14.9 C
Uberlândia
quarta-feira, julho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesDicas para conseguir o desempenho máximo do maquinário agrícola durante o plantio

Dicas para conseguir o desempenho máximo do maquinário agrícola durante o plantio

Orientação técnica correta e atenção à manutenção períodica garantem produtividade máxima do maquinário durante o plantio
Divulgação

A safra brasileira de grãos em 2021/2022 deve alcançar a marca de 271,8 milhões de toneladas, um aumento de 6,4% em comparação ao ciclo anterior, de acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Mas os produtores não têm tempo de comemorar esses bons números e já precisam planejar o plantio para a próxima safra. Os meses de outubro e novembro, na grande maioria das regiões brasileiras, abrigam a época de plantio para culturas de grande importância econômica ao nosso agro: milho, soja, feijão, arroz, e fora dos grãos, a cana-de-açúcar.

O início da plantação depende do clima típico de cada região e também de fenômenos meteorológicos que variam a cada ano, como por exemplo, o La Niña, que deve afetar lavouras no Brasil até o fim do ano. Para contornar todas essas adversidades, os produtores utilizam a tecnologia agregada aos maquinários agrícolas para garantir alta produtividade. Entretanto, o problema é que o mau uso, a falta de orientação técnica e alguns descuidos com a manutenção, fazem com que essas máquinas não entreguem 100% do que poderiam.

À convite da nossa reportagem, o gerente corporativo de agricultura de precisão da Pivot Máquinas Agrícolas e Sistemas Irrigação, José Henrique Castro Gross, traz seis dicas sobre o uso do maquinário agrícola durante o plantio. O grupo goiano, que possui lojas em Goiás, Minas Gerais, Bahia e Tocantins, é representante oficial no Brasil da Case IH, líder mundial em maquinário agrícola.

1- REGULAGEM CORRETA – Um erro bastante comum cometido ao se usar o maquinário nessa época de plantio é a falta de ajuste das passadas nas plantadeiras para grãos. A regulagem correta da plantadeira evita problemas como baixa germinação, falhas no estande, entre outros erros que prejudicam o desenvolvimento e a produtividade da safra. A dica do consultor é sempre seguir rigorosamente o que prevê o manual do maquinário e a medida que for fazer o plantio em outra área e de outro tipo de semente, conferir a regulagem correta.

2 – EQUIPAMENTOS COM TAMANHOS DIFERENTES – Outra dificuldade comum, segundo o José Henrique, é saber como colocar dois equipamentos de plantio com tamanhos diferentes para trabalhar na mesma área. O especialista da Pivot explica que se não houver a devida orientação técnica do fornecedor do equipamento, o problema pode trazer perda de área plantada e competição de plantas.

3 – CAPACITAÇÃO – Tenha o máximo de pessoas treinadas para operar as máquinas. Essa é outra dica dada por José Henrique, que também orienta o agendamento desse treinamento com a concessionária fornecedora, de preferência, um mês antes do início das operações de plantio. “É preciso capacitar todos os funcionários que ficam à frente do plantio, tanto operadores como coordenadores”, ressalta.

4 – ANALISE O SOLO ANTES – Para uma área que está sendo usada pela primeira vez para plantio ou após muito tempo sem uso, a orientação de José Henrique é buscar os serviços de um especialista para a emissão de um relatório sobre o solo. Segundo ele, um solo argiloso ou arenoso, por exemplo, pode influenciar na profundidade do plantio.  “Esse relatório técnico do solo é bastante importante para que o cliente tome decisões mais assertivas em relação a área, lembrando que quem vai definir onde melhorar a área será o cliente. Nós consultores de maquinário e o agrônomo iremos ajudá-lo a entender as informações geradas para que ele tome a decisão final”, explica. 

5 – CUIDADO AO MUDAR A CULTURA – Quando o produtor resolve mudar de cultura, o especialista da Pivot dá outra dica importante em relação ao uso do maquinário no período de plantio. “Nesse caso, é importante ficar atento ao tipo de disco de semente utilizado e demais ajustes de vácuo e distribuição da semente no solo”, pontua.

6 – MANUTENÇÃO EM DIA – Outra dica é para o momento de arar e adubar o solo. Nesse caso, a orientação é ficar atento ao estado dos discos e ajustes em relação ao trator, para poder evitar desgastes prematuros. Para isso, o especialista da Pivot explica que é fundamental estar com o calendário de manutenção do maquinário em dia. Ele ainda completa: “é preciso ficar atento à mecanização dos equipamentos, utilizar mapas tanto de taxa variável no momento da incorporação de solo para melhorar os nutrientes do solo”.

ARTIGOS RELACIONADOS

Edição Hortitec 25 Anos ratifica o empenho do setor em manter ritmo de crescimento

  Interessados nas novidades e focados em expandir a produção brasileira, 28 mil produtores e demais profissionais da horticultura mostraram que os negócios não podem...

Novo diagnóstico avalia o manejo do solo no sistema plantio direto

A Rede de Pesquisa SoloVivo busca desenvolver ferramentas para a avaliação do sistema plantio direto em propriedades rurais e microbacias hidrográficas. Seguindo este caminho...

Qual o correto manejo de pulgões na cultura do tomateiro?

Autores Dirceu Pratissoli Pesquisador - NUDEMAFI/ Depto de Agronomia - Centro de Ciências Agrárias e Engenharias/ UFES pratissoli@cca.ufes.br Regiane Cristina Oliveira de Freitas Bueno...

Exportação – por onde começa?

A exportação começa com um pedido, feito por um cliente no exterior; no qual ele especifica a fruta, a maturação adequada que ela precisa chegar no destino, os calibres, o tipo de caixa, o peso e demais informações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!