23.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosQuase o dobro do arroz produzido só com a metade da água

Quase o dobro do arroz produzido só com a metade da água

 

José Luiz TejonMegido

Conselheiro Fiscal do Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS), dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM e comentarista da Rede Estadão

 

Quase o dobro do arroz produzido só com a metade da água na irrigação - Crédito Miriam Lins
Quase o dobro do arroz produzido só com a metade da água na irrigação – Crédito Miriam Lins

Uma revolução, um exemplo do novo agronegócio de sustentabilidade intensiva. Vamos tratar da nova agropecuária, do novo agronegócio, esse que já está em transformação, disruptivo, inovador e que nos leva ao futuro. Tem gente fazendo coisas geniais que serão, em não mais do que três a cinco anos, a moda geral desse novo agronegócio de sustentabilidade intensiva. Os conhecimentos estão disponíveis no que existe: é gente, pessoas especiais que pegam e fazem.

Um exemplo sensacional eu conheci dias atrás. Imagine que o arroz irrigado é uma lavoura que exige uma verdadeira engenharia de hidráulica. Altíssimo consumo de água. A média da produção do melhor arroz irrigado brasileiro, do Rio Grande do Sul, apresenta 7.500 kg por hectare e consumindo 11.500 m3 de água.

Pois bem, um jovem inovador, o Marlon Marques, agrônomo e sócio de uma das maiores lavouras de arroz da América do Sul, produz 13.500 kg por hectare, quase o dobro da média brasileira, e com apenas 50% da água. Ele utiliza irrigação por gotejamento e com isso não precisa alagar toda a área, tirar a água de toda a área, e ainda mais, ele pode fazer na mesma área plantio direto de arroz e pode produzir outros grãos, como milho e soja, o que aumenta a segurança dos produtores, com a diversificação, além do modelo de sustentabilidade intensiva.

Esse modelo reduz o custo em 30% e permite preparar, plantar e colher cada hectare de arroz em apenas duas horas, contra oito horas de uso de máquina no modelo convencional.

Enquanto alguns olham no lado crítico da crise, outros olham na criatividade. É preciso tirar o “S“ da crise. Crie! Parabéns, jovem Marlon, um verdadeiro especialista em produção de arroz irrigado.

Essa matéria você encontra na edição de junho da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira a sua.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Fertilizantes organominerais – Resposta do tomateiro estaqueado ao Fertium® Phós

Walmir Magalhães - ATV Bio Soja Daniela Vitti - Coordenadora Técnica Brasil Paulemar Fernandes - Terra Agrícola, Caratinga (MG) Renato Brandão, Gestor Agronômico Bio Soja Daniel...

Importância do manejo nutricional com respaldo na análise foliar da batata

 Emanuel Alexandre Coutinho Pereira Consultor de Vendas HF da Agrozap, Uberaba (MG) Renato Passos Brandão Gestor Agronômico do Grupo Bio Soja Fernando Jardine Representante Técnico de Vendas do Grupo...

O solo ideal para o algodoeiro

Gilvan Barbosa Ferreira PhD em Solos e Nutrição de Plantas e pesquisador da Embrapa Algodão gilvan.ferreira@embrapa.br O algodoeiro é uma planta exigente em solos adequados para manifestar...

GEHAKA é a primeira fabricante de medidores de umidade de grãos a atender norma do Inmetro

  Fiscalização dos equipamentos deve começar durante este mês   Principal pilar de sustentação do PIB do Agronegócio brasileiro, a agricultura segue em ritmo constante de crescimento....

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!