Paper Excellence anuncia investimento de US$ 13 milhões em fábrica canadense

0
159

A Paper Excellence, uma das principais produtoras  de papel e celulose do mundo, anunciou nesta quinta-feira (10) que planeja investir mais de US $ 13 milhões em sua fábrica de papel em Port Alberni, no Canadá.  No Brasil, a empresa possui 49,41% de participação  da Eldorado Brasil Celulose, uma das maiores companhias do segmento no País, com sede em Três Lagoas (MS).

Além de remover os principais gargalos de produção na fábrica, o projeto em Port Alberni atualiza as máquinas para fabricar papéis de grau alimentício, utilizados por restaurantes e empresas de preparação de alimentos. Desenvolvidos com ingredientes especiais, esses produtos possuem certificação Nonfood compounds – H1, sendo atóxicos, biodegradáveis, inodoros e sem sabor.

“Estamos muito entusiasmados em investir em um projeto como este, em uma fábrica que suporta mais de 300 empregos”, diz Patrick Corriveau, vice-presidente de Papel e Embalagem da Paper Excellence. A iniciativa, segundo Corriveau, ainda reforça o compromisso da empresa em criar um setor florestal competitivo e sustentável por meio da inovação e diversificação – filosofia que a Paper também projeta implementar no Brasil.

“O investimento da Paper Excellence na fábrica de Port Alberni demonstra a confiança no setor florestal e contribui para a estabilidade e segurança das famílias locais cujo sustento depende disso”, destaca Josie Osborne,  integrante da Assembleia Legislativa em Mid Island-Pacific Rim. “Um setor florestal próspero e diversificado com empregos sustentáveis é uma parte fundamental da recuperação econômica pós Covid-19”, completa Katrine Conroy, Ministra de Florestas, Terras, Operações de Recursos Naturais e Desenvolvimento Rural.

A engenharia detalhada para o projeto começará em breve, seguida pela aquisição dos equipamentos necessários. A Paper Excellence prevê que a atualização de Port Alberni será concluída no quarto trimestre de 2021. A fábrica canadense, que reduziu sua pegada de carbono em 83% desde 1990, usa mais de 95% de energia renovável na fabricação de seus produtos de papel.