28.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 24, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosPanorama da produção de maçãs no Brasil

Panorama da produção de maçãs no Brasil

A produção de maçãs no Brasil está em constante evolução e traz ótimas perspectivas para o agronegócio.

Harleson Sidney Almeida Monteiro
harleson.sa.monteiro@unesp.br
Sinara de N. Santana Brito
sinara.santana@unesp.br
Engenheiros agrônomos e mestrandos em Agronomia/Horticultura – UNESP
Antonia B. da Silva Bronze
Doutora em Ciências Agrárias e professora – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
antonia.silva@ufra.edu.br

A maçã possui mais de 2,5 mil espécies existentes, sendo uma das frutas mais conhecida e consumida no mundo. A China é seu maior produtor, seguido dos Estados Unidos, que produzem, juntos, mais de 50% do total mundial. A produção mundial de maçã tem gerado cerca de US$ 46 milhões.
A produção brasileira nas últimas décadas se expandiu significativamente, principalmente entre as variedades Eva, Gala, Fuji e Pink Lady. Essa expansão está relacionada à tradição que o País possui em mais de 30 anos de cultivos comerciais da fruta, condicionada à produção de variedades modernas, áreas para cultivo, regiões com condições edafoclimáticas favoráveis, assim como os cuidados com o pós-colheita, tornando o Brasil um produtor de potencial na cultura.
Segundo a FAO (2022), o Brasil está entre os dez maiores produtores do mundo. O fruto da macieira tem ocupado, no País, a quarta posição no ranking de frutas mais consumidas e sua produção tem gerado cerca de R$ 2.500.000. O mercado tem faturado, desde o plantio até a comercialização dos frutos, cerca de R$ 7,5 bilhões ao ano.

Área plantada

No Brasil, a colheita dos frutos se concentra nos meses de janeiro a maio. Com infraestrutura de embalagens e conservação, e devido à tecnologia de armazenamento em câmaras frias que ficam em complexos agroindustriais, o fruto fica disponível durante o ano todo para o consumidor.
Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a área plantada de macieira no Brasil, no ano de 2021, foi de 32.890 plantas. E nota-se o crescimento tímido no número de plantas, ao longo de três anos seguidos, como mostra o gráfico a seguir.

As áreas de cultivo da macieira se concentram nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Nas regiões norte, nordeste e centro-oeste não se estabeleceram cultivos, por não possuírem condições climáticas adequadas e favoráveis a este cultivo.
As maiores áreas de cultivo estão nos Estados de Santa Catarina (15.774 ha), Rio Grande do Sul (15.730 ha), Paraná (1.007 ha), Minas Gerais (225 ha) e São Paulo (154 ha). Estados que se localizam em regiões onde ocorrem as melhores condições climáticas para o cultivo da macieira, especialmente temperaturas baixas durante o inverno.
Esta é uma fruteira típica de clima frio. Assim, para o seu melhor desenvolvimento e que tenha seu ciclo produtivo completo (floração e frutificação), ela exige determinadas condições climáticas e solos férteis, encontrados principalmente na região sul do Brasil.

Safra brasileira

A safra da maçã se inicia no final de dezembro, nas regiões mais quentes, e se estende até o início de maio, nas regiões mais frias. No ano de 2021, a produção anual brasileira de maçã atingiu 1.297.424 toneladas de frutos, com destaque para Rio Grande do Sul, responsável por cerca de 48,46% e Santa Catarina, responsável por cerca de 48,45% da produção, que somam 97% da produção nacional de maçã.
Em se tratando de produtividade, a cultura alcançou 39.461 kg/ha no ano de 2021. Na tabela a seguir, observa-se que o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná apresentam um certo crescimento na sua produtividade, ao contrário do que vem ocorrendo com os Estados de São Paulo e Minas Gerais, o que podem estar relacionado à reestruturação pela qual passam seus pomares. Contudo, são as regiões e os Estados de maior produtividade da cultura no Brasil.

Modernização

O País conseguiu alavancar a produção e a produtividade interna da fruta, principalmente na região sul, isso graças à modernização da cadeia produtiva, à responsabilidade e confiança entre os produtores e ao solo fértil dessas regiões produtoras.
Ainda, observou-se a iniciativa empresarial pioneira, os incentivos fiscais concedidos, em especial pelo governo federal, a partir da Lei nº 5.106; a ênfase por parte do governo federal na substituição de importações, sendo a maçã o segundo item agrícola mais importante nas importações brasileiras.

Reflexos da pandemia

Ainda sobre o reflexo do cenário ocasionado pela pandemia da Covid-19, o setor de maçãs sofreu nas suas mais diversas etapas de produção, consumo e no desempenho do mercado escalonado.
A demanda do fruto também ficou inferior à oferta, principalmente da variedade Fuji (de origem japonesa), que deixou de ser a preferida pelo mercado consumidor, perdendo o lugar para a variedade Gala (de origem da Nova Zelândia) e Pink Lady (de origem australiana), que registraram aumento relevante na oferta do fruto no ano de 2022, principalmente por serem mais doces.
A maior demanda pelo fruto é para o consumo in natura, e cerca de 20% de toda a produção é destinada para processamento do fruto – industrialização, que originará produtos e subprodutos derivados da maçã.
Hoje, a demanda por frutos de maçã para o processamento é voltada para gerar novos produtos e subprodutos, e está muito diversificada. No mercado, encontramos frutos desidratados, geleia, licor, suco, farinha, vinagre, vinho, sidra, fibras, entre outros.

Economia circular

O Brasil produz cerca de 1,1 milhão de toneladas/ano da fruta, e tem empregado diretamente cerca de 50 mil pessoas. A cadeia de produção da maçã no Brasil ainda não possui máquinas capazes de colher a fruta, o que traz a necessidade de contratar cerca de 45 mil trabalhadores a cada safra.

Exportação

Os produtores e o mercado de maçã têm muito a comemorar, devido ao sucesso que ocorre na exportação dos frutos, principalmente para a Europa. A exemplo, temos como principais destinos da fruta nacional: Rússia (31%), Bangladesh (29%) e Índia (11%).
O produto brasileiro está cada vez mais adequado às exigências de qualidade e sustentabilidade do mercado exterior. A comercialização de maçã para o exterior (exportações brasileiras) tem movimentado cerca de US$ 42 milhões por ano, segundo a Associação Brasileira de Produtores de Maçã (ABPM).
Esta é uma cultura de grande potencial, tanto para o mercado de exportação do fruto como para o processamento e industrialização, sendo necessário que o produtor esteja atento à capacidade de armazenamento na região onde pretende produzir, pois o mercado consumidor é altamente exigente, tanto em preço quanto qualidade das frutas.

Custo de produção e retorno

O custo (investimento) inicial para implementar e conduzir um sistema de produção de maçãs tem variado entre R$ 35 mil e R$ 60 mil, incluindo a obtenção de mudas, infraestrutura do pomar, insumos e equipamentos em geral.
Vale destacar que o montante pode variar de R$ 80 mil a R$100 mil, para que um hectare de macieira esteja em seu pleno desenvolvimento e atingindo produção máxima, nos primeiros anos. Esse valor inclui, principalmente, insumos e mão de obra, sem contar despesas operacionais da etapa de pós-colheita da fruta.
Contudo, características que podem reduzir custos são: cultivares adaptadas às condições climáticas, cultivares resistentes a pragas e doenças, otimização da colheita; e arquitetura da planta (hábito de crescimento de ramos aberto – horizontal).
Apesar de apresentar custo mais elevado, a alta densidade de plantas em pomar de macieira proporciona a entrada em produção mais precoce, trazendo retorno econômico mais rápido. Além disso, diminui custos de mão de obra pelo menor porte das plantas e aumenta a eficiência dos tratamentos fitossanitários.
Em se tratando do retorno do capital investido, para implantar e formar um pomar de maçã, com vida útil estimada de 20 anos, tendo sua produtividade média a partir do sexto ano, o tempo de recuperação do capital se dará a partir do oitavo ano de produção.

Inovações

Hoje, o que temos de mais novo na cadeia produtiva da maçã é a produção de biogás a partir do bagaço de maçã descartado, sendo um produto que está baseado na economia circular, que pretende o fechamento dos ciclos de produção de resíduos e o avanço da reutilização e reciclagem de bioenergia e biomateriais.
Ainda em se tratando de inovação, temos o desenvolvimento de reguladores de crescimento para a cultura.
Podemos enfatizar que a fruticultura brasileira, mesmo com uma ampla gama de espécies cultivadas, apresenta um rol das principais frutas produzidas restrito, tanto nos âmbitos mundiais quanto nacionais, como a maçã.

ARTIGOS RELACIONADOS

15º Fórum Nacional de Máxima Produtividade do CESB

Os Campeões e as maiores produtividades do Desafio de Máxima Produtividade do CESB serão revelados em junho em grande evento de celebração dos 15 anos da organização.

ISLA comemora 66 anos

A ISLA Sementes, empresa com o mais diversificado portfólio de sementes no Brasil, criou um envelope especial para o Girassol Sol Vermelho, em comemoração ao seu aniversário de 66 anos de atividades.

Embarques de soja pelo Brasil afora

Os embarques da soja brasileira estão extremamente aquecidos, passado o ritmo ...

Dia Mundial da Agricultura: tecnologias brasileiras ajudam a alavancar produção no campo

Soluções garantem mais produtividade e facilitam o acesso a serviços financeiros em zonas rurais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!