28.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 24, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosMulching no combate às daninhas do pepino

Mulching no combate às daninhas do pepino

Jean de Oliveira Souza
Engenheiro agrônomo e doutor em Agronomia/Produção Vegetal
jsoliveira1@hotmail.com

O pepino é uma olerícola anual e encontra-se entre as 10 hortaliças de maior interesse comercial no Brasil. No entanto, é cultivado em pequenas áreas, e sua produção é destinada ao abastecimento do mercado interno.
O cultivo do pepino também tem grande importância social, na geração de empregos diretos e indiretos, pois demanda abundante mão de obra, desde o cultivo até a comercialização.

Solo

A produção de pepino não diverge de outras olerícolas no que se refere ao uso intensivo do solo, visto que a planta passa boa parte do manejo cultural exposto às intempéries ambientais, como: erosão, compactação e ao ataque de pragas, doenças e plantas daninhas, que, a depender do seu nível de interferência, podem reduzir seu potencial produtivo e qualitativo da cultura no campo.
Com um crescimento inicial lento, combinado com uma arquitetura foliar que permite um maior grau de competição de alguns agentes biológicos, torna-se necessário o uso de práticas agrícolas de proteção do solo para mitigar os efeitos nocivos em detrimento ao crescimento e desenvolvimento das plantas de pepino.

Mulching

Créditos: Shutterstock

Dentre as medidas de manejo eficiente e ambientalmente mais adequadas, temos o uso do “mulching”. O uso de cobertura do solo, seja com material orgânico ou com polímeros plásticos, vem sendo adotado na produção de hortaliças em todo o mundo, com ganhos consideráveis na produtividade, na sanidade dos frutos, na otimização dos recursos hídricos, no controle de plantas daninhas, dentre outras.
O uso do “mulching” agrícola ou cobertura do solo vem sendo amplamente utilizado na agricultura, com o objetivo de aumentar a temperatura do solo, diminuir as perdas de água por evaporação; controlar as ervas daninhas, devido ao microclima, que desfavorece o desenvolvimento das plantas, e/ou pela obstrução da radiação solar fotossinteticamente ativa que incide sobre o solo; facilitar a colheita e a comercialização, uma vez que o produto é mais limpo e sadio.

Materiais

O mulching pode ser do tipo sintético, destacando-se os de polietileno de diferentes colorações (transparente, preto, branco, verde, marrom, vermelho, prata, azul e amarelo) que, dependendo da coloração, opacidade ou transparência, podem apresentar maior ou menor capacidade de transmitir radiações caloríficas.
Dessa forma, os diferentes tipos modificam as condições edafoclimáticas, dependendo das propriedades ópticas dos materiais e do tipo de solo. Há, também, o mulching orgânico, a partir de resíduos vegetais de diferentes composições, variando de acordo com os materiais disponíveis na propriedade ou na região, a exemplo da casca de arroz, palhada de milho, sorgo ou capim-elefante.

Por que usar o mulching

O uso dessas coberturas tem se mostrado muito importante, pois, além do controle de plantas daninhas, exercem o controle de pragas, isso porque dificulta a colonização de pulgões, tripes e da mosca-branca, exercendo um controle eficiente no manejo fitossanitário.
Estudos demonstram que o uso da cobertura de solo, seja com casca de arroz, palha ou “mulching” plástico, visa propiciar menor acúmulo de poeira sobre as folhas do pepineiro, reduzindo a disponibilidade de abrigo para ovoposição de ácaros, exercendo um certo nível de controle sobre essas pragas.

Custo envolvido

O uso de mulching é uma técnica de baixo custo que objetiva reduzir a população de plantas daninhas. Um dos benefícios na agricultura é a redução de plantas daninhas, devido ao microclima, que desfavorece o desenvolvimento das mesmas, e/ou pela obstrução da radiação solar fotossinteticamente ativa que incide sobre o solo. Também tem sido usada no controle de fitopatógenos e pragas do solo.

Solarização

A técnica chamada “solarização” consiste no uso do plástico transparente, com a aplicação dessa cobertura no solo úmido, antes do plantio, visando aumentar a temperatura a partir da energia solar e, com isso, ser eficaz no controle de nematoides, por exemplo, que são doenças de difícil controle que lesionam o sistema radicular das plantas, reduzindo a capacidade de absorção de água e nutrientes.
A aplicação dessa técnica tem sido usada de forma eficiente no manejo fitossanitário de várias doenças de solo em pepino.

Umidade do solo

Com o objetivo de aumentar a eficiência no uso da água de irrigação, a partir da redução da evaporação pelo uso de mulching, também tem sido eficiente em manter a umidade do solo, reduzindo a necessidade de irrigação em 50%.
Essa prática também se faz importante, principalmente em regiões em que há déficits hídricos recorrentes.

Outros benefícios

A técnica do “mulching” tem proporcionado maior rentabilidade na cultura do pepino, com destaque para utilização do filme plástico que, além de conferir maior produtividade, aumenta o peso médio de frutos por planta e o percentual de frutos comerciáveis.
Além de todos os benefícios citados, podemos relacionar ainda: a melhor qualidade dos frutos na colheita, devido à redução do contato físico dos frutos com o solo, diminuindo eventuais podridões e os mantendo visualmente mais limpos e saudáveis.
A cobertura plástica que cobre o solo também diminui o efeito de crostas formadas pela chuva e da luz solar, reduzindo os efeitos na compactação do solo. O uso do mulching proporciona também uma região livre de ervas daninhas ao redor da planta, eliminando a necessidade de cultivo, exceto entre as fileiras de plantio. O dano da raiz associado ao cultivo é, portanto, eliminado.
Devido a esses fatores, o uso de cobertura do solo pode levar a uma melhoria no crescimento geral da planta.

Entenda

Quando há adoção do uso do mulching, há um maior custo em relação ao cultivo convencional, ou seja, ao solo descoberto. Os custos de implantação da técnica incluem desde equipamentos, os produtos utilizados na cobertura e a mão de obra adicional durante a instalação e remoção das coberturas.
Há investimento no maquinário que prepara o solo para receber as coberturas, e embora a aplicação manual seja uma opção, é menos eficiente. Assim, a remoção da cobertura plástica também contribui para um custo mais alto, por meio de mão de obra e equipamentos adicionais necessários.
Portanto, o uso de mulching, apesar dos custos adicionais para a sua implantação, traz como benefício econômico a redução da necessidade de usar métodos químicos de controle, visto diminui o uso de agroquímicos para controlar a incidência de plantas daninhas/pragas e doenças, resultando em ganho ambiental, com um produto de melhor qualidade, boa rentabilidade e ambientalmente produzido de forma mais sustentável e ecologicamente correta.

ARTIGOS RELACIONADOS

A hora certa de plantar morangos

José Mauro de Sousa Balbino Engenheiro agrônomo, doutor em Fisiologia Vegetal e pesquisador do Incaper balbino@incaper.es.gov.br   O plantio de morangos depende do clima da região de cultivo,...

O futuro da agricultura

Nos últimos anos, a exigência, por parte de toda a sociedade, por uma produção agrícola ...

Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida

Um dia-a-dia no campo.

Pragas e doenças no abacateiro: prevenção e controle

A ocorrência de pragas e doenças no cultivo de abacate ocorre em função de condições climáticas favoráveis

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!