15.2 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasProdução de melancia tem aumento com uso de irrigação

Produção de melancia tem aumento com uso de irrigação

Divulgação

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2021 informam que a produção brasileira de melancia foi de 2,1 milhões de toneladas e ocupou cerca de 92 mil hectares, tendo uma produtividade média de 23,30 ton/ha. Diz ainda que as principais regiões produtoras de melancia do país são: Nordeste (37%), Sul (17%Centro Oeste (17%)Conforme o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), 108 mil toneladas, foram exportadas para a Europa e países do Mercosul. 

A melancia é uma cultura que prefere temperaturas mais elevadas, algo em torno de 30º. Onde faz frio, o produtor só consegue produzir uma safra por ano entre os meses de outubro e março. Nas regiões mais quentes, como Goiás e Mato Grosso, o produtor consegue plantar o ano inteiro. Por essa razão, conforme explica o especialista agronômico da Rivulis, Marcus Domingos, o uso de um sistema de irrigação bem dimensionado, permite ao produtor rural, plantar o ano inteiro, e ter ganhos de cerca de 8 toneladas a mais por hectare. De acordo com ele, uma das principais vantagens da irrigação, principalmente em Goiás, durante os meses de abril e setembro, é que há poucas chuvas e as temperaturas caem razoavelmente. Assim e com o gotejo, o produtor conseguirá produzir uma melancia de excelente qualidade para exportação. Na cidade de Uruana – GO, por exemplo, por se utilizarem da irrigação, muitos produtores conseguem ter frutos nos meses de setembro e outubro e, por isso, exportam melancia para a Argentina, conquistando um bom mercado.

Domingos afirma que a irrigação é quase uma obrigação para produtores de regiões mais quentes. No caso de Goiás e Bahia, é difícil encontrar alguém que plante sem utilizar a irrigação por gotejamento na melancia. “Mesmo no período chuvoso, é interessante ter um sistema de irrigação para garantir a produção e evitar depender das chuvas”, assinala e acrescenta: “hoje, por exemplo, produtores conseguem colher mais de 30 t/ha com a irrigação”, afirma. O especialista assegura que a irrigação dá a estabilidade. Com a irrigação o produtor sabe que vai conseguir colher. Sem a irrigação, ele prejudica o florescimento e a polinização das futuras melancias. “Dependendo da temperatura e da umidade do solo, eu posso até perder a safra e aumentar o meu endividamento”, diz. 

O agrônomo assegura que para obter esses bons resultados é preciso ter um bom projeto de irrigação e que ela seja por gotejamento. Assim, esse sistema vai “alimentar” a fruta de forma correta, na quantidade certa e até entregar os fertilizantes e defensivos químicos, diretamente na raiz da planta. A Rivulis tem o tubo gotejador mais usado para melancia que é o D1000 com fenda, que permite aplicar água bem perto das raízes das plantas, sem molhar as folhas e o tubo ainda “fecha” após a irrigação evitando a entrada de sujeira.

Outra ferramenta muito boa na produção de melancia é o Manna. Essa tecnologia pode ser instalada em áreas acima de 1 ha, sem a necessidade de se instalar sensores e ainda auxilia o produtor na tomada de decisões. Um complemento do Manna são as imagens de satélite quase diárias. Com as imagens o produtor pode identificar problemas na irrigação e áreas afetadas por diversas doenças. Assim, o produtor poderá tomar uma decisão rapidamente, tendo em vista que a melancia começa a produzir com 100 dias. “É o gerenciador de irrigação mais eficaz que existe no momento, com alta precisão de informação, permitindo o controle à distância, aumentando a eficiência na tomada de decisão e da gestão”, finaliza o agrônomo.

ARTIGOS RELACIONADOS

Vira-cabeça pode causar prejuízos de100% à alface

  Addolorata Colariccio Pesquisadora científica, doutora/Laboratório de Virologia Vegetal/ Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Vegetal/ Instituto Biológico colariccio@biologico.sp.gov.br A doença conhecida como vira-cabeça, que pode ser...

Encontro Nacional das Cooperativas Agropecuárias traz painel sobre Agricultura 4.0

O Encontro Nacional das Cooperativas Agropecuárias (ENCA), um dos eventos mais importantes e tradicionais do agronegócio do país, que acontece em Campinas, nos dias 4 e 5 de junho de 2019, traz uma programação ampla e palestrantes renomados e experientes na área do agronegócio, que contarão os desafios e como têm obtido êxito diante do emaranhado de informações e inovações que surgem numa velocidade sem igual. Entre os assuntos abordados está a Agricultura 4.0, baseada na produção digital.

Plantio mecanizado garante maiores índices de precisão

Carlos Eduardo Silva Volpato Doutor em Máquinas e Mecanização Agrícola e Florestal e professor do Departamento de Engenharia da Universidade Federal de Lavras(UFLA) volpato@deg.ufla.br Larissa Natasha de...

Como alcançar alta produtividade da beterraba?

Para se obter alta produtividade, o primeiro ponto corresponde à preparação do solo, que devem ser bem drenados e de textura pouco argilosa. Além disso, deve-se realizar a análise quí­mica do solo e uma adubação adequada para a cultura, para que não ocorra desbalanço e deficiência nutricional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!