20.5 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 28, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesMáximo potencial produtivo

Máximo potencial produtivo

Uma solução é utilização de bioestimulantes e fertilizantes com formulações especialmente desenvolvidas para fornecer nutrientes prontamente disponíveis e com alto grau de tecnologia.

Edgard BorrmannEngenheiro agrônomo e gerente técnico da Green Has Brasil

Jaqueline OliveiraEngenheira agrônoma e consultora de vendas da Green Has Brasil

Tomate – Créditos: shurtterstock

Boa parte da agricultura brasileira, um país tropical e sujeito a variações climáticas intensas, ocorre a céu aberto. Portanto, a produção agrícola é influenciada por estas mudanças de clima que podem ocorrer de um dia para o outro, ou até mesmo de uma hora para outra.

Por estas variações climáticas o agricultor sabe, na prática, o quanto isso pode causar de perdas à produção e qualidade ao longo do ciclo de uma cultura. Frente a essa constatação, concluímos que a produção de alimento, qualidade de colheita e perda de potencial produtivo por estresse caminham juntas no dia a dia do agricultor.

O estresse abiótico ou aqueles relacionados ao ambiente causam danos fisiológicos à planta que repercutem muito forte na produtividade e que chamamos de danos econômicos. As condições abióticas que mais causam danos à agricultura são as de alta ou baixa radiação solar, temperaturas altas ou baixas e baixa ou alta umidade relativa, em que todos esses fatores afetam o fluxo de água e distribuição de nutrientes nas culturas.

Dentre os nutrientes que mais são afetados por estas variações climáticas e seus efeitos encontramos o cálcio e o boro, que possuem uma dependência muito grande na distribuição via xilema, ou seja, através do fluxo de água que inicia nas raízes e segue para folhas, ramos, flores e frutos.

Cálcio e boro

Os nutrientes cálcio e boro são considerados de baixa mobilidade na planta pela pouca eficiência do transporte destes elementos acumulados nas folhas velhas para uma folha ou fruto em desenvolvimento. Portanto, a deficiência de cálcio e boro sempre ocorre em tecidos jovens, comprometendo os pontos de crescimento, principalmente dos frutos e do sistema radicular.

Outros efeitos destas variações climáticas também são observados em diferentes momentos do ciclo produtivo de uma cultura, por exemplo, a baixa radiação solar vai resultar em menor produção dos grãos de pólen, menor pegamento e produção de flores e menor taxa de pegamento de frutos.

A alta radiação solar, associada sempre com altas temperaturas, intensifica o fluxo transpiratório em direção aos tecidos que mais transpiram, como no caso das folhas. O resultado disso é o aparecimento de distúrbios fisiológicos em frutos pela falta de nutrientes que não conseguem chegar em quantidades necessárias para o seu desenvolvimento normal.

Altas temperaturas também podem comprometer a taxa de germinação do grão de pólen. A consequência disso são frutos mal formados, abortamento de flores, frutos e menor produtividade.

A umidade relativa do ar muito baixa causa o fechamento dos estômatos e umidades relativas muito altas também são prejudiciais, visto que a umidade relativa ideal para hortaliças é de 60 a 70%. Valores inferiores e superiores podem reduzir o fluxo transpiratório (interromper o carreamento de nutrientes), pelo fato de a atmosfera estar seca ou próxima ao ponto de saturação, e mais uma vez os estômatos ficaram fechados ou parcialmente fechados, resultando em desnutrição.

Solução

O que podemos fazer para diminuir os danos causados por estresses abióticos, como deficiências de cálcio e boro, má condução de água pela planta ou baixa taxa fotossintética? Uma ótima estratégia que alivia os efeitos ocasionados por estresse abiótico é a utilização de bioestimulantes e fertilizantes com formulações especialmente desenvolvidas para fornecer nutrientes prontamente disponíveis e com alto grau de tecnologia.

A Green Has Itália possui em sua linha de produtos vários bioestimulantes de origem vegetal eficientes contra o estresse e ótimos para ajudar os agricultores no seu dia a dia. Dentre eles, dois muito utilizados no mundo e no Brasil são o Drin e o Vit-Org.

E para suprir as demandas dos nutrientes cálcio e boro via foliar a Green Has Itália oferece o Calboron, fertilizante reconhecido por sua eficiência em absorção e transporte destes nutrientes.

Sempre em conjunto com as necessidades de nossa agricultura, em que a produção e a qualidade são essenciais, os fertilizantes da Green Has Itália são distribuídos pela Green Has Brasil e facilmente encontrados nos distribuidores nacionais.

A baixa radiação solar proporciona menor produção dos grãos de pólen, menor pegamento e produção de flores e menor taxa de pegamento de frutos

A alta radiação solar resulta em distúrbios fisiológicos em frutos pela falta de nutrientes que não chegam na planta

Altas temperaturas comprometem a taxa de germinação, proporcionando abortamento de flores, frutos e menor produtividade

A umidade relativa do ar muito baixa ou alta interrompem o carreamento de nutrientes

Artigo anterior
Próximo artigo
ARTIGOS RELACIONADOS

Abacaxi Gomo-de-mel, qual o seu potencial de mercado?

Autor Givago Coutinho Doutor em Fruticultura e professor efetivo do Centro Universitário de Goiatuba (UniCerrado) givago_agro@hotmail.com O abacaxizeiro, planta monocotiledônea, pertence ao gênero...

Fosfito atua na absorção de fertilizantes e herbicidas

O fosfito, associado a macro e micronutrientes, tem se revelado uma excelente fonte de nutrientes, por possuir absorção rápida e ação complexante, que favorece a absorção principalmente dos micronutrientes. Em mistura com outros produtos, o pH da calda é reduzido, favorecendo a absorção de herbicidas como o glifosato e o gramoxone.

Nova espécie de maracujá tem potencial ornamental

  O pesquisador Nilton Junqueira, da Embrapa Cerrados, teve o nome eternizado em uma nova espécie de maracujá Passiflora junqueirae. A planta, nativa da flora...

Adubação ideal para o mamoeiro

Os solos mais adequados para o desenvolvimento do mamoeiro são os de textura areno-argilosa, com pH variando de 5,5 a 6,7. Deve-se evitar os solos muito argilosos e os pouco profundos, assim como os localizados em baixadas, pelo fato de encharcarem com facilidade na época de chuvas intensas, sendo desfavoráveis ao desenvolvimento do sistema radicular do mamoeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!