24.6 C
Uberlândia
sábado, junho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasProdutor adota biotecnologia e eleva qualidade dos grãos de café

Produtor adota biotecnologia e eleva qualidade dos grãos de café

Situada na cidade de Batatais (SP), que tem pouco mais de 62 mil habitantes e fica a cerca de 40 km de Ribeirão Preto, a Fazenda Recreio produz café há aproximadamente 30 anos e conta com diversas variedades do grão. Hoje é administrada pelo produtor rural Luís Fernando Soares de Mello e sua família.

O significado do nome Batatais é pitoresco. Uma das versões diz que os bandeirantes teriam encontrado por aqui extensas plantações de batatas roxas. Outra versão conta que havia índios na região e Batatais deriva de “baitata”, que segundo alguns historiadores locais significa em tupi “rio cascateante entre pedras”, referência às  belezas naturais da região.

A área onde fica localizada a Fazenda Recreio é conhecida, principalmente, pelo cultivo da cana-de-açúcar. No entanto, a propriedade se destaca por ter como principal atividade a cafeicultura, além da criação de gado. De um total de 280 hectares, 90 são utilizados para a produção de café. 

Com o intuito de aprimorar o negócio cafeeiro em sua propriedade, Luís Mello conta que há três anos procurou a Superbac, adquiriu a linha de fertilizantes biotecnológicos da marca e realizou o primeiro teste utilizando os produtos em um talhão do grão Bourbon, altamente consumido em diversos países. 

Segundo detalha o agricultor, ele utilizou na mesma lavoura um adubo químico e o fertilizante biotecnológico, o que permitiu comparar os resultados. E chegou à seguinte conclusão: o adubo químico tornava seu solo bem ácido. Já o fertilizante biotecnológico conseguiu diminuir essa acidez pela metade. 

LEIA TAMBÉM:

Mudanças trazem obrigações e benefícios para o mercado de café
Exportação brasileira de café soma 3,4 milhões de sacas em setembro

Mais qualidade com a biotecnologia

O uso dos fertilizantes biotecnológicos da Superbac também permitiu ao produtor rural perceber outros quatro aspectos favoráveis: 1) a lavoura do café se tornou mais robusta, cheia e viçosa; 2) o administrador da fazenda disse que usava duas toneladas de calcário por hectare para diminuir a acidez do solo e, com o uso do fertilizante biotecnológico, conseguiu diminuir essa quantidade pela metade; 3) os grãos de café melhoraram muito, pois o solo absorve melhor os nutrientes, o que gera um fruto mais doce e, consequentemente, um café de melhor qualidade; 4) percebe-se também uma maior preservação da microbiota do solo.

Divulgação

Em razão da boa qualidade dos grãos de café, ele conseguiu conquistar um novo mercado: a Alemanha. “Esse café que exportamos para a Alemanha é o despolpado (o grão é seco descascado, e depois passa pelo processo de retirada da polpa, por meio de uma imersão em um tanque de água). Além da exportação, estamos vendendo também os grãos para diversas cafeterias especiais aqui no Brasil. A qualidade é um fator muito importante para a exportação no mercado de cafés especiais”, ressalta Luís Mello.

Importante salientar que todos esses fatores positivos estão ligados à utilização da linha Supergan, da Superbac. Os fertilizantes Supergan são elaborados por meio de processos naturais e inovadores, combinam condicionador biológico de solo rico em bactérias (com tecnologia Smartbac, de “bactérias inteligentes”), com macro e micronutrientes. É essa combinação que proporciona o reequilíbrio do solo, gerando um ambiente adequado para o desenvolvimento das raízes e plantas.

Suporte técnico para testes e manejo adequado dos produtos

Luís Mello/Divulgação

Além da qualidade dos produtos, Luís Mello destaca o atendimento e suporte técnicos fornecidos pela Superbac. “Tivemos uma ótima assistência da empresa, que realizou as análises do solo e foliar nas áreas onde o fertilizante Supergan estava sendo utilizado e ajudou a fazer a comparação com as áreas em que era usado somente o adubo químico”, afirma.

Para o produtor, o acompanhamento que recebeu por parte da empresa lhe deu mais segurança para o uso dos produtos. “Comecei colocando o fertilizante em uma pequena parcela da lavoura, depois em metade, e, hoje em dia, já utilizo os produtos da Superbac na plantação inteira. Por isso, recomendo o uso dos produtos para quem quiser testar”, finaliza.

ARTIGOS RELACIONADOS

Adubação com silício garante mais resistente às pragas no milho safrinha?

AutoresLetícia Galhardo Jorge Bióloga e mestranda em Botânica - IBB/UNESP leticia_1307@hotmail.com Bruno Novaes Menezes Martins Engenheiro agrônomo, doutor em Horticultura - FCA/UNESP e professor...

Tratamento de sementes: por que ele é importante para implementação da soja?

O tratamento de sementes é uma prática que está no mercado desde 1981, logo, completando 41 anos de existência e sem prazo de validade, pois embora o conceito teórico da prática permaneça, está em constantes inovações.

Novidade – Sensor de solo oferece maior precisão

Na Agricultura de Precisão, os sensores de solo têm sido eficientes ferramentas, pois conseguem oferecer mais parâmetros além da análise de solo, bem como...

Expocacer lança café vencedor de concurso na Specialty Coffee Expo, nos Estados Unidos

Com intuito de apresentar os melhores cafés que o Brasil e o Cerrado Mineiro têm a oferecer, enfatizando a produção de grãos especiais por...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!