21.6 C
Uberlândia
sábado, junho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosPesquisa estuda controle da broca-do-café

Pesquisa estuda controle da broca-do-café

Broca só ataca fruto do cafeeiro - Crédito Erasmo Pereira - ascom Epamig
Broca só ataca fruto do cafeeiro – Crédito Erasmo Pereira – ascom Epamig

Monitoramento dos cafezais minimiza o uso excessivo de inseticidas

Estudos realizados por pesquisadores da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) apontam o monitoramento do cafeeiro como alternativa para auxiliar no controle químico e biológico da broca-do-café. Essa praga preocupa os cafeicultores pela possibilidade de perdas qualitativas e quantitativas, já que ela ataca as sementes dos frutos.
O monitoramento é uma ferramenta que ajuda o cafeicultor a identificar as áreas infestadas pela broca para o uso racional de inseticida. As pesquisas mostram que o controle químico não é necessário em toda a lavoura porque o ataque da praga é desuniforme. “Em geral, somente 35% do total da lavoura requer controle químico. As lavouras novas, nas primeiras safras, não apresentam infestação da broca; por isso, não requerem controle químico“, explica Júlio.
Nesse sentido, o cafezal deve ser dividido em talhões, agrupamentos de plantas numerados e separados por espaços necessários para a passagem de máquinas e equipamentos. Em cada talhão devem ser escolhidos, aleatoriamente, 30 cafeeiros para o levantamento de dados.
De acordo com pesquisador da Epamig, Júlio César de Souza, tais dados irão compor uma planilha específica para o monitoramento que, por sua vez, deve ser iniciado três meses após a primeira maior florada do cafeeiro. “Esse acompanhamento é imprescindível antes da aplicação dos inseticidas para evitar o uso indiscriminado desses produtos. O cafeicultor precisa fazer o controle químico no talhão onde a infestação atingir mais de 3% de frutos broqueados“, alerta.

Danos

Estudos mostram que, inicialmente, a larva do inseto apenas perfura os frutos verdes, aquosos, sem colocar os ovos. “Após 55 dias, nos frutos com menores teores de umidade, o inseto termina a construção da galeria até uma das sementes nos frutos broqueados, onde deposita o ovo. Assim, o controle químico visa matar os adultos fêmeos na entrada da galeria, nos frutos broqueados verdes, para evitar que depositem ovos posteriormente nesses frutos, iniciando o primeiro ciclo do inseto na nova safra de café“, define.
Segundo Júlio, a broca ataca frutos em qualquer estágio de maturação e não ataca café beneficiado, apenas. Desde 2005, o agrônomo e cafeicultor Juliano Araújo realiza o monitoramento com planilha em seu cafezal, no município de Campos Gerais (MG). “A minha propriedade é certificada; portanto, o uso racional de inseticida já é uma realidade. Percebemos que a adoção do monitoramento serviu para reduzirmos o gasto com esses produtos, além de alertar para técnicas de manejo e poda que nos permitem conviver com a broca“, conta.
O cafeicultor ressalta que monitorar é indispensável, mas isso deve ser aliado ao controle químico, que possibilita ao cafeicultor menor risco de perda do controle dessa praga.

Clique aqui e faça a assinatura da revista Campo & Negócios Grãos para ler a matéria completa.

ARTIGOS RELACIONADOS

Antracnose – Doença de final de ciclo do feijoeiro

Carla Verônica Corrêa Engenheira agrônoma e doutoranda em Agronomia, UNESP/Botucatu cvcorrea1509@gmail.com Letícia Galhardo Jorge Graduanda em Ciências Biológicas, UNESP/Botucatu leticia_1307@hotmail.com Bruno Novaes Menezes Martins Engenheiro agrônomo e doutorando em Agronomia, UNESP/Botucatu. brunonovaes17@hotmail.com A...

Feijão orgânico supera produção de plantio convencional

Carlos Antônio dos Santos Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia " Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) carlosantoniods@ufrrj.br Margarida Goréte Ferreira do Carmo Engenheira agrônoma, doutora...

Café: Maturação dos frutos dita hora certa da colheita

Autores Daniel Soares Ferreira Doutorando em Fitotecnia – Universidade Federal de Viçosa (UFV) Dalyse Toledo Castanheira Doutora e professora na área de Cafeicultura...

Micronutrientes – nutrição adequada para o café

  André Guarçoni M. D.Sc. Solos e Nutrição de Plantas e Pesquisador/Incaper guarconi@incaper.es.gov.br Pouco se ouvia falar em deficiência de micronutrientes em lavouras de café. Realmente, os micronutrientes...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!