23.3 C
São Paulo
sexta-feira, julho 1, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Pragas e doenças da mangueira

Pragas e doenças da mangueira

Crédito: Embrapa Semiárido

Givago Coutinho
Doutor em Fruticultura e professor – Centro Universitário de Goiatuba (UniCerrado)
givago_agro@hotmail.com

A expansão das áreas de cultivo, a exemplo da região Nordeste brasileira, sobretudo do Submédio São Francisco, provocou alterações no agroecossistema da mangueira e favoreceu a ocorrência de problemas de ordem fitossanitária.
Outro fator que também tem favorecido o surgimento de problemas fitossanitários são práticas não adequadas de manejo. Estes fatores aumentaram a ocorrência de pragas e doenças na mangicultura e, com isso, perdas na produção.
São relatadas na literatura cerca de 260 espécies de insetos e ácaros como pragas de maior ou menor importância para a mangueira. As doenças fúngicas e bacterianas são as mais importantes, não sendo relatadas doenças importantes ocasionadas por vírus e similares, ou mesmo por nematoides.
As pragas podem ocasionar danos principalmente a frutos, folhas, inflorescências, brotações, ramos e troncos. Já as doenças afetam preferencialmente as flores e os frutos e com isso ocorre a diminuição da quantidade produzida, além do comprometimento da qualidade dos frutos.

Classificações

As pragas que ocorrem na agricultura podem ser classificadas em pragas-chave ou principais, pragas secundárias e pragas esporádicas. A primeira é considerada aquela que frequentemente provoca danos econômicos, além de exigir medidas de controle.
Praga secundária é aquela que, mesmo ocasionando danos à cultura, em condições mais raras leva a danos econômicos. Há, também, as pragas consideradas esporádicas ou ocasionais, que podem causar danos em áreas localizadas em um determinado período.
Esta classificação entre praga-chave ou secundária é variável, podendo haver uma inversão entre aquelas que se tornam de importância econômica em função de mudanças em práticas culturais e uso indiscriminado de agrotóxicos.

Pragas

As principais pragas, ou seja, aquelas que acarretam maiores danos à mangicultura, são as moscas-das-frutas, pois além de sua importância econômica, também são pragas quarentenárias, ou seja, por estarem presentes em outros países ou regiões acabam constituindo uma ameaça à economia do país exposto.
Dentre as espécies de moscas-das-frutas de maior importância estão Anastrepha obliqua Macquart (Diptera: Tephritidae), por ser considerada mundialmente a “mosca-da-manga”, e a Ceratitis capitata Wied. (Diptera: Tephritidae), por estar amplamente disseminada e presente em praticamente todas as regiões do País.

Além destas, outras pragas consideradas dentre as principais pragas da mngueira são:

Tripes (Selenothrips rubrocinctus (Giard, 1901) (Thysanoptera: Thripidae)) e Frankliniella schultzei (Trybom) (Thysanoptera: Thripidae)).

Mosca-da-panícula (Erosomyia mangiferae Felt (Diptera, Cecidomyiidae)).

Ácaro (Aceria mangiferae Sayed, 1946 (Acarina: Eriophyidae)).

Cochonilhas (Aulacaspis tubercularis Newstead (Hemiptera: Diaspididae) e Pseudaonidia trilobitiformis (Green, 1896) (Hemiptera: Diaspididae).

Broca-da-mangueira (Hypocryphalus mangiferae (Coleoptera: Curculionidae), vetor da doença conhecida como seca-da-mangueira.

Doenças

Na mangicultura, as doenças consideradas mais importantes são:

Antracnose (Colletotrichum gloeosporides), que ocorre em ramos, folhas, frutos e inflorescências, ocasionando queda prematura de frutos e perdas na qualidade do produto final.

Seca-da-mangueira (Ceratocystis fimbriata), cuja infecção pode ocorrer através da copa ou raízes, disseminada principalmente por um coleóptero, da espécie Hypocryphalus mangiferae (Coleoptera: Curculionidae).

Morte descendente (Botryodyplodia theobromae = Lasiodiplodia theobromae), cujos sintomas são observados pela produção de exsudados gomosos de coloração clara a escura e pode levar a planta à morte.

Mancha-angular (Xanthomonas campestris pv. Mangiferai indica), que pode ocorrer tanto em frutos quanto em folhas. É detectada pela presença de manchas aquosas e quando ocorre no pedúnculo, causa a mumificação e queda dor fruto.

Embonecamento ou malformação (Fusarium subglutinans), no qual as plantas podem apresentar ou não sintomas, que consistem na má formação das inflorescências e as brotações vegetativas da mangueira.

Prejuízos

As moscas-das-frutas, pragas-chave da cultura, causam danos diretos à produção e também dificultam a exportação de frutos ao natural para países que impõem barreiras quarentenárias.
No caso das doenças, devido aos órgãos da mangueira mais afetados pelas doenças serem as flores e os frutos, acaba havendo uma diminuição na produção, além de perdas na qualidade do produto final.

Inicio Revistas Hortifrúti Pragas e doenças da mangueira