Prevenção e combate aos incêndios florestais

0
61
Incêndio – Foto: Divulgação

Campanha é realizada pela Associação Mineira da Indústria Florestal (AMIF) e será lançada oficialmente em live no dia 24/06/21

Mais de 20 instituições representantes dos setores público e privado se uniram em apoio à campanha de prevenção e combate aos incêndios florestais em Minas Gerais realizada pela Associação Mineira da Indústria Florestal (AMIF). A campanha deste ano aborda os danos diversos causados por esses incêndios na sociedade através da mensagem “Não é só a floresta que queima: vidas, fauna, biodiversidade e dignidade do homem do campo também queimam”. A mensagem é uma referência às vidas de bombeiros e brigadistas perdidas durante o combate ao fogo em ocorrências no estado, morte de animais, degradação do ecossistema, além de diversas queimas de áreas rurais que afetam diretamente o produtor agrícola e sua subsistência. 

“É imprescindível essa atuação multisetorial para alarmar sobre um tema tão importante. Ano após ano, Minas Gerais se configura como um dos estados da União que mais queimam florestas, tanto florestas plantadas, quanto florestas nativas. Isso nos causa uma indignação muito grande. O que a AMIF pretende é disseminar essa indignação entre os vários setores da sociedade para que ações concretas sejam geradas a fim de transformar essa realidade dos incêndios. O mineiro tem tradição e vocação em cultivar árvores. As florestas cultivadas estão em 94% do território do estado. E eu quero acreditar que esse mesmo mineiro que planta árvores para um futuro melhor, para a sua subsistência, como atividade econômica ou para fins de conservação, também se torne um indignado com os incêndios. Quanto mais instituições e pessoas apoiarem a divulgação da campanha, mais rápido poderemos vislumbrar um novo cenário para Minas Gerais”, afirma a Presidente executiva da AMIF, Adriana Maugeri. 

As ocorrências de incêndios florestais registradas pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais em 2020 alcançaram máxima histórica se comparadas com o período desde 2015. Foram 20.741 atendimentos no total, sendo a maior parte deles entre os meses de julho a setembro. As regiões Sul, Triângulo e Norte também registraram máxima histórica no número de ocorrências em 2020 se comparadas com os últimos 5 anos: foram 5.304, 5.013 e 955 atendimentos, respectivamente. Em relação às Unidades de Conservação em Minas Gerais, mais de 42 mil hectares foram queimados no ano anterior durante 583 incêndios dentro e no entorno dessas áreas, de acordo com o Instituto Estadual de Florestas (IEF).

“2020 foi um ano crítico, principalmente em decorrência das condições climáticas. Um ano mais seco, com mais dias consecutivos de baixa umidade, como foi em 2020, tende a ter uma área maior atingida pelos incêndios. Um ponto importante é que 99% dos incêndios são provocados pelo homem, sendo que boa parte desses, infelizmente, de forma intencional. Precisamos muito do apoio da população para fazer as denúncias de forma que possamos averiguar e punir essa pessoa, esse criminoso”, explica o Diretor geral do IEF, Antônio Malard. 

Provocar incêndios florestais de forma intencional ou por acidente é crime ambiental previsto na Lei Nº 9.605/98 e pode levar à pena de detenção e multa. A campanha de prevenção e combate aos incêndios florestais em Minas Gerais da AMIF convoca a população a denunciar essa prática pelos telefones 193 (Corpo de Bombeiros), 0800 283 2323 (IEF) e 0800 061 8080 (Ibama). Vídeos, podcasts, redes sociais, outdoor, faixas e outras peças gráficas reforçam esse apelo à denúncia de forma a conscientizar as pessoas a respeito do problema.

Como prevenir incêndios florestais

Os incêndios florestais podem ser evitados com atitudes simples:

  • Não atear fogo sem autorização;
  • Evitar fumar em locais com vegetação seca e não jogar pontas de cigarro ou fósforo próximo a essas vegetações e em estradas;
  • Não acender fogueiras em áreas próximas à vegetação, nem manipular outras fontes de calor como velas ou incenso nesses locais;
  • Optar por formas alternativas de uso do fogo para a limpeza de terrenos, como roçada manual ou uso de máquinas.

O lançamento da campanha

A campanha de prevenção e combate aos incêndios florestais em Minas Gerais será lançada oficialmente pela AMIF no dia 24/06/21, às 17h00, em uma live com a participação de diversas autoridades do estado:

  • Presidente da AMIF, Adriana Maugeri
  • Superintendente do Ibama em MG, Ênio Fonseca
  • Assessor especial do Governo de Minas Gerais, Coronel Carlos Henrique Guedes
  • Secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad), Marília Melo
  • Diretor geral do IEF, Antônio Malard
  • Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Patrimônio Cultural, Habitação e Urbanismo (CAOMA) do Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), Dr. Carlos Eduardo Ferreira Pinto
  • Chefe do Estado-Maior do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, Coronel Erlon Dias do Nascimento Botelho 

Outros 3 lançamentos da campanha serão realizados em lives na sequência com participações de autoridades em regiões mineiras onde os índices de incêndios alcançaram máxima histórica no ano anterior: 01/07/21 às 17h00 (região Norte); 09/07/2021 às 17h00 (região do Triângulo Mineiro); e 14/07/21 às 17h00 (região Sul).

Onde assistir às lives

Todas as lives podem ser acompanhadas pelos canais:

Perguntas e comentários podem ser enviados previamente aos participantes das pelo email: comunicacao@amif.org.br ou pelo whatsapp: (31) 98718-7830.

A AMIF

A Associação Mineira da Indústria Florestal (AMIF) representa os produtores de florestas cultivadas com a finalidade de extração da madeira de forma sustentável, além de representar os consumidores de produtos e subprodutos florestais.  Mais de 20 empresas são associadas à AMIF, entre produtoras de carvão vegetal, papel, celulose, painéis e chapas de madeira, além de TIMOS florestais (Timber Investment Management Organization).

Minas Gerais é o maior produtor de florestas cultivadas do Brasil e líder mundial em produção e consumo de carvão vegetal. As florestas cultivadas também se consolidaram como a maior cultura agrícola do estado com 2,3 milhões de hectares de área de produção de florestas e mais de 1,3 milhão de hectares de áreas nativas conservadas em 2020. A cada 1 hectare de floresta cultivada, 0,6 hectare de floresta nativa é conservada, seja em Áreas de Preservação Permanente (APPs), Reservas Legais (RLs), Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) ou programas de restauração de áreas degradadas.