14.9 C
Uberlândia
quarta-feira, julho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosZinco aumenta a produtividade da soja

Zinco aumenta a produtividade da soja

Foto: Shutterstock

Luana de Carvalho Catelan
luana.catelan@unesp.com
Alana Emanoele Pereira
ae.pereira@unesp.br
Engenheiras agrônomas e doutorandas em Proteção de Plantas – UNESP
Adriana Zanin Kronka
Engenheira agrônoma, doutora em Fitopatologia e professora – UNESP
adriana.kronka@unesp.br

A soja, uma das culturas de maior relevância no agronegócio brasileiro, é utilizada para diversas finalidades, sendo a principal no setor alimentício. Devido a sua variabilidade de uso, a soja apresenta alto valor econômico a nível nacional e internacional.

De acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento, na última safra 2021/22, o Brasil produziu cerca de 126 milhões de toneladas de soja e exportou 77,20 milhões de toneladas, se tornando, assim, líder mundial em produção e exportação do grão.

Para que essa posição seja mantida, é necessário um aumento no rendimento da cultura, que se dá pelo uso de tecnologias mais eficientes, planejamento nutricional e manejos adequados das áreas de cultivo.

Além das adversidades climáticas que podem limitar a produção do grão no País, a deficiência ou insuficiência de nutrientes necessários para o desenvolvimento da planta é outro fator limitante de produção.

Nutrição

Os macronutrientes, como nitrogênio, potássio e fósforo, são exigidos em maiores concentrações pela planta, enquanto os micronutrientes, como boro, zinco, manganês e molibdênio, são exigidos em menor quantidade.

Entretanto, sejam eles macro ou micronutrientes, quando considerados essenciais para o desenvolvimento da cultura, a deficiência de apenas um deles já faz grande diferença, podendo reduzir a produtividade final.

Zinco x produtividade

O zinco é um micronutriente requerido em pequenas quantidades pela planta, entretanto, sua disponibilidade faz toda a diferença na produção, pois este elemento está diretamente relacionado ao crescimento e formação dos grãos de soja.

Este micronutriente age na síntese de proteínas e no crescimento meristemático estando, então, envolvido nos processos bioquímicos da planta.

Para produzir uma tonelada de grãos de soja, a planta precisa absorver cerca de 60 g de zinco. Sendo assim, observa-se que a cultura da soja é exigente em zinco e pode ter sua produtividade reduzida, caso este micronutriente não seja disponibilizado à planta.

Além disso, a deficiência de zinco interfere nos processos de síntese de proteínas e regulação de hormônios, principalmente na auxina, que atua como regulador de crescimento, o que também resulta na redução da produção de grãos de soja.  

Estudos mostram que o zinco apresenta influência na produtividade da cultura da soja, sendo visível sua contribuição em alguns componentes de produtividade. A adubação com zinco é uma ferramenta importante que auxilia na obtenção desses altos índices de produção.

Sendo assim, é importante realizar a suplementação de zinco na cultura por meio da adubação no solo, foliar ou via tratamento de sementes, para que a planta não seja prejudicada devido à escassez do micronutriente e obtenha bom desenvolvimento e produtividade final.

Entretanto, vale ressaltar que, caso haja o desbalanço de outro nutriente no solo, a produtividade da cultura pode ser limitada.

Manejo de adubação

O zinco está presente na maioria dos solos, entretanto, nem sempre está disponível para as plantas. Geralmente, este micronutriente encontra-se adsorvido na argila de matéria orgânica, o que reduz sua disponibilidade.

Além disso, sua disponibilidade é afetada pelo pH do solo, estando disponível em soluções de solo com pH mais baixo. Outros fatores que agravam a disponibilidade de zinco são solos orgânicos, ricos em fósforo ou que recebem aplicação fosfatada elevada, além das condições de frio e umidade.

Foto: Shutterstock

Na região do Cerrado, onde a soja é cultivada em larga escala, os solos apresentam baixa fertilidade natural de zinco devido à sua rocha de formação, que sofreu um intenso processo de intemperismo, o que pode comprometer a produtividade da cultura. Dessa forma, utilizam-se práticas de adubação para suplementar este micronutriente para a planta, com a finalidade de não afetar seu desenvolvimento.

Recomendações

Antes de realizar a adubação do solo, deve-se fazer uma análise química do mesmo com a finalidade de verificar a necessidade do micronutriente e a quantidade ideal a ser aplicada, seguindo as recomendações para a cultura, para que não haja problemas com o excesso de nutrientes.

O zinco pode ser ofertado para as plantas por meio de fertilizantes, sendo o sulfato de zinco uma das fontes mais conhecidas.

A adubação com zinco via solo possui como objetivo aumentar os níveis do micronutriente no solo e, consequentemente, aumentar a produtividade da soja, caso os demais fatores de manejo e ambiente estejam de acordo com as exigências da cultura.

Além disso, é uma forma de correção lenta e gradual. Pode ser realizada a lanço, entretanto, neste sistema, ocorre um alto contato do nutriente com as partículas do solo, o que pode gerar uma alta adsorção e reduzir a efetividade do nutriente, principalmente em solos argilosos.

Para reduzir o contato do fertilizante com as partículas de solo, pode-se realizar a adubação no sulco de plantio.

Devido à baixa mobilidade do zinco no solo, é importante ressaltar que as plantas devem apresentar um sistema radicular vigoroso para que consigam alcançar o nutriente, que é absorvido pelas raízes e transportado para o colmo.

Por este mesmo motivo, caso tenham ocorrido sintomas de deficiência de zinco na planta, a aplicação em cobertura não dará bons resultados, pois o nutriente irá demorar ou nem chegará às raízes da planta para ser absorvido.

Adubação foliar

Como exposto anteriormente, a disponibilização do zinco para as plantas é facilitada em solos com pH mais baixo. Sendo assim, em áreas onde o pH do solo encontra-se próximo ou acima de 7, provavelmente a deficiência de zinco será manifestada nas plantas, refletindo negativamente na produtividade.

Neste caso, a aplicação de fertilizante via foliar é uma opção. A adubação foliar não substitui a adubação no solo, mas serve como um complemento, quando parte do nutriente já foi adicionado por meio de fertilizantes no plantio, ou para suprir a demanda da planta a determinado micronutriente.

A adubação foliar apresenta como vantagem a rápida absorção, o que gera uma resposta imediata da planta, aprimorando os processos fisiológicos e nutricionais na célula vegetal. Outras vantagens são a utilização de menor quantidade de fertilizante e a distribuição uniforme do mesmo na planta.

Além disso, a adubação foliar funciona como um estímulo fisiológico à planta, o que potencializa sua atividade fotossintética. Dessa forma, é a ferramenta mais eficiente para sanar e prevenir a deficiência de zinco na planta, conferindo maior produtividade.

Recomenda-se a realização da adubação foliar de zinco na cultura da soja após o aparecimento de sintomas de deficiência do micronutriente na planta, para prevenir determinados déficits nutricionais já esperados, para recuperar a planta de alguma situação de estresse ambiental ou por fitotoxidez.

Foto: Shutterstock

Cuidados

Ao realizar a adubação foliar com zinco, devem-se tomar alguns cuidados, desde a escolha do produto utilizado até a época de aplicação. Deve-se atentar, também, para a dose recomendada, visto que a aplicação de micronutrientes em doses excessivas pode ocasionar toxidez na planta.

Além disso, as condições ambientais devem estar favoráveis para a pulverização do produto, como temperatura, umidade relativa e velocidade do vento. Outro ponto importante é a adição de adjuvantes na calda de pulverização a fim de aumentar a aderência do produto nas folhas, fazendo com que permaneça por mais tempo e aumente, assim, a taxa de absorção.

Além disso, para que se tenha êxito na adubação foliar, é necessário verificar o pH da calda de pulverização, pois esta condição pode interferir na eficiência do produto.

Mitos e verdades

Um dos erros mais comumente cometido pelos produtores é utilizar a prática da adubação foliar como substituta da adubação de solo. Deve-se lembrar que essa técnica serve como um complemento à fertilização do solo, e quando ambas são realizadas corretamente, o retorno é certo.

Outro erro comum é a realização da adubação foliar juntamente com outras operações de manejo, como controle de plantas invasoras ou doenças, misturando o fertilizante foliar com fungicidas e herbicidas.

Recomenda-se a utilização de produtos de boa qualidade, com a formulação ideal, para que haja acréscimo de pelo menos três a quatro sacas de soja por hectare. O investimento no manejo de nutrição foliar durante todo o ciclo da soja soma em torno de duas sacas por hectare.

Sendo assim, o custo-benefício dessa prática é positivo, desde que realizada de maneira correta, atendendo a todas as recomendações.

É fundamental que os nutrientes estejam disponíveis no cultivo da soja de forma correta, em quantidades adequadas, e que sejam fornecidos no momento ideal para que atinja seu potencial produtivo. Portanto, a adubação do solo aliada à adubação foliar gera um aumento na produtividade da soja, além de um bom retorno financeiro ao produtor.

ARTIGOS RELACIONADOS

Algas: Mais tempo de prateleira para o tomate

Para melhorar o rendimento das culturas, sem impactar negativamente o meio ambiente em diversas regiões do mundo, produtos à base de algas marinhas têm sido cada vez mais aplicados na agricultura.

CESB prorroga as inscrições para o Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja

O Brasil teve, recentemente, muitas intempéries climáticas, tais como a falta de chuva e o excesso dela, ...

Centro de Inovação da Syngenta apresenta suas tecnologias ao Cerrado durante a Tecnoshow Comigo

Os visitantes do evento terão a oportunidade de conhecer as soluções para proteção de cultivos e ferramentas digitais no estande da empresa.

Pepinos híbridos oferecem maior produtividade

A escolha por pepinos híbridos não é apenas uma opção, é um caminho para colheitas abundantes e produtividade elevada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!