27.6 C
Uberlândia
sábado, abril 20, 2024
- Publicidade -
InícioPecuáriaBovinosMastite pode dar prejuízo de até 1000 reais por vaca aos produtores...

Mastite pode dar prejuízo de até 1000 reais por vaca aos produtores de leite

Divulgação

O mais importante problema sanitário da pecuária de leite, a mastite, pesa muito no bolso dos produtores. Segundo dados da Embrapa, a enfermidade pode representar custos de até R$ 1.000,00 por vaca. “É um engano pensar que a mastite é um problema simples de tratar. Se a inflamação não for diagnosticada rapidamente pode levar, inclusive, à morte do animal. Dessa forma, é sempre importante alertar os produtores para evitar prejuízos econômicos com descarte de leite, medicamentos e redução da produção”, afirma o médico-veterinário Fernando Santos, Gerente de vendas de Grandes Animais da Syntec do Brasil.

O especialista pede especial atenção aos casos subclínicos da doença. “Nos casos clínicos, o problema é notável, despertando rapidamente a atenção dos produtores. Já a mastite subclínica não apresenta sinais evidentes, o que pode prolongar o problema e dificultar ainda mais o tratamento.”

Segundo a Embrapa, a redução na produção de leite representa o maior prejuízo da mastite. Estudos brasileiros mostram que quartos mamários com mastite subclínica produzem 25% a 42% menos leite do que quartos normais.

“Cerca de dois terços das perdas correspondem à redução na produção de leite, devido à mastite subclínica”, destaca Fernando. Ele afirma que “o tratamento recomendado para os casos de mastite envolve o uso de antibióticos e anti-inflamatórios, que devem ser receitados pelo médico-veterinário”.

Santos explica que a mastite é uma inflamação que pode tornar-se uma infecção das glândulas mamárias. A doença tem duas origens: contágio e ambiental. O método contagioso é o mais comum e, geralmente, é ocasionado por falhas no manejo sanitário dos animais. “Existem formas de evitar o quadro, uma delas é a atenção ao período entre uma lactação e outra. É importante garantir que a selagem dos tetos da vaca, por exemplo, seja bem feita. Isso ajuda a evitar que microrganismos externos acessem o organismo e se proliferem, causando problemas à saúde das vacas”.

A Syntec do Brasil oferece SEALUP, um selante intramamário indicado para o uso no período de secagem das vacas leiteiras, o produto atua criando uma barreira no canal do teto protegendo contra a entrada de micro-organismos durante todo o período seco. O produto pode ser administrado em conjunto com antimicrobianos destinados à terapia da vaca seca. A aplicação deve ser feita após a última ordenha, e todo o conteúdo da seringa deve ser administrado (4g) em cada quarto mamário. “A aplicação deve ser feita após a limpeza e a desinfecção adequadas dos tetos”, recomenda o médico veterinário, Fernando Santos.

ARTIGOS RELACIONADOS

Bactérias boas atuam na substituição de antibióticos na nutrição animal

Especialista da Chr Hansen explica como a administração preventiva das bactérias do bem na nutrição animal leva mais saúde ao consumidor final,

Formação de pastagem eficiente começa antes do plantio

Especialista explica o passo a passo necessário para o agropecuarista conseguir obter uma área de pasto produtiva para o rebanho: análise de solo, escolha da forrageira de acordo com a categoria animal, adubação, preparo do solo e só então a semeadura.

Ciclone destrói estruturas de produtores de leite do Rio Grande do Sul

Gadolando pede por apoio à autoridades para que possam auxiliar as famílias atingidas pelas tempestades

Tecnologia para driblar os desafios

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) tem alertado sobre os altos ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!