15.2 C
Uberlândia
domingo, julho 14, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiManejo da adubação foliar no abacateiro

Manejo da adubação foliar no abacateiro

Bruno Henrique Leite Gonçalves

Engenheiro agrônomo, mestre e doutorando em Horticultura pela FCA/UNESP ” campus de Botucatu/SP

bruno_lleite@hotmail.com

Crédito Bruno Henrique
Crédito Bruno Henrique

A deficiência de nutrientes em abacateiro pode ocasionar vários problemas e contribuir para a má formação das plantas.O manejo de adubação via solo e pulverização foliar iniciam-se durante a produção de muda ainda no viveiro, pois é a fase de crescimento inicial onde a planta requer mais nutrientes.

Uma muda não adubada terá mau desenvolvimento da parte aérea e um fraco desenvolvimento radicular, e após o transplante para o campo a muda ficará suscetível à entrada de doenças, se tornara raquítica e seu desenvolvimento vegetativo será retardado. Esses fatores podem ocasionar a morte da muda no campo nas primeiras semanas após o transplantio.

Após o transplante da muda no campo, a planta necessitará de nutrientes para o desenvolvimento vegetativo, ou seja, de uma adubação na cova de plantio, e a deficiência dos nutrientes fará que a planta não cresça conforme o desejado.

Essa mesma planta terá má formação dos galhos, e como a madeira do abacateiro é muito fraca, esses galhos não vigorosos terão mais facilidade para serem quebrados pelo vento e pelo peso dos frutos.

Sintomas

As deficiências nutricionais das plantas têm vários sintomas observáveis, os quais normalmente são semelhantes, independente da espécie da planta.O sintoma de deficiência mais comum na maioria das plantas é a redução do crescimento, entretanto, ocorrem também mudanças de coloração que apresentam padrões específicos, partindo da ponta da folha, passando pela nervura central até a base, ou da margem para a nervura central, ou ainda entre as nervuras.

Os sintomas de deficiência mineral podem aparecer nas folhas novas ou nas mais velhas, indicando a mobilidade do nutriente na planta e a habilidade dela detranslocar estoques existentes deste nutriente.

Normalmente as folhas com sintomas de carência de nutrientes reduzem ou cessam a fotossíntese. Caso isso ocorra, a planta produzirá menos carboidratos para o desenvolvimento.

A carência de nutrientes no desenvolvimento floral afetará a abertura das flores, e flores poderão ser abortadas, posteriormente havendo forte queda de frutos aderidos (frutos chumbinho).

Deficiência de magnésio - Crédito Bruno Henrique
Deficiência de magnésio – Crédito Bruno Henrique
Deficiência de fósforo - Crédito Bruno Henrique
Deficiência de fósforo – Crédito Bruno Henrique
Deficiência de ferro - Crédito Bruno Henrique
Deficiência de ferro – Crédito Bruno Henrique
Deficiência de cobre - Crédito Bruno Henrique
Deficiência de cobre – Crédito Bruno Henrique
Crédito Bruno Henrique
Crédito Bruno Henrique
Deficiência de cálcio - Crédito Bruno Henrique
Deficiência de cálcio – Crédito Bruno Henrique
Toxidade por boro - Crédito Bruno Henrique
Toxidade por boro – Crédito Bruno Henrique
Deficiência de zinco - Crédito Bruno Henrique
Deficiência de zinco – Crédito Bruno Henrique
Deficiência de potássio - Crédito Bruno Henrique
Deficiência de potássio – Crédito Bruno Henrique
 Deficiência de nitrogênio - Crédito Bruno Henrique
Deficiência de nitrogênio – Crédito Bruno Henrique
Deficiência de manganês - Crédito Bruno Henrique
Deficiência de manganês – Crédito Bruno Henrique

Adubação foliar x via solo

A adubação foliar é um complemento nutricional de rápida absorção dos nutrientes que faltam em determinada fase fenológica da planta, possibilitando fornecer nutrientes imóveis desejados no abacateiro, como o boro e o cálcio, ou nutrientes pouco imóveis, como zinco, cobre, manganês, ferro e molibdênio.

Esta operação evita desperdícios de nutrientes, favorece a aplicação homogênea, com menor custo de aplicação por hectare, induz ao desenvolvimento homogêneo das plantas, iguala o ponto de maturação do fruto e também aumenta a produtividade do pomar. Além disso, possibilita fazer aplicações simultâneas com inseticidas e acaricidas, reduzindo os custos operacionais.

Via solo, a planta não consegue absorver os nutrientes imóveis, assim como não é capaz de translocar de forma ascendente alguns nutrientes. Portanto, a aplicação via solo pode ter os nutrientes lixiviados.

 

Nutrição eficiente

Todos os macro e micronutrientes são importantes para o desenvolvimento do abacateiro.Cada fase fenológica da planta requer o nutriente especifico. Portanto, antes de qualquer tomada de decisão sobre a pulverização foliar, é necessário fazer amostragem foliar e do solo, o que deve ser feito após a colheita.

As folhas devem ser retiradas à altura média de dois metros de altura do centro da planta. Estas folhas devem ter de cinco a sete meses de idade, e para serem representativas é necessário coletar pelo menos 80 folhas de várias plantas. É recomendável que essas amostras sejam retiradas perto do ponto onde são coletadas as amostras de solo.

Amostra do solo

A amostra de solo deve ser feita com trado ou sonda. Perfurar o solo de 0 a 20 e de 20 a 40 cm, de onde se retiram pelo menos 15 amostras, sempre andando em zigue-zague. Após este processo, é importante levar o material coletado para o laboratório mais próximo de nutrição de plantas, e este deve ter total credibilidade.

Com base nos resultados obtidos nas análises do solo e da folha, realiza-se um planejamento de adubação foliar. Se o solo tem um pH baixo, a eficiência do fertilizante pode ser perdida. Por isso, recomenda-se a aplicação de correções de acordo com os resultados obtidos na análise do solo. O pH ideal do solo e da calda tem que estar entre 6 e 7.

A fertilização deve ser de acordo com o estádio fisiológico da planta e com a colheita esperada. É importante ressaltar que não se pode abusar de fórmulas ricas em nitrogênio, que são propícias para a incidência de pragas.

Nas flores são encontrados os elementos primários, principalmente o P e também o B, Fe e S. Os elementos que compõem as folhas do abacate Hass são: N, P, Mg, Ca, Fe, B e S. Em brotos vegetativos há alta demanda de K, N, P e B.

O correto manejo nutricional garante alta produtividade e sanidade das plantas
O correto manejo nutricional garante alta produtividade e sanidade das plantas ” Crédito Bruno Henrique

Essa matéria completa você encontra na edição de janeiro 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

ARTIGOS RELACIONADOS

Tecnologias IHARA, soluções INCRIVEL, TARGA e CERTEZA serão destaques no Show Rural Coopavel

Tradicional empresa de defensivos agrícolas apresenta seu portfólio de produtos para o manejo da soja e milho, durante evento que acontece em Cascavel (PR)

Interferência de daninhas no tomate

Arthur Arrobas Martins Barroso Doutorando em Produção Vegetal na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) " Campus Jaboticabal arrobas@usp.br Dagoberto Martins Pedro Luis da Costa...

Adubos nitrogenados para o café

A ureia é a principal fonte de nitrogênio (N) utilizada na cafeicultura. ..

Padronização de tamanho da beterraba pelas algas

Autores Fábio Olivieri de Nobile Professor do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos – UNIFEB fabio.nobile@unifeb.edu.br Maria Gabriela Anunciação Graduanda em...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!