27.6 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 19, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesVendas online no agronegócio: 4 coisas para analisar antes de começar

Vendas online no agronegócio: 4 coisas para analisar antes de começar

Investir na venda de produtos online é uma boa estratégia para todos os segmentos, inclusive no agronegócio, mas é preciso analisar algumas coisas antes de começar.

Imagem de Mirko Fabian / Pexels

As compras online têm representado cada vez mais um relatório de vendas de uma empresa, não é mesmo? Afinal, principalmente, depois da pandemia algumas pessoas mudaram o seu hábito de consumo. E isso vale para qualquer tipo de produto. Se você quer iniciar as vendas online no agronegócio, separamos quatro coisas para analisar antes de começar.

O Brasil é o pioneiro no ranking mundial quando o assunto é crescimento de vendas online. Segundo dados de um estudo do CupomValido, a expectativa de aumento é de 22%, em 2022, representando quase o dobro da média mundial.

Outro estudo, desta vez, realizado pela eMarketer, empresa de pesquisa de mercado, as vendas online, em 2022, chegariam, no mundo todo, ao número de mais de U$5 trilhões.

Este aumento se deve também pela facilidade de compra, já que o usuário irá escolher, comprar, pagar e receber sem precisar sair de casa.

Então, se você realizar vendas online no agronegócio, fique de olho em algumas coisas que você deve analisar antes de começar.

Dicas para começar vender online no agronegócio

Como mostramos acima, os números do e-commerce no Brasil só crescem e, por isso, independente do produto que você venda no agronegócio estar na internet é muito importante.

Contudo, é necessário analisar algumas coisas antes de começar o negócio. Saiba mais:

1 – Analise os seus concorrentes

Um dos primeiros passos que você dá quando vai iniciar vendas online no agronegócio é fazer uma análise dos negócios online dos concorrentes e ver como estão trabalhando, se eles fazem vendas através de site próprio ou utilizam marketplace.

Verifique como é a comunicação deles nas redes sociais, como são os valores, dentre outros detalhes. Existem ferramentas que podem te ajudar nesta empreitada.

Desta forma, você poderá traçar estratégias essenciais para o seu negócio.

2 – Escolha a plataforma que fará as vendas

Como citamos acima, na análise você irá avaliar como os seus concorrentes estão trabalhando e, com isso, você pode definir como será o seu formato de vendas online no agronegócio.

Claro, que as grandes empresas terão sites próprios com uma grande estrutura de entrega, mas se este não for o seu caso, não precisa pensar em desistir. Comece com plataformas pré-existentes e depois vá crescendo o seu negócio.

Existem alguns pontos que precisam ser analisados:

  • Qual é o valor que você tem para este investimento;
  • Você terá pessoas especializadas para cuidar destas vendas;
  • Como será a logística de entrega dos produtos;
  • Como os seus clientes estão acostumados a comprar: via site, aplicativo ou até mesmo por Whastapp;
  • Você terá condições de oferecer várias formas de pagamento?

A modalidade que você pretende atuar também pode te ajudar nesta escolha. São elas:

  • B2B (Business to Business): quando o negócio é feito entre empresas. Esta opção acontece mais entre empresas fornecedoras e os seus clientes que são pessoas jurídicas, por exemplo;
  • B2C (Business to Consumer): esta opção é a que estamos mais acostumados a consumir porque é quando o negócio acontece entre uma empresa e o consumidor final (pessoa física);
  • B2G (Consumer to Government): aqui será a sua escolha se a sua empresa for vender produtos apenas para o governo;
  • B2E (Business to Employee): já esta é apenas para marcas que vendem produtos para os seus funcionários;
  • C2C (Consumer to Consumer): esta opção é quando o consumidor vende para outro consumidor, desta forma, o e-commerce fica responsável apenas por realizar as transações.

Com todas estas questões respondidas, você já consegue decidir em qual plataforma irá começar a fazer as vendas. Lembrando que em todos os casos o ideal é que você tenha um domínio (URL) com o nome da sua empresa. Para isso, existem diversos lugares que vendem este serviço. 

No caso de site próprio, será necessário contratar profissionais especializados para a implementação que vai desde a criação do layout, programação site e conexão com as APIs de pagamento até a publicação da plataforma para que os seus clientes possam realizar as compras.

3 – Fique de olho no frete

O cliente que vai comprar online, além de conforto, muitas vezes, ele também não pode querer pagar muito caro no frete. Não adianta você fazer um esforço para baixar os valores dos produtos, se o frete é muito caro.

Por isso, oferecer várias opções e com valores atrativos pode atrair ainda mais consumidores para o seu negócio.

4 – Tenha estratégias de divulgação

Nenhuma marca tem um grande sucesso se não tiver uma estratégia de divulgação, não é mesmo? Pensando nisso, coloque no papel todo o formato de divulgação que será feito das vendas online no agronegócio para atrair clientes.

Invista em conteúdos especiais, criação de perfil nas redes sociais, mensagens por whatsapp de clientes já cadastrados, dentre outras ideias.

É bem importante tomar esses cuidados para não ter dor de cabeça durante as suas vendas online no agronegócio.

ARTIGOS RELACIONADOS

Sucessão familiar: Empresas agro e produtores rurais

A sucessão familiar em empresas do agronegócio assim como para os produtores rurais, ambos ainda que de pequeno porte, é uma questão que precisa ser planejada desde o início, preparando os familiares para todas as adversidades que possam surgir no meio do caminho.

Clube Agro aposta em tecnologia e soluções inovadoras

Primeiro programa de relacionamento multimarcas do agronegócio brasileiro conta com plataforma tecnológica robusta para atender público do agronegócio,

Inovação em sementes de soja

A soja é uma importante commodity brasileira, com produção de derivados ...

Agronegócio responde por 72% das exportações

O agronegócio segue como uma das grandes forças que movem a economia de Santa Catarina. No primeiro semestre de 2020, o setor respondeu por 72% das exportações catarinenses, com um faturamento que passa de US$ 2,87 bilhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!