19.9 C
Uberlândia
segunda-feira, abril 15, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesProdutores do Serro fazem programa para valorização dos queijos da região

Produtores do Serro fazem programa para valorização dos queijos da região

O 1º Circuito do Queijo Minas Artesanal das microrregiões do Serro e de Diamantina reuniu 400 produtores e teve a apresentação do Programa de Qualidade do Queijo Minas Artesanal da Microrregião do Serro.

Foto Divulgação

Os produtores de queijo da região do Serro vêm desenvolvendo novas estratégias para aumentar a valorização dos produtos locais. Durante o 1º Circuito do Queijo Minas Artesanal das microrregiões do Serro e de Diamantina, ocorrido no dia 29 de novembro no município do Serro-MG, foi apresentado aos participantes o Programa de Qualidade do Queijo Minas Artesanal da Microrregião do Serro, que terá início em 2024.

O Programa de Qualidade do Queijo Minas Artesanal da Microrregião do Serro foi montado por uma comissão técnica composta por diversas instituições envolvidas direto e indiretamente na atividade como a Emater-MG, a Cooperativa dos Produtores Rurais do Serro (Cooperserro), o Sindicato dos Produtores Rurais do Serro, a Associação dos Produtores Artesanais de Queijo do Serro, a Technoserve, o Sistema Faemg/Senar e o Sebrae, além de prefeituras locais.

Maior agregação de valor

Segundo o extensionista da Emater-MG, José Aparecido Martins da Silva, a iniciativa visa a melhoria dos queijos produzidos na região e terá como foco inicial os produtores de Alvorada de Minas, Dom Joaquim, Materlândia, Paulistas, Rio Vermelho, Sabinópolis, Santo Antônio do Itambé, Serra Azul de Minas e Serro. “A proposta é que os produtores, que comercializam seus queijos através da Cooperserro, recebam uma bonificação pela qualidade do alimento. Para isso, eles terão de atender as exigências estabelecidas no regulamento técnico criado para o programa”, explica.

José Aparecido é médico veterinário e participa da Rede de Ater (Assistência Técnica e Extensão Rural) do queijo na região. Ele ressalta que o programa é importante porque irá contribuir para a melhoria da agregação de valor dos queijos artesanais do Serro e na valorização dos produtores comprometidos com a qualidade do seu produto. “Além de ser melhor remunerado, o produtor que aderir ao programa pode se sobressair no mercado em razão de ter um produto diferenciado, por isso estamos estimulando a participação das queijarias locais”, argumenta José Aparecido.

Circuito inédito

O 1º Circuito de Queijo Minas Artesanal contou com mais de 400 participantes, de mais de 20 municípios das regiões do Serro e de Diamantina. O evento teve palestras, apresentação do programa de qualidade de QMA, apresentação de modelo de coletor de pingo que foi campeão do Prêmio de Criatividade Rural da Emater-MG de 2021, além de mesa redonda e cozinha show, com pratos feitos com queijo minas artesanal.

De acordo com o extensionista da Emater-MG, o Circuito Regional de Queijo Minas Artesanal surgiu da necessidade de trazer tecnologias, inovações e troca de experiências entre produtores rurais, professores universitários e demais instituições públicas e privadas que atuam direto ou indiretamente com produtores de queijos artesanais da região. “O objetivo do evento foi proporcionar a difusão do conhecimento e tecnologias por meio de palestras e debates, abordando temas da atualidade na cadeia produtiva do queijo minas artesanal. Devido ao sucesso da primeira edição, já estamos discutindo a realização de um segundo evento em 2024”, conta José Aparecido.

O circuito regional do queijo minas artesanal tem como abrangência as duas regiões caracterizadas como produtoras do queijo minas artesanal, sendo composta pela região de Diamantina com os nove municípios (Couto de Magalhães de Minas, Datas, Diamantina, Felício dos Santos, Gouveia, Monjolos, Presidente Kubitschek, São Gonçalo do Rio Preto e Senador Modestino Gonçalves) e a região do Serro com 11 municípios (Alvorada de Minas, Coluna, Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim, Materlândia, Paulistas, Rio Vermelho, Sabinópolis, Santo Antônio do Itambé, Serra Azul de Minas e Serro).

ARTIGOS RELACIONADOS

Frutas e cafés especiais são oportunidades para o Brasil nos países árabes

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) já são um mercado consolidado para o Brasil no setor de carne de frango,

Produção de milho vai disparar

A produção de milho nesta nova safra 2021/22 deverá atingir 113,99 milhões de toneladas no Brasil, ...

Brasil alcança recorde histórico em exportações

Em 2019, o Brasil exportou 40,6 milhões de sacas de café, considerando a soma de café verde, solúvel e torrado & moído, segundo relatório consolidado pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

Programa de melhoramento de alfaces

Topseed Premium possui um portfólio completo de variedades dos tipos americana, ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!