24.6 C
Uberlândia
sábado, junho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesIndústria brasileira de máquinas alcança US$25 MI em agenda internacional

Indústria brasileira de máquinas alcança US$25 MI em agenda internacional

Divulgação

O setor de exportações de máquinas e equipamentos iniciou a agenda internacional de 2023 com boas perspectivas. Após participação brasileira na International Production and Processing Expo (Feira Internacional de Produção e Processamento) – IPPE, ocorrida entre 24 e 26 de janeiro, em Atlanta, Geórgia, nos Estados Unidos, há a estimativa de negócios em cerca de US$25 milhões. 

Deste montante, US$16,2 milhões são de negociações realizadas durante o evento, além da estimativa de cerca de US$9,2 milhões em faturamento nos próximos 12 meses. Os dados são do Programa Brazil Machinery Solutions (BMS), fruto da parceria entre ApexBrasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), que levou dez empresas nacionais para mostrarem suas novidades na IPPE 2023, considerada a maior exposição mundial de tecnologia, equipamentos, suprimentos e serviços usados na produção e processamento de ovos, carnes e aves, bem como na fabricação de ração animal, e que chega a sua 75ª edição, marcada pela forte presença brasileira deste e de outros setores.

Os números vêm de negociações com países considerados estratégicos para as exportações brasileiras, sendo que na América Latina estão Bolívia, Colômbia, Equador, México e Panamá. Entre Europa e Oriente Médio, os destaques são Dinamarca, Holanda, Arábia Saudita e Turquia – além dos Estados Unidos, sede do evento.

“Estes destinos são fundamentais para o crescimento exponencial das exportações de máquinas e equipamentos brasileiros. Por se tratar do primeiro evento do nosso calendário internacional, o volume de negócios obtidos na IPPE é satisfatório e terá forte impacto nos resultados da indústria ao longo do ano”, afirma Paulo Guerra, Gerente de Relações Institucionais e Promoção Comercial da ABIMAQ.

A participação brasileira no evento contou com a presença das companhias Farenzena, Fornari, HighTech, Ibraflex, Lenke, Plasmetal, Tecmaes, Torfresma, Usitec Triel e Vantec. Com atuação expressiva dentro do mercado nacional, essas dez empresas apresentaram seus lançamentos, dentre máquinas, equipamentos e soluções que foram expostos no Pavilhão Brasil, promovido pelo Programa BMS.

ANÁLISE DE MERCADO DOS PRINCIPAIS DESTINOS

Entre os principais destinos de soluções, maquinários e tecnologias brasileiras estão os Estados Unidos, o segundo maior mercado consumidor de proteína animal no mundo, que atualmente tem participação de 12% nas exportações. A relação entre os dois países acontece, principalmente, em razão de diferenciais como o maquinário de baixo custo, a alta eficiência e a credibilidade no setor de proteína animal brasileira.  

O Brasil é, historicamente, o principal parceiro comercial da Bolívia. Especificamente em relação ao setor de equipamentos para fabricação e processamento de proteína animal, trata-se do 7º país que mais importa maquinário brasileiro, representando 5% das nossas exportações. Em 2022, o país faturou 42% a mais em negócios internacionais com os bolivianos em comparação com 2021, totalizando mais de US$47 milhões.

Ainda na América Latina, México, Colômbia e Equador se destacam pela boa relação comercial com o Brasil e mantêm uma média constante nas exportações nos últimos anos. No ranking dos países que mais importam os equipamentos brasileiros, os três fazem parte do TOP 20, ocupando, respectivamente, o 9º, 11º e 17º lugar.

Já a retomada das missões bilaterais com a Turquia tem sido destaque nos últimos resultados das exportações de máquinas e equipamentos do setor. Entre 2018 e 2021, a média de faturamento em negócios realizados foi de US$1,3 milhão. Entretanto, em 2022, o país tornou-se um grande comprador brasileiro e as exportações atingiram US$13 milhões, com crescimento de 423% na comparação com o ano anterior.

Ainda na Europa, Dinamarca e Holanda costumavam estar entre os principais destinos dos equipamentos brasileiros, mas no ano de 2022 apresentaram queda acentuada na importação de maquinários para a fabricação e processamento de proteína animal. O mesmo aconteceu com a Arábia Saudita, no Oriente Médio. “Reatar os negócios internacionais para estes países é um sinal de início de retomada dos bons negócios em 2023, por este motivo, marcar presença em eventos mundiais,  como a IPPE 2023, é essencial”, finaliza Paulo Guerra.

ARTIGOS RELACIONADOS

Indústria de alimentos com Selo Kosher aumenta no país

A Tal da Castanha possui certificação que garante pureza e qualidade

Descascadora de mandioca: trabalho no campo fica mais fácil

Você sabe como funciona a descascadora de mandioca? Detalhamos todo o processo em artigo da Revista.

Tecnologia foca na gestão da indústria de fertilizantes

Ferramenta criada pela Agrotis atende clientes em todo Brasil

Mercado de defensivos

O mercado de defensivos agrícolas teve redução de 10,4% no valor em dólar em 2020 ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!