25.6 C
Uberlândia
domingo, junho 23, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesPrograma Global de Agricultura de Baixo Carbono BASF registra avanços e projeta...

Programa Global de Agricultura de Baixo Carbono BASF registra avanços e projeta ações para 2023

Divulgação

Segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura), a agricultura é responsável por cerca de 17% das emissões globais de gases de efeito estufa e, por isso, práticas agrícolas eficientes em carbono contribuem significativamente para combater mudanças climáticas. A Divisão de Soluções para Agricultura da BASF busca apoiar produtores em sua jornada rumo ao aumento da eficiência e, assim, cumprir o compromisso de apoiar a redução de 30% da pegada de carbono por tonelada de grão produzido em cultivos selecionados até 2030.

O Programa Global de Agricultura de Baixo Carbono da BASF nasceu como uma ferramenta de incentivo financeiro aos agricultores para acelerar a materialização do nosso compromisso de sustentabilidade. Para tanto, a BASF apoiará por meio de xarvio®, marca global de Agricultura Digital da empresa, a geração de créditos de carbono, que criarão receita adicional para incentivar os agricultores a adotarem as intervenções sustentáveis propostas pelo Programa, tais como soluções químicas e biológicas inovadoras de proteção de cultivos, agricultura de precisão e gestão de nitrogênio.

Cerca de um ano após o seu anúncio, o Programa já registra avanços ao redor do mundo e projeta os próximos passos em 2023. Um exemplo é o anúncio de cooperação entre BASF e Boortmalt, principal fornecedor mundial de cevada malteada. O projeto, em fase inicial, é o primeiro marco do Programa Global de Agricultura de Baixo Carbono da BASF e apoia a meta da Boortmalt de reduzir suas emissões indiretas na cadeia de valor de cevada na Irlanda.

“Nossa colaboração é uma prova de que mitigar os efeitos das mudanças climáticas e gerar valor para a agricultura podem andar de mãos dadas. É um importante avanço em nosso Programa”, afirma Camila Leonelli, gerente regional de Desenvolvimento de Negócios para Carbono da BASF.

Na América Latina, os planos começam pelo Brasil. Contando com a colaboração de parceiros locais, o projeto promove mitigação das emissões de gases de efeito estufa e sequestro de carbono no solo, gerando certificados que podem ser negociados no mercado voluntário.

Inicialmente com foco no sistema de cultivo soja-milho-algodão, o projeto permitirá que agricultores brasileiros se beneficiem da sinergia entre as tecnologias inovadoras da BASF, o poder da agricultura de precisão por meio da plataforma xarvio®, gestão de nitrogênio e intervenções de agricultura regenerativa.

“Além de apoiar os agricultores a reduzirem suas emissões de gases do efeito estufa e sequestrarem carbono no solo, buscamos simplificar ao máximo o seu acesso ao mercado de carbono. Facilitar o processo de medição, monitoramento e reporte é chave para destravar incentivos financeiros e acelerar a caminhada rumo à neutralidade de carbono na cadeia de valor de alimentos”, diz Camila. A gerente ainda acrescenta que colaboração e inovação são fundamentais para combater as mudanças climáticas. Irlanda e Brasil são exemplos de um modelo que será escalado para outras regiões.

ARTIGOS RELACIONADOS

Compensação de emissão de carbono

Comprometida em equilibrar a sustentabilidade do negócio à proteção do meio ambiente ...

BASF avança em soluções integradas para a agricultura

Expansão das inovações para um manejo mais eficiente das lavouras, reforçando a excelência em proteção de cultivos, biotecnologia e interpretação de dados.

Aumento de produção da soja é possível?

O desenvolvimento de tecnologias próprias permite ao Brasil, líder mundial na produção de soja ...

Coopercitrus democratiza acesso à Agricultura de Precisão

No estande da cooperativa, o produtor rural encontrará condições diferenciadas para a aquisição de insumos, máquinas e tecnologias para melhorar seus resultados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!