14.9 C
Uberlândia
quarta-feira, julho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosVigor da semente: busca constante do milhocultor

Vigor da semente: busca constante do milhocultor

Foto: CNA

Antonio Santana Batista de Oliveira Filho
Professor e coordenador do curso de Agronomia – Unibalsas
coord.agronomia@unibalsas.edu.br
Jefferson Carvalho Barros
Professor e Coordenador do curso de Agronegócio – Unibalsas
coord.agronegocio@unibalsas.edu.br 
Maiara Silva Costa
Acadêmica de Agronomia – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA)
costam@acad.ifma.edu.br

Dentre os fatores que contribuem para a expansão da área cultivada de espécies agrícolas como o milho, inserem-se os investimentos em pesquisas direcionadas à tecnologia e produção de sementes.

Sementes de qualidade são consideradas um dos fatores que mais contribui para o aumento da produtividade e qualidade da produção da cultura do milho. Dessa forma, a busca por sementes cada vez mais produtivas e com capacidade de adaptação às condições ambientais vem ganhando destaque. Para isso, busca-se um fator de extrema importância nas sementes: o vigor.

Qualidade fisiológica

A qualidade fisiológica das sementes é caracterizada pelo vigor e pelo percentual de germinação, que interferem diretamente no desempenho em campo. Diferenças de níveis de vigor das sementes de milho afetam todo o ciclo da cultura, desde o estabelecimento inicial até a produtividade.

Plântulas originadas de sementes com alto vigor possuem maior velocidade e uniformidade de emergência, proporcionando estabelecimento rápido da cultura, com maior velocidade nos processos metabólicos ligados ao início do desenvolvimento vegetal.

Porém, em condições encontradas em campo, que raramente são ótimas, apesar das boas condições físicas do solo, existem fatores que podem afetar o desempenho dessas sementes, ou seja, um mesmo lote de sementes com capacidade de germinação semelhante pode apresentar diferenças marcantes na porcentagem de emergência de plântulas, quando submetido a condições de campo.

Para isso iniciaram-se diversos estudos buscando adequar o vigor das sementes às condições de campo.

Genética

O vigor que as sementes apresentam é resultante da determinação parcial genética da planta, que por sua vez favorece a ocorrência de diferenças entre cultivares de uma mesma espécie.

Pode-se observar que em híbridos há maior ocorrência do controle genético do vigor em relação às plantas convencionais. Uma característica observada na genética dos híbridos, relacionada diretamente ao vigor de sementes, é a heterose, que traz ganhos em rendimento de grãos, floração precoce, maior número de folhas, plantas mais altas, maior perfilho, sementes com maior peso e número de sementes.

Os atributos genéticos, físicos, sanitários e fisiológicos são fundamentais no processo de produção de qualquer espécie vegetal multiplicada por sementes como o milho. Os fatores ambientais e a disponibilidade de nutrientes atuam na formação do embrião e dos tecidos de reserva, assim como na constituição química da semente, influenciando o seu vigor e a sua qualidade.

Em relação aos impactos na produtividade do milho, o vigor de sementes é de extrema importância, pois sementes com alto vigor irão gerar um estande uniforme de plantas, o que ocasionará o melhor crescimento e desenvolvimento da lavoura, gerando menos perdas de plantas e, consequentemente, maior produção.

Sementes de alto vigor podem aumentar consideravelmente a produção de milho, no entanto, é necessário que as condições de vigor estejam atreladas a condições favoráveis para o desenvolvimento das plantas, podendo-se citar: fertilidade do solo; quantidade de água disponível; características físicas do solo; manejo fitossanitário, dentre outros.

Influências negativas no vigor das sementes

O vigor das sementes sofre alterações de acordo com as condições ambientais mesmo antes que esta seja formada, pois condições climáticas que afetam o desenvolvimento e o florescimento da planta apresentarão reflexo sobre o vigor das futuras sementes.

Estes efeitos não são de fácil avaliação, principalmente se comparados com os que ocorrem na fase final do processo de maturação. Por isso, é de extrema importância que o milhocultor fique atento à produção das sementes, para não deixar que fatores ambientais interfiram no vigor das plantas.

Após a fertilização, os fotossintatos produzidos no sistema foliar translocam-se para a semente, garantindo o desenvolvimento da semente, sua capacidade de germinação e vigor.

Quanto maior a reserva de nutrientes na semente, maior será o vigor da plântula originada, assim como seu potencial de sobrevivência. Os fatores que afetam o desenvolvimento da semente e o acúmulo de reservas afetarão seu vigor.

Fique de olho

Foto: CNA

Outro fator de extrema relevância a ser considerado para a manutenção do vigor de sementes de milho é o armazenamento adequado dessas sementes. O armazenamento tem por objetivo principal conservar as sementes de plantas de valor econômico, preservando a qualidade física, fisiológica e sanitária, para posterior semeadura no ano seguinte.

Para tanto, é necessário um local apropriado, seco, seguro, passível de aeração e de fácil combate a roedores, insetos e microrganismos.

A temperatura e a umidade relativa do ar no local de armazenamento são os principais fatores que afetam a qualidade fisiológica da semente, em especial o vigor. A umidade relativa do ar controla o teor de água da semente, enquanto a temperatura afeta a velocidade dos processos bioquímicos.

Umidade é grande vilã

O nível de água nas sementes é em função da umidade relativa do ar. A umidade das sementes é a característica mais estreitamente associada à deterioração. Assim, o armazenamento deve ser conduzido de maneira a reduzir ao mínimo essa atividade.

A temperatura influencia diretamente na velocidade das reações bioquímicas, também acelerando a respiração e o desenvolvimento de microrganismos nas sementes. Portanto, o armazenamento adequado preserva o vigor das sementes de milho e mantém a qualidade para o plantio.

Não se engane

Os erros mais frequentes dos produtores rurais estão em adquirir as sementes de uma empresa sem certificação, o que pode resultar em sementes sem a qualidade desejada, ou sem a qualidade indicada pelo vendedor.

Isto resultará em um campo desuniforme, suscetível e de baixa produtividade.  O armazenamento também pode ser um entrave na perda de vigor das sementes, e deve-se ter bastante atenção durante esse processo.

Para que esse erro seja evitado, é necessário que o produtor procure sempre uma empresa com certificação, que tenha condições de garantir que as características indicadas irão refletir em campo e resultar em boas produtividades, quando manejada de forma adequada.

Em relação ao armazenamento, é necessário que o produtor busque armazenamento de qualidade das sementes, nas condições favoráveis de temperatura e umidade para manter a qualidade.

ARTIGOS RELACIONADOS

Inovação em sementes de soja

A soja é uma importante commodity brasileira, com produção de derivados ...

Sempre Agtech chega em Uberlândia

Unidade será utilizada para ampliar e acelerar o processo de melhoramento de híbridos da empresa e os avanços de seus eventos em biotecnologia.

Desalojante é nova ferramenta para o controle de pragas no milho

A fim de auxiliar os produtores neste momento de plantio da safrinha de milho, a Harvest Agro ...

Abertas as inscrições para o 1º Curso sobre Tecnologia de Armazenamento de Sementes e Grãos de Soja

O curso será realizado em agosto na Embrapa Soja. Não perca o prazo para as inscrições, que vai até 2 de agosto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!