21.6 C
Uberlândia
terça-feira, abril 16, 2024
- Publicidade -
InícioTecnologiaPesquisa para produzir energia renovável avança

Pesquisa para produzir energia renovável avança

Programa BRAVE vai desenvolver protótipos para mecanizar plantio, colheita e rotas industriais de processamento para o etanol.

A Shell Brasil e o SENAI CIMATEC fecharam acordo de parceria nesta quinta-feira para iniciar nova fase do programa BRAVE (Brazilian Agave Development – Desenvolvimento de Agave no Brasil). O programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) pretende explorar o potencial do Agave como fonte de biomassa para a produção de etanol, biogás e outros produtos no sertão nordestino. A nova etapa do BRAVE prevê o desenvolvimento de tecnologias de mecanização para o plantio e a colheita (BRAVE Mec) e de processamento de diferentes espécies de Agave (BRAVE Ind). Ambas as frentes de atuação vão correr simultaneamente, ao longo de cinco anos.

Divulgação

A cerimônia de lançamento ocorreu em Conceição do Coité, município considerado ‘coração’ da região sisaleira da Bahia. Compareceram ao evento o vice-governador do estado, Geraldo Júnior; o gerente executivo do Senai CIMATEC, André Oliveira; o diretor da Agência de Inovação da UNICAMP, Renato Lopes, o presidente da FIEB, Ricardo Alban; o diretor da ANP, Daniel Vieira; e o gerente geral de Tecnologia e Inovação da Shell Brasil, Olivier Wambersie.

O SENAI CIMATEC se soma à parceria já firmada, desde novembro de 2022, entre a Shell e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para desenvolver soluções biológicas para aumento da produtividade do Agave (BRAVE Bio).

Com investimento de aproximadamente de R$ 100 milhões, o BRAVE é financiado pela Shell Brasil, utilizando recursos oriundos da cláusula de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e da EMBRAPII.

“Dentro da estratégia da Shell ‘Impulsionando o Progresso’ temos 4 pilares: gerar valor para acionistas, impulsionar vidas, respeitar a natureza e zerar emissão líquidas de carbono, e o BRAVE consegue entregar resultados em todos os pilares. É um projeto realmente diferenciado, inovador e transformacional” comenta Alexandre Breda, gerente de Tecnologia de Baixo Carbono da Shell Brasil.

Atualmente, a Shell Brasil investe cerca de R$ 600 milhões em projetos de Pesquisa & Desenvolvimento no país, sendo 30% dessa verba destinada a iniciativas para a transição energética, como no programa BRAVE.

ARTIGOS RELACIONADOS

Biofortificação: 16 vezes mais zinco nas folhas de alface

A salada pode ficar ainda mais saudável no prato do brasileiro. Alface com quantidade de zinco até 16 vezes maior nas folhas é o resultado de uma pesquisa desenvolvida no Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Digitalização no campo

O perfil do produtor rural brasileiro está cada vez mais favorável à adoção de novas ...

Silício no maracujá

O Brasil é o maior produtor mundial de maracujá, com produção em torno de 593 mil toneladas ...

IHARA anuncia tecnologia poderosa contra o bicudo do algodoeiro

Considerado a principal praga dos algodoeiros nas Américas, o bicudo pode reduzir em até 70% da produtividade da pluma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!