28.6 C
Uberlândia
sábado, abril 13, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosPecan 2030: união do produtor e da pesquisa é sucesso

Pecan 2030: união do produtor e da pesquisa é sucesso

O sucesso do Pecan 2030 é a prova da força da parceria entre produtores e pesquisa na busca por uma pecanicultura próspera e sustentável

Carlos Roberto Martins
carlos.r.martins@embrapa.br

Jair Costa Nachtigal
jair.nachtigal@embrapa.br

Alexandre Hoffmann
alexander.hoffmann@embrapa.br
Engenheiros agrônomos, doutores e pesquisadores da Embrapa

Foto: Carlos Roberto Martins

A constatação da carência de investimentos em pesquisas visando a evolução das questões de produção e qualidade da pecã produzida em solo brasileiros resultou, por parte Instituto Brasileiro de Pecanicultura (IBPecan) a da Embrapa, no estabelecimento de uma parceria, por meio de um acordo de cooperação técnica, que permitiu a construção de um programa setorial, conhecido como Pecan 2030.

O programa

O Pecan 2030 é um programa que contempla o desenvolvimento setorial como um todo, com ações estratégicas para melhorar a produtividade, a qualidade e a rentabilidade da produção de pecã.

Busca a execução de trabalhos de pesquisa com a cultura, focar no desenvolvimento e na adoção das boas práticas agrícolas (BPAs), nas bases de programas de certificação e no suporte técnico a políticas públicas de interesse para a cadeia da pecanicultura brasileira, para que o setor se torne ainda mais competitivo nos próximos anos, com vistas ao mercado internacional, sem esquecer a conquista de novos espaços no mercado interno.

Uma das iniciativas em andamento dentro do programa é a instalação das URPecans, unidades de referência produtiva.

 Trata-se de modelos físicos de sistema de produção de pecã em propriedades localizadas nas principais regiões produtoras. Tem como objetivo o acompanhamento, a validação de prática e manejos, a avaliação experimental e a demonstração e transferência das tecnologias geradas.

Avanços

Muitos avanços já foram obtidos, mas certamente existem muitos obstáculos a serem superados pela pecanicultura brasileira, os quais incluem a busca da pesquisa como forma de desenvolvimento tecnológico da produção.

A pesquisa brasileira da pecã ainda é recente, mas vem se consolidando de modo a contribuir para posicionamento diferenciado da produção da fruta diante de outras cadeias produtivas e, principalmente, diante de outros países produtores de pecã.

O investimento em pesquisa no setor da pecanicultura será necessário ao desenvolvimento de tecnologias adaptadas às condições edafoclimáticas brasileiras, para aumentar a produtividade e garantir estabilidade produtiva e consolidação da pecã como opção no agronegócio brasileiro.

ARTIGOS RELACIONADOS

Nuvem de gafanhotos: pesquisadores da Epagri preveem que insetos devem chegar ao Uruguai

Os pesquisadores da Epagri Kleber Trabaquini, doutor em sensoriamento remoto, e Marcelo Mendes de Haro, doutor em entomologia, conseguiram demonstrar, de forma simulada, a trajetória que os gafanhotos da espécie Schistocerca cancellata poderão percorrer durante os próximos três dias.

Enxertia de mesa e as vantagens para mudas de videira

Você sabe o que é um porta-enxerto? O enxerto é a parte que forma a copa da planta, ...

Ceplac: 65 anos de pesquisa e tecnologia para o cacau brasileiro

Há três anos, em uma área inicial de cultivo de bananas em Barreiras, na Bahia, o produtor Moisés ...

Pesquisas e aplicações de agricultura de precisão e digital

Com o objetivo de disseminar oportunidades, pesquisas e aplicações da....

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!