produção.

Figura 2. Principais nutrientes demandados pelas videiras.
Autor: Harleson Monteiro, 2023.
  1. Nitrogênio (N): essencial para o crescimento vegetativo da videira, o nitrogênio é um componente vital dos aminoácidos e proteínas. Durante a fase de crescimento vegetativo, as videiras necessitam de quantidades significativas de nitrogênio para o desenvolvimento das folhas, ramos e raízes.
  2. Fósforo (P): importante para a formação de flores, frutos e raízes, o fósforo desempenha um papel fundamental na reprodução e no desenvolvimento radicular. A sua presença é crucial durante períodos de floração e frutificação.
  3. Potássio (K): o potássio é essencial para a regulação osmótica, resistência a doenças e qualidade dos frutos. É particularmente importante durante a fase de maturação das uvas, influenciando diretamente a concentração de açúcares e ácidos nas bagas.
  4. Cálcio (Ca) e 5. Magnésio (Mg): ambos são importantes para a integridade estrutural das células e o desenvolvimento geral das plantas. O cálcio desempenha um papel crucial na formação da parede celular, enquanto o magnésio é um componente central da clorofila.
  5. Enxofre (S): fundamental para a síntese de aminoácidos e proteínas, o enxofre é essencial para o desenvolvimento das plantas. Sua presença é especialmente crucial durante períodos de crescimento rápido.
    A fertirrigação tem papel importante no desenvolvimento das videiras, no sistema de irrigação por gotejamento, pois os nutrientes podem ser incorporados diretamente na água de irrigação.
    Isso possibilita uma dosagem precisa dos nutrientes, atendendo às necessidades específicas das videiras em diferentes estágios de crescimento, sendo uma ferramenta valiosa para otimizar a oferta de nutrientes às videiras, contribuindo para um manejo eficiente e sustentável.
    Ao integrar práticas de fertirrigação e personalizar o fornecimento de água e nutrientes, os produtores podem promover um crescimento saudável das videiras e maximizar a qualidade das uvas produzidas.
Crédito: Netafim

A implementação da irrigação por gotejamento no cultivo de uvas viníferas oferece diversos benefícios, mas também apresenta alguns desafios práticos que os produtores precisam enfrentar para garantir o sucesso do sistema. Alguns desses desafios incluem:

  1. Custo inicial elevado: A instalação de um sistema de irrigação por gotejamento requer um investimento inicial significativo em termos de materiais, equipamentos e infraestrutura. Para muitos produtores, especialmente aqueles em regiões com recursos financeiros limitados, o custo inicial pode ser um desafio considerável.
  2. Manutenção e entupimentos: Os sistemas de gotejamento estão suscetíveis a entupimentos devido à presença de partículas suspensas na água, como sedimentos e minerais. A manutenção regular é crucial para prevenir entupimentos nos emissores e garantir uma distribuição uniforme da água. Isso pode aumentar a carga de trabalho e exigir ferramentas e conhecimentos específicos.
  3. Necessidade de água de qualidade: A qualidade da água utilizada no sistema de gotejamento é fundamental. Águas com alto teor de sais, bicarbonatos ou impurezas podem levar à obstrução dos emissores e prejudicar a eficácia do sistema. A necessidade de água de qualidade pode ser um desafio em regiões onde a água disponível apresenta problemas de qualidade.
  4. Ajuste para variações topográficas: Vinhas muitas vezes estão situadas em terrenos com variações topográficas. A adaptação do sistema de gotejamento a essas variações pode ser um desafio, exigindo planejamento cuidadoso e, em alguns casos, a instalação de equipamentos suplementares, como bombas e válvulas.
  5. Manejo de resíduos e práticas sustentáveis: O descarte adequado dos resíduos gerados pelos sistemas de irrigação por gotejamento pode ser um desafio, especialmente quando se considera a necessidade de práticas agrícolas sustentáveis. A gestão eficaz de resíduos, como tubos e emissores descartados, é essencial para minimizar o impacto ambiental.
  6. Necessidade de capacitação técnica: O correto dimensionamento, instalação e manutenção de sistemas de irrigação por gotejamento requerem conhecimentos técnicos específicos. Os produtores podem enfrentar desafios se não tiverem acesso à capacitação técnica adequada ou se não contarem com profissionais qualificados para gerenciar o sistema.
  7. Compatibilidade com porta-enxertos e variedades: A adaptação do sistema de gotejamento para atender às necessidades específicas de diferentes porta-enxertos e variedades de uvas viníferas pode ser um desafio. Cada planta pode ter exigências distintas em termos de oferta hídrica e nutricional, exigindo ajustes no sistema de irrigação.
    Superar esses desafios requer um planejamento cuidadoso, investimento em tecnologia e infraestrutura, além de uma abordagem integrada para o manejo da irrigação por gotejamento. Quando implementada com sucesso, essa
ARTIGOS RELACIONADOS

Caminho da irrigação e energia solar em 2023

Em meio ao crescente movimento de digitalização do trabalho rural, serviços e soluções que aliam dinamismo à produtividade promovem uma gradativa revolução no campo.

Nota de Repúdio da Abapa contra ato de vandalismo em fazenda de Correntina

A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) lamenta o ato de destruição e vandalismo ocorrido nesta quinta-feira (2) na Fazenda Iragashi, no Distrito...

Miniequipamentos ganham novos usos com implementos

Juliana Pinheiro Dadalto Larissa Nunes dos Santos Doutorandas em Engenharia Agrícola na Universidade Federal de Viçosa (UFV) Haroldo Carlos Fernandes Professor do Departamento de Engenharia Agrícola...

Um novo conceito de mecanização para a cafeicultura

Trabalhar o ano todo nas operações da cultura cafeeira (colheita, pulverização e poda) com espaçamentos tradicionais e adensados, oferecendo ao produtor maior competitividade é...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!