21.6 C
Uberlândia
quinta-feira, maio 30, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosMulching contra plantas daninhas do morango

Mulching contra plantas daninhas do morango

O mulching no cultivo de morangos não apenas protege, mas também empodera as plantas, criando uma barreira eficaz contra as indesejáveis plantas daninhas.

Givago Coutinho
Doutor em Fruticultura e professor efetivo – Centro Universitário de Goiatuba (UniCerrado)
givago_agro@hotmail.com

Com o desenvolvimento do morangueiro, as capinas devem ser preferencialmente manuais e localizadas, para evitar danos às plantas. Entretanto, tem se utilizado com maior frequência a cobertura do solo ou mulching no controle de plantas daninhas. Esta técnica apresenta eficiência no manejo e ótimo custo-benefício para o moranguicultor.

Sem contato com o solo, o morango se mostra mais saudável e saboroso
Crédito: Agroflex

Importância do mulching

Considera-se cobertura do solo ou mulching a partir de qualquer material colocado sobre o solo que tenha elevada resistência à transferência de vapor de água, isto é, que seja totalmente impermeável.

Este tipo de técnica tem auxiliado os produtores, uma vez que o morangueiro sofre muito com a concorrência com plantas infestantes.

A utilização de coberturas de origem vegetal ou sintética (filmes plásticos) é adotada em praticamente todo o mundo para o cultivo do morangueiro. Ela auxilia na elevação e manutenção da temperatura da camada superficial do solo, o que minimiza os efeitos negativos das baixas temperaturas sobre o desenvolvimento da planta.

Plantas daninhas

No manejo fitossanitário visando o controle de plantas daninhas, assim como de pragas e doenças, quatro fatores operacionais podem interferir no sucesso da operação em se tratando da aplicação de defensivos:

  • Utilização do produto adequado;
  • Aplicação no momento correto;
  • Utilização de equipamentos devidamente calibrados;
  • Treinamento do aplicador.

Contudo, em se tratando do morangueiro, ainda não há herbicidas indicados para esta cultura. Neste sentido, as plantas daninhas devem ser controladas com o arranquio manual e/ou em conjunto com capina superficial, evitando causar danos às plantas.

O controle deve ser frequente, sobretudo no primeiro ano, visando evitar qualquer tipo de competição pelos fatores do meio, como nutrientes, água e luz.

Eficiência do mulching

A utilização da cobertura do solo, ou mulching, tem se destacado como técnica de produção de morango. Essa tecnologia é utilizada com o objetivo de proteção do solo e manutenção da umidade, pois reduz a perda de água por evaporação, leva melhoria e otimização no aproveitamento de fertilizantes e qualidade do solo.

Ainda, reduz perdas, evita o contato direto do fruto com o solo e reduz contaminações, além de reduzir a infestação e competição de plantas daninhas com a cultura por meio da cobertura de canteiros.

Benefícios práticos

A utilização da cobertura do solo com plástico, em geral preto ou branco, podendo apresentar a cor branca em uma das faces e preta na outra, respectivamente, sobre o canteiro de cultivo possibilita a produção de frutos mais limpos e saudáveis, além de facilitar o controle das plantas daninhas.

Ainda, o plástico ajuda a manter o regime térmico do solo e a temperatura estável, evita o impacto das gotas d’água de irrigação e a precipitação, que causam a compactação do solo.

Além destas, outras vantagens do uso são:

  • Redução na taxa de frutos perdidos;
  • Ciclo de produção mais precoce;
  • Redução nos gastos com mão de obra para limpeza dos canteiros.

Atenção

Seu uso não apresenta apenas vantagens, sendo necessário que o produtor se atente para algumas desvantagens correlacionadas com a técnica. Dentre estas, é importante citar:

  • Custo de implantação elevado;
  • Favorecimento da incidência de ácaros, devido à redução da umidade no interior do túnel.

Neste caso, recomenda-se a cobertura com casca de arroz, a ser espalhada sobre a superfície do canteiro, em camada de cerca de 3,0 a 5,0 cm, para repelir grande parte  das pragas devido à sua coloração e favorecer as condições ambientais do local.

Recomendações

No que se refere ao manejo, no caso da utilização do filme plástico, é recomendável a colocação no momento em que as mudas iniciarem o crescimento vegetativo, o que ocorre aproximadamente 30 dias após o plantio.

A primeira capina também deve ser realizada cerca de um mês após o plantio, no caso de o produtor optar pela aplicação do filme plástico sobre os canteiros após o plantio das mudas. Neste estádio, as mudas já apresentam brotações novas e estão mais bem enraizadas.

Para a colocação de plástico, é necessário introduzir pequenas hastes lateralmente a cada planta, deixando cada uma demarcada pela haste, em alguns metros de canteiro sobre o qual o plástico é estendido.

Em seguida, o filme plástico é perfurado nos locais demarcados e, por fim, fixado na lateral dos canteiros. O filme plástico pode ser colocado no canteiro também antes do transplante das mudas, o que facilita sua colocação.

Nesse caso, a marcação da cova é feita perfurando o plástico com uma estaca de madeira pontiaguda ou um estrato de madeira, realizando a marcação das covas de acordo com o espaçamento e na profundidade em questão.

Alternativas

Caso o produtor opte pela utilização de resíduos vegetais, a camada formada sobre o solo deve apresentar espessura suficiente para evitar que os raios solares penetrem no solo e a água evapore, mantendo, assim, a umidade do solo.

Cultivo de morango sobre mulching branco
Crédito: Mônica Bartira

Recomenda-se aplicar uma camada de cerca de 3,0 a 5,0 cm de altura de cobertura morta após o plantio das mudas. Alguns autores recomendam a aplicação de uma camada de 10 a 15 cm de altura de cobertura morta após o plantio das mudas.

Para o controle de infestantes entre os canteiros, pode-se utilizar também acículas de Pinus sp., que contribuem para reduzir o encharcamento da área e facilitar o trânsito de pessoas nos dias chuvosos.

Produtividade

Conforme já mencionado, no caso dos canteiros cobertos pelo mulching, ocorrem menores perdas de nutrientes, as quais podem ser maiores em locais onde a irrigação é conduzida de forma inadequada.

Além disso, impede que os frutos tenham contato com a umidade em excesso, podendo transmitir doenças e impurezas, que causarão danos.

Outra característica importante da cobertura do solo é que esta mantém as características físicas do solo, permanecendo com a estrutura leve, o que facilita o desenvolvimento de raízes, característica obtida pelo impedimento da ação direta dos agentes atmosféricos.

Também ocorre elevação na taxa de porosidade do solo, desde o preparo até o fim do ciclo de produção.

A favor da sanidade

Com relação ao controle da sanidade das plantas e frutos, bem como a incidência de doenças, esta relação é variável e depende do patógeno em questão. Por exemplo, no caso da doença conhecida como podridão dura de rhizoctonia (Rhizoctonia spp.), que ocorre frequentemente em frutos verdes e maduros que estão em contato com o solo, a doença raramente se manifesta em cultivos com cobertura de filme plástico.

Já no caso da antracnose (Colletotricum spp.), o filme plástico favorece a dispersão de esporos do fungo por respingos de água, seja de irrigação ou precipitação. Neste caso, pode ocorrer aumento na incidência da doença nos frutos, sendo que na fase de amadurecimento eles são muito suscetíveis à antracnose.

Opções em mulching

O material sintético mais utilizado atualmente para a cobertura do solo para o morangueiro é o polietileno opaco preto, com 30 μ (micras) a 50 μ de espessura. Além deste, é também recomendado o plástico branco, ou preto e branco de 30 μ de espessura.

Porém, é importante ressaltar que o uso de plásticos de cor preta para a cobertura do solo impede a transmissão de luz da superfície para o solo, sendo esta sua principal característica, pois inviabiliza o crescimento de plantas indesejadas sob ele.

Já o plástico de coloração branca não apresenta a mesma característica, uma vez que permite a transmissão de luz para a superfície do solo, e assim não atua no controle de plantas indesejadas. Assim, deve ser utilizado com restrições.

Geralmente, para atenuar esse problema, pode-se usar um filme de dupla coloração, ou seja, com uma face branca e a outra preta.

Embora outros tipos de material orgânico sejam recomendáveis para a cobertura do solo, são considerados menos eficientes, quando comparados ao material sintético (plástico) no controle de plantas daninhas.

Assim, em se tratando do controle das plantas infestantes, recomenda-se a cobertura do canteiro com mulching plástico.

ARTIGOS RELACIONADOS

Relatório Greening aponta 214 milhões de plantas inspecionadas

O prazo estabelecido para entrega do relatório Cancro/HLB (Greening) encerrou-se no dia 15 de janeiro e de acordo com dados do sistema informatizado de...

Cultivo de pimenta dedo-de-moça: você sabe por onde começar?

A pimenta dedo-de-moça também conhecida como pimenta vermelha, é uma das mais cultivadas no Brasil, principalmente nas regiões sul e sudeste. Nosso artigo te ensina como produzí-la.

Sistemas hidropônicos: inovações no cultivo de morango

Ao utilizar o cultivo em ambiente protegido, a cultura do morangueiro tem proteção contra várias intempéries. As inovações trazem, ainda, outros benefícios ao cultivo.

Ferramentas para driblar os estresses das plantas

As alterações do clima geram estresses abióticos, como salinidade do solo, altas temperaturas ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!