26.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 17, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesNovos herbicidas pós-emergência

Novos herbicidas pós-emergência

Crédito: Ascenza

Focada no projeto de estar conectada ao produtor rural brasileiro, a Ascenza, pertencente ao grupo português Rovensa, acaba de colocar à disposição da cultura da soja novas soluções.

São quatro lançamentos na categoria de herbicidas e um inseticida. Atuante no mercado global desde 1965, a multinacional tem planos ambiciosos no Brasil e pretende atingir a marca de 55 registros até 2025, unindo o portfólio atual aos 20 registros até lá.

Para tornar sólido esse crescimento, a companhia lançou o Montana DQ, herbicida não seletivo e dessecante de ação de contato e o Bivack, herbicida pós-emergente seletivo condicional de ação não sistêmica.

Além destes, o produtor também poderá contar com o Chapter, herbicida de pós-emergência de jato dirigido, com o Eliack, herbicida seletivo condicional de ação sistêmica, e ainda com o Bodalo Pro, um inseticida fisiológico e inseticida acaricida de contato e ingestão. “Concentrado solúvel de 200 g/l de Diquate, o Montana DQ é um produto que ajuda a suprir a alta demanda do mercado pela fórmula”, explica Patrícia Cesarino, engenheira agrônoma responsável pelo marketing e desenvolvimento técnico da Ascenza Brasil.

Recomendações

O agricultor pode realizar a dessecação pré-plantio da oleaginosa na dobradinha com o Bivack, que possui concentrado emulsionável de Carfentrazona-etílica,  a 400 g/l. “Lembrando que este é o primeiro produto à base desse ingrediente ativo pós-patente no mercado”, pontua a profissional.

Já o Chapter é um herbicida de pós-emergência que controla eficientemente, em jato dirigido, plantas daninhas, além de também ser opção para dessecação.

Ainda na categoria herbicida, o Eliack é uma fórmula de suspensão concentrada de Sulfentrazona (=500 g/l), que tem ação sistêmica e pertence ao grupo químico triazolona. “A tendência é que o uso dessa formulação cresça no mercado de soja e milho, pois o manejo de resistência a glifosato tem favorecido o aumento no uso de pré-emergentes em manejo pré e pós-plantio”, explica a engenheira.

Por fim, a empresa lança o Bordalo Pro, um inseticida fisiológico associado de contato e ingestão com ação também acaricida e que tem na formulação Lufenurom + Profenofós. Também é o primeiro produto à base desses ingredientes ativos pós-patente no mercado. Ele é indicado para o controle da lagarta-falsa-medideira (Chrysodeixis includens), lagarta da soja (Anticarsia gemmatalis) e do ácaro vermelho (Tetranychus ludeni).

“A união do organofosforado com o regulador de crescimento entrega efeito de choque com ação residual. Este é mais um produto de importância estratégica para a cultura, capaz de controlar pragas extremamente importantes para o manejo de resistência à tecnologia Bt”, finaliza a especialista.

ARTIGOS RELACIONADOS

Tecnologias IHARA para a cultura da cana estarão no Copla Campo 2018

Portfólio de soluções IHARA, com produtos de plantio à maturação, será apresentado durante o evento que acontece de 20 a 22 de fevereiro, em...

Falta de dessecante trará prejuízos à safra brasileira de soja

A Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) alerta para a ameaça real ...

Manejo biológico da broca do colmo

Valéria Rosa Lopes Doutora em Agronomia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e engenheira agrônoma na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco...

Projeto de extensão rural digital para produtores rurais

Canal Falando de Soja reúne pesquisadores renomados e oferece orientações aos agricultores de todas as regiões do Brasil; conteúdo também pode ser acessado pelo Spotify e SoundCloud Com...

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!