17.6 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesLíder na produção de cebola, SC terá safra com expressivo desempenho

Líder na produção de cebola, SC terá safra com expressivo desempenho

Santa Catarina destaca-se como o maior produtor nacional de cebola (Foto: divulgação)

Com 33% da produção do país, Santa Catarina destaca-se como o maior produtor nacional de cebola. Para manter a excelência e a liderança no setor, os produtores concentram esforços utilizando as melhores práticas produtivas e tecnologias avançadas. Apesar dos desafios climáticos e de mercado, como os elevados custos de produção, tudo indica que essa safra terá um expressivo desempenho.

De acordo com o Boletim Agropecuário da Epagri, divulgado em dezembro de 2022, o desenvolvimento das lavouras, de modo geral, é considerado bom. As estimativas para a safra 2022/2023 apontam para uma colheita de 514.715 mil toneladas no estado.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Sistema Faesc/Senar-SC) e vice-presidente de finanças da Confederação Brasileira da Agricultura e Pecuária (CNA), José Zeferino Pedrozo, reconhece o importante potencial catarinense na produção de cebola e frisa que os avanços resultam do comprometimento dos produtores com a inovação.

 O dirigente salienta que a cebola é uma das principais hortaliças com expressiva importância econômica no estado e em todo o país. “Os sistemas de produção são variados e inovadores, a cadeia produtiva está bem estruturada e conta com apoio de entidades, órgãos, agentes financeiros, instituições de pesquisa, entre outros, que são essenciais para o fortalecimento dos negócios do setor ”.

O extensionista rural da Epagri, Daniel Schmitt, destaca que a área de produção catarinense tem oscilado muito pouco nos últimos 10 anos e têm ficado em torno de 17.500 hectares. A microrregião de Ituporanga é a de maior produção no estado, com 8.198 hectares, responsável por 46,51% da área plantada, seguida pela microrregião do Tabuleiro, situada na situada na mesorregião da Grande Florianópolis, com 3.180 hectares, o equivalente a 18,04% da área.

A microrregião de Joaçaba ocupa a terceira posição, com 1.832ha, ou 10,39%, e a microrregião de Rio do Sul, com 1.545 hectares, significando 8,76% da área plantada no estado. As demais microrregiões (Tijucas, Canoinhas e Campos de Lages) somam 2.870 hectares, perfazendo 16,83% da área plantada. 

Representantes do setor agropecuário durante a assinatura da Convenção Coletiva da cebola com vigência até maio de 2024 (Foto: divulgação)

O presidente do Sindicato Rural de Ituporanga, Arny Mohr, ressalta que a produção é fundamental para o movimento econômico do município, reconhecido como a capital nacional da cebola. “Nossas expectativas para a safra 2022/2023 incluem aumento da produtividade e disponibilização, ao mercado, de um produto com excelente qualidade. Entre as importantes características da cebola catarinense está o fato de serem reconhecidas no mercado nacional por terem coloração mais vermelha e mais casca”.

APOIO DO SISTEMA FAESC/SENAR-SC

Uma das ações que o Sistema Faesc/Senar-SC oferece aos cebolicultores é o Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) na área de olericultura. Dessa forma, o produtor conta com um modelo de adequação tecnológica associada à consultoria gerencial, que prioriza a gestão da atividade de forma eficiente e permite alcançar mudanças efetivas no ambiente das empresas rurais.

Outra iniciativa do Sistema que contribui com o segmento é o Projeto Campo Futuro que visa levantar os custos de produção da cultura. Realizado em parceria com a CNA, universidades e centros de pesquisas, o levantamento das informações é feito por meio de painéis organizados nas principais regiões produtoras, em municípios com significativa participação na produção nacional de cada produto.

O objetivo é aliar a capacitação do produtor à geração de informações para administração de custos, riscos de preços e gerenciamento da produção, além de colher subsídios para pautar a atuação do Senar/SC e da CNA no pleito de políticas públicas para o setor, entre outros benefícios.

O Senar/SC também disponibiliza inúmeros treinamentos de curta duração, oferece cursos no novo Portal de Educação a Distância (eadsc.senar.com.br/), cursos técnicos, entre outras soluções que contribuem com essa e com as demais cadeias produtivas.  

CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DE TRABALHO

A Faesc e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura de SC (Fetaesc) assinaram em 2022, a convenção coletiva de trabalho para reger a cultura da cebola 2022/2024.

Uma das ações que o Sistema Faesc/Senar-SC oferece aos cebolicultores é o Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) na área de olericultura (Foto: divulgação)

A convenção estabelece que, desde 1º junho de 2022, o piso salarial dos trabalhadores das culturas da fruticultura de clima temperado passa a R$ 1.416,00.

O ato foi firmado pelos presidentes José Zeferino Pedrozo (Faesc) e José Walter Dresch (Fetaesc) e beneficia todos os trabalhadores que atualmente exercem as atividades atribuídas à categoria profissional. Também participaram do momento o presidente do Sindicato Rural de Ituporanga Arny Mohr, o presidente do Sindicato Rural de Alfredo Wagner Pedro Menezes, o presidente do Sindicato Rural de Imbuia Luiz Arnold Neto, entre outras lideranças. De acordo com Pedrozo, o documento considerou as peculiaridades do segmento, tais como os serviços necessários para a cultura, os sistemas de produção, a insuficiência de mão de obra laboral local, os costumes e técnicas locais, as peculiaridades das culturas, a variação na maturação do produto de acordo com o clima, com o relevo, entre outros aspectos. A vigência vai até 31 de maio de 2024.

ARTIGOS RELACIONADOS

Bioestimulantes em cebola: o que você precisa saber

O uso de bioestimulantes nas fases iniciais do ciclo da cebola são de suma importância para ganhos de produtividade.

Efeito da temperatura e do fotoperíodo no desenvolvimento do mofo preto da cebola

Leandro Luiz Marcuzzo leandro.marcuzzo@ifc.edu.br Jaqueline Cargnin Marques Fitopatologista - Instituto Federal Catarinense - IFC/Campus Rio do Sul Diversas doenças incidem sobre a cultura da cebola, entre elas o...

Cebolicultores mineiros visitam área de produção em Santa Catarina

Produtores fizeram um intercâmbio técnico para conhecer a realidade da região e a performance das sementes Topseed Premium Na última semana, a equipe da linha de sementes de...

Extrato de cebola como bioestimulante

O extrato de cebola e os resultados na germinação de escleródios de Botrytis squamosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!