17.6 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosO girassol e a rotação de culturas

O girassol e a rotação de culturas

Daniele Maria do Nascimento
donascimentodm@gmail.com
Marcos Roberto Ribeiro Junior
marcos.ribeiro@unesp.br
Engenheiros agrônomos e doutores em Agronomia/Proteção de Plantas – UNESP
Adriana Zanin Kronka
Engenheira agrônoma, doutora em Agronomia/Fitopatologia e professora – UNESP
adriana.kronka@unesp.br

Fotos: Shutterstock

Atrativo para os olhos e também para o bolso, o girassol é uma excelente alternativa para a rotação de culturas. Com um baixo custo de implantação e um bom retorno econômico, essa cultura tem sido bastante explorada nas regiões produtoras de grãos, principalmente após o cultivo da soja na região centro-oeste do País.

O girassol é bastante versátil – tudo se aproveita: desde as raízes até as sementes. Outras características que o tornam uma cultura de interesse são: a maior tolerância à seca, devido ao sistema radicular profundo, possibilitando que as raízes explorem camadas mais profundas do solo; menor incidência de pragas e doenças, reduzindo gastos com aplicações de defensivos; ciclagem de nutrientes, como o potássio, dentre outros fatores.

Por que rotacionar com o girassol?

A tradicional sucessão de culturas, soja-trigo ou soja-milho, dependendo da região, não é benéfica a longo prazo, por esgotar os recursos químicos e biológicos do solo, além de degradá-lo fisicamente.

Inserir o girassol no sistema pode ser vantajoso tanto do ponto de vista econômico como ambiental. Essa planta é bastante utilizada como adubo verde, reciclando com eficiência os nutrientes do solo e sendo, inclusive, indicada para recuperação de solos degradados.

Vantagens da cultura

Os benefícios do girassol começam pelo seu sistema radicular pivotante, que permite uma maior tolerância à seca, além da reciclagem de nutrientes do solo. Tem um ciclo curto de produção, variando entre 90 a 130 dias. Pode ser empregado em esquema de sucessão, consorciação ou rotação de culturas.

É uma cultura de baixo investimento e boa parte da planta é aproveitada. Os aquênios, por exemplo, são comercializados como fontes de óleo.

Alelopatia

Naturalmente, as plantas produzem e liberam compostos secundários que podem afetar o crescimento e desenvolvimento de outras plantas crescendo ao seu redor. A isso chamamos de “alelopatia” e estudos indicam que folhas frescas de girassol podem inibir a germinação de sementes de picão-preto e outras plantas daninhas.

Logo, a palhada de girassol atuaria como um herbicida natural, auxiliando no manejo de plantas daninhas da lavoura. Sabe-se que a comunidade de plantas daninhas ocorrentes na cultura da soja pode ser reduzida se, anteriormente à sua semeadura, tiver sido realizado o cultivo do girassol.

Regiões de cultivo

Fotos: Shutterstock

Atualmente, o girassol vem sendo cultivado nos Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Rondônia, Paraná, Bahia e Ceará, principalmente na safrinha, logo após a colheita da soja, em semeadura direta.

Nessas regiões, o ciclo é de aproximadamente 110 dias, mas relatos de agricultores mostram que o cultivo também é possível em Roraima, onde o ciclo é um pouco menor, entre 75 a 80 dias.

No Nordeste brasileiro, o destaque tem sido as pequenas propriedades, onde o óleo pode ser extraído mecanicamente, através de uma prensa simples, pelo próprio agricultor. Pensando na agricultura familiar, além do óleo, ainda temos os subprodutos, como a torta de girassol, uma fonte proteica que pode ser empregada na alimentação de animais, reduzindo assim os custos de produção.

Usos

Seu principal uso é como fonte de óleo, que é extraído da semente e usado como alimento ou biocombustível. O óleo produzido, aliás, é mais saudável e barato que os demais comercializados, e a tendência é que o consumo aumente nos próximos anos.

Na alimentação animal, é usado na forma de farelo ou silagem. Há também o mercado de grãos, destinado à alimentação de pássaros, onde são comercializados os grãos rajados pretos e brancos; confeitaria, para preparo de pães, bolos e biscoitos; e consumo do grão torrado.

Uma outra possibilidade a ser explorada é a integração com a produção de mel, já que as flores do girassol são bastantes atrativas às abelhas e a polinização favoreceria ainda a produção de grãos.

LEIA TAMBÉM:

Como implementar o cultivo?

O girassol vai bem na maioria dos solos brasileiros, podendo ser cultivado nas mais diversas regiões. No entanto, é sensível a solos compactados e ácidos, devendo-se evitar essas áreas para a semeadura.

Alguns cuidados devem ser tomados no estabelecimento da cultura, a fim de garantir uma boa uniformidade de plantas. O ideal é uma população entre 40 a 45 mil plantas por hectare e espaçamento entrelinhas de 50 a 90 cm.

Importante também escolher sementes certificadas e cultivares adaptadas à região de cultivo; realizar adubação, quando necessária; e respeitar o zoneamento climático da região para decidir a época de semeadura.

Importante ressaltar que essa cultura é alvo do ataque de aves, o que pode ser um problema em áreas com alta incidência de pássaros.

Viabilidade

Em suma, o girassol é uma cultura bastante versátil e com um bom retorno econômico. Não exige muito investimento, podendo ser utilizada em esquemas de rotação ou sucessão de culturas.

ARTIGOS RELACIONADOS

Berinjela: Qual o manejo nutricional ideal?

Autores Roberto Botelho Ferraz Branco Pesquisador científico - APTA/Instituto Agronômico – Centro de Horticultura branco@iac.sp.gov.br A berinjela (Solanum melongena) é uma espécie pertencente à família...

Embrapa apresenta tecnologias na Hortitec 2017

Para a 24ª edição da Hortitec " Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas que acontece em Holambra (SP), de 21 a...

Cenário brasileiro sobre as doenças do algodoeiro

Autor Letícia Ane Sizuki Nociti Dezem Doutora em Produção Vegetal e professora da FEB e FAFRAM leticianociti@gmail.com A murcha de fusarium, ou fusariose, tem...

Nova Mutum-MT recebe o Fundação MT em Campo 2016

  Estação de pesquisa será aberta para a difusão de informações   Em mais um ano, a Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso, Fundação...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!