13.6 C
Uberlândia
quarta-feira, maio 29, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosProdutores de cana comprovam resultados com manejo biológico

Produtores de cana comprovam resultados com manejo biológico

Rentabilidade pode ser até três vezes superior na comparação com a soja.

Renato Delarco
Engenheiro agrônomo – ESALQ/USP e produtor rural
renato.delarco@gmail.com

Atualmente, o manejo biológico está aumentando entre os produtores de cana-de-açúcar, especialmente com bactérias do gênero Azospirillum, cuja capacidade é de fixar N2 e induzir as plantas à produção de hormônios vegetais.

Crédito: Shutterstock

Outras bactérias em evidência no mundo canavieiro são as de liberação de fósforo, com cepas pertencentes a vários gêneros. Atualmente, também muito utilizado no setor canavieiro são os Bacillus para o controle de nematoides.

Existem outros tipos de controle biológico que, aplicados ao solo, atuam tanto no controle biológico de pragas e doenças como também na atividade nutricional das plantas.

Todos estes produtos possuem sustentabilidade econômica, pois têm demostrado, ao longo dos anos, sua eficiência na cultura da cana-de-açúcar, sendo estes dados mensurados em trabalhos técnicos científicos com excelentes resultados, tanto do ponto de vista agronômico quanto econômico.

Composto organomineral

O uso do composto organomineral em profundidade, conhecido como condicionador de solo, tem apresentado resultados favoráveis na microbiota do perfil, assim como na estrutura física.

Por meio de tensiômetro, conseguimos comprovar menor compactação do solo onde o mesmo foi incorporado. Também temos resultados químicos com avaliações estatísticas quanto à melhora da qualidade química deste solo.

Assim, conseguimos montar o tripé da sustentabilidade, ou seja, melhoria da qualidade biológica, física e química, comprovada por diversas análises, juntamente com resultados em colheita mostrando um aumento de toneladas colhidas por hectare (TCH).

A técnica busca, também, o aumento da longevidade destes canaviais, superando as adversidades climáticas.

Custo x retorno

Atualmente, o manejo biológico nas lavouras de cana-de-açúcar tendo se mostrado tecnicamente eficiente. Quando comparado a diversos defensivos químicos, seu custo tem sido menor.

Também observamos a questão de emissão de CO2, em que o manejo biológico pode contribuir, podendo garantir ganhos financeiros, como os CBIOS, aos produtores de cana.

Impacto ambiental

A substituição de insumos químicos por biológicos tem contribuído para a agricultura, pois o custo destes últimos, atualmente, é inferior ao químico e com a mesma eficiência agronômica.

Proporciona, assim, um menor impacto ambiental, a exemplo do uso da bactéria do gênero Azospirillum em substituição parcial ao nitrogênio aplicado no solo.

Conhecimento é primordial

O principal desafio quanto ao uso do manejo biológico está na falta de conhecimento deste mundo invisível, e acreditar nas informações atualmente consideradas seguras, dadas por instituições de pesquisas.

Hoje, várias instituições de pesquisas e empresas do setor disponibilizam pesquisadores e técnicos do setor de microbiologia de solo para capacitarem os produtores agrícolas sobre manejo biológico em todos os níveis de conhecimento.

Com este aporte de conhecimento, o setor agrícola está conseguindo interagir neste mundo invisível aos olhos humanos, e aproveitar seus benefícios.

Agroecossistemas

Com o aumento do uso de produtos biológicos em substituição aos químicos, como nitrogênio, fósforo, nematicidas químicos, etc. o equilíbrio destes solos tem melhorado muito.

Os resultados são vistos no aumento de produtividade da lavoura de cana-de-açúcar, e a resistência a várias doenças e pragas. Com o advento de analises biológicas aplicadas ao campo, podemos demostrar que o equilíbrio deste solo tem nos apresentado uma melhora da saúde que até então estava deficitária.

Em resumo, a atividade microbiológica está a pleno vapor.

Oportunidades de mercado

A palavra atualmente em alta é sustentabilidade. Com esta prática, conseguimos rastrear nossa cadeia produtiva, mostrando ao consumidor final que estamos ambientalmente corretos, contribuindo para o meio ambiente, com a redução de carbonos emitidos na atmosfera, ou seja, produzimos produtos sustentáveis.

O manejo biológico na cana-de-açúcar, tem se alastrado. Na reforma dos canaviais, atualmente plantamos soja ou amendoim. O conhecimento adquirido na cultura da cana está, inclusive, sendo levado aos plantios desses grãos.

ARTIGOS RELACIONADOS

Controle e manejo biológico são as armas contra nematoides

Controle e manejo biológico são as armas do presente e do futuro contra nematóides, projetam especialistas no 38 CBN

Alternativas no manejo da ferrugem e cercosporiose em cafeeiro

O café (Coffea spp.) é uma cultura de grande importância no cenário internacional, e o Brasil se destaca como maior produtor e exportador mundial.

Manejo nutricional do chuchuzeiro

Originário da América Central, sobretudo do México, no qual era cultivado pelos astecas, o chuchuzeiro (Sechium edule (Jacq.) Swartz), família Cucurbitaceae, teve seu cultivo disseminado para diversas regiões do planeta, estando presente nos cultivos de vários países (Domingues et al., 2011).

Manejo rápido é decisivo para evitar danos maiores em cafeeiros atingidos por granizo

Danos em plantas são porta de entrada para problemas fitossanitários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!