19.6 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosHortifrútiQual cenoura plantar no inverno?

Qual cenoura plantar no inverno?

O mercado consumidor brasileiro tem preferência por raízes de cenoura bem desenvolvidas, cilíndricas, com coloração alaranjada intensa, lisas e uniformes.

Foto Shutterstock

Orlando Gonçalves Brito
Engenheiro agrônomo, doutor em Produção Vegetal e pesquisador – Universidade Federal de Lavras (UFLA)
orlandocefet@yahoo.com.br

A cenoura é uma das principais hortaliças cultivadas no Brasil, destacando-se pelo seu sabor agradável e os elevados teores nutricionais. A hortaliça é rica em betacaroteno, substância percussora da vitamina A.
Assim, seu consumo permite o combate à deficiência desta vitamina, especialmente em crianças, evitando doenças relacionadas à visão, como a cegueira noturna. A planta é originária da Ásia Central e foi trazida para o Brasil pelos portugueses.
Atualmente, a área cultivada no Brasil ultrapassa os 20 mil hectares, com uma produção superior a 700 mil toneladas, destacando-se com umas das dez hortaliças de maior importância no país.

Demanda

O mercado consumidor brasileiro tem preferência por raízes de cenoura bem desenvolvidas, cilíndricas, com coloração alaranjada intensa, lisas, uniformes, de comprimento e diâmetro variando, respectivamente, de 15 a 20 cm e de 3,0 a 4,0 cm, e sem defeitos.

Exigências climáticas da cultura

A cenoura é uma planta de clima ameno, em que a temperatura é o fator limitante para a produção. De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa agropecuária (Embrapa), a temperatura afeta diretamente a germinação, que ocorre entre 8ºC e 35ºC, tendo como faixa ótima temperaturas entre 20ºC e 30ºC, em período compreendido entre sete a 10 dias após o plantio.
Temperaturas abaixo de 8ºC retardam a germinação, enquanto que acima de 35ºC praticamente a inibem.
Após a germinação, temperaturas entre 18ºC e 25ºC são consideradas ótimas para o bom desenvolvimento. Valores abaixo deste limite favorecem o alongamento das raízes, enquanto que acima de 25ºC prejudicam o crescimento e colocação das raízes.
Temperaturas acima de 30ºC reduzem o ciclo vegetativo da cultura e a produtividade de raízes. Altas temperaturas, associadas a elevadas condições de umidade, também favorecem a ocorrência de doenças, especialmente a queima-das-folhas.
Por outro lado, temperaturas mínimas noturnas próximas ou abaixo de 10ºC, associadas a dias longos, podem induzir o florescimento em cultivares de verão, que são mais sensíveis a essa desordem.
Ainda de acordo com a Embrapa, o florescimento da cenoura em condições de campo é comum, não sendo maior que 5% quando utilizada a cultivar adequada. Este florescimento mínimo não reflete prejuízos econômicos significativos para o produtor.
Com isso, o conhecimento adequado destas exigências é fundamental para a escolha adequada das épocas e locais de cultivo.

Grupos

Apesar de atualmente a cenoura de coloração laranja ser a mais comum, as mesmas podem ser divididas em dois grupos: Orientais/Asiáticas e Ocidentais. As cenouras orientais apresentam raízes de coloração vermelho/púrpura (presença de antocianina) ou amarela, com folhas pubescentes, e têm tendência ao florescimento precoce.
Por outro lado, as cenouras ocidentais são laranja, amarela, vermelha ou branca, com folhas menos pubescentes, e as plantas apresentam menor tendência ao florescimento, quando em exposição a períodos de baixa temperatura.

Épocas de cultivo

Basicamente, as épocas de cultivo da cenoura são definidas a partir das condições ambientais de cada local/estação do ano. A partir disso, são escolhidas as cultivares que melhor se adaptam a cada condição edafoclimática.
As cultivares de cenoura são divididas basicamente em dois grupos climáticos: a) cultivares de inverno e b) cultivares de verão.
As cultivares de inverno basicamente englobam as cenouras do grupo ‘Nantes’, que são de formato cilíndrico, cor alaranjada, comprimento variando entre 15 a 20 cm e 2,5 a 3,0 cm de diâmetro, porém, suscetíveis à queima-das-folhas e nematoides-das-galhas.
As cenouras de verão englobam as cultivares variantes da cultivar ‘Brasília’, desenvolvida no Brasil e adaptada ao cultivo de verão. Este tipo de cenoura possui raízes com formato ligeiramente cônico, comprimento entre 15 – 20 cm e 3,0 cm de diâmetro.
Há, também, as cenouras do grupo Kuroda, que também podem ser cultivadas no verão, porém, apresentam formato cônico de raízes, menos desejado pelo mercado brasileiro.

Tabela 1. Principais características dos grupos de cenoura disponíveis no Brasil.

Fonte: Embrapa

Conforme recomendação da Embrapa, a semeadura das cultivares de verão, de modo geral, vai de agosto a fevereiro em Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Paraná. Na região de Irecê (Bahia), a semeadura dessas cultivares é recomendada durante o ano todo. No Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, a recomendação é feita para os meses de outubro a fevereiro.
Para as regiões onde a semeadura de cultivares de verão não é recomendada durante o ano todo, como acontece no Nordeste, o uso de cultivares de inverno é necessário. A semeadura de cultivares de inverno é recomenda para os meses de março a julho em Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Paraná.
Para Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a recomendação é para os meses de março a outubro.
É importante destacar que, apesar das cultivares de verão serem tolerantes à queima-das-folhas, as cenouras de verão, pertencentes ao grupo ‘Brasília’, apresentam qualidade ligeiramente inferior às do grupo ‘Nantes’, recomendadas para cultivos no inverno.

Principais cultivares disponíveis

No Brasil existem diversas cultivares de cenoura registradas no Brasil, sendo que a escolha dependerá tanto das características exigidas pelo mercado (coloração e formato das raízes), questões relacionadas ao cultivo (resistência à doenças) quanto época de cultivo.
No Brasil, boa parte das cultivares adapta-se bem aos cultivos durante períodos amenos a quentes.

Genética

No caso das sementes híbridas, são uma ótima opção, principalmente para grandes produtores, pois apresentam custo elevado e geralmente são comercializadas em grandes quantidades.
Todavia, a produtividade das cenouras híbridas podem ser 40 a 70% maior que as cultivares convencionais.

Principais desafios para o cultivo de inverno

O Brasil é um país com grandes oscilações climáticas, o que pode limitar as áreas de cultivo da cenoura, especialmente as de inverno. Porém, este tipo de cenoura apresenta ótima qualidade, o que reflete em bons preços de comercialização.
Além disso, é importante que o produtor realize adequadamente os tratos culturais na lavoura, de forma que a cultura receba o mínimo de estresse possível, o que reflete em aumento de produtividade e qualidade de raízes.

ARTIGOS RELACIONADOS

Pepino holandês: Cultivo hidropônico garante benefícios?

Autores Júlio César Ribeiro Engenheiro agrônomo e doutor em Agronomia - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) jcragronomo@gmail.com Amanda Santana Chales Engenheira...

Controle biológico de nematoides beneficia hortaliças

  Rodrigo Vieira da Silva Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia e professor do IF Goiano " Câmpus Morrinhos rodrigo.silva@ifgoiano.edu.br Bruno Eduardo Cardozo de Miranda Engenheiro agrônomo, MSc. e...

Alerta – Bactéria causa queima das folhas da cebola

AutoresIgor Souza Pereira Doutor em Agronomia e professor – Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) igor@iftm.edu.br Márcia Toyota Pereira Doutora em Agronomia e professora...

Hortaliças pequenas e saborosas têm mais valor

Luis Felipe Villani Purquerio Pesquisador do Instituto Agronômico, Centro de Horticultura felipe@iac.sp.gov.br Paulo César Tavares de Melo Pesquisador da USP-ESALQ, Depto. Produção Vegetal pctmelo@esalq.usp.br   O mercado de hortaliças está sempre...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!