Abacaxi no ponto certo

0
52

 

Fabiana Fumi Cerqueira Sasaki

Pesquisadora em Fisiologia e Tecnologia Pós-colheita da Embrapa Mandioca e Fruticultura

fabiana.sasaki@embrapa.br

Foto 01A determinação da maturação ou do ponto de colheita do fruto do abacaxizeiro baseia-se em dois aspectos: na maturação aparente (referente à coloração da casca) e na maturação real (relacionada à translucidez da polpa e características químicas, responsáveis pelo aroma e sabor ” teor de açúcares/acidez).

A aparência, ou visual, é o primeiro fator de aceitação pelo consumidor, mas é a qualidade intrínseca que determina a aceitação definitiva do produto.

Os abacaxis devem ser colhidos em diferentes estádios de maturação, conforme o seu destino e a distância do mercado consumidor.

Para as cultivares tradicionais, como ‘Pérola’ e ‘SmoothCayenne’, os frutos destinados aos mercados de fruta fresca devem ser colhidos, em geral, quando os frutilhos (“olhos“) estiverem achatados e os espaços entre eles se estendendo e adquirindo cor verde-clara, ou mesmo apresentando o surgimento dos primeiros sinais de amarelecimento na casca. A superfície da fruta parecerá lisa em comparação àquela da fruta menos madura. Já cultivares como a ‘BRS Imperial’ tem o frutilho proeminente mesmo quando maduros.

Para comercialização em mercados locais ou regionais, os frutos podem ser colhidos com até a metade da superfície amarela. A colheita de frutos verdes deve ser evitada por não apresentarem qualidade satisfatória para consumo, com teor de açúcares mais baixo e sabor e aroma pouco atraentes.

O consumidor prefere aqueles frutos com coloração tendendo ao amarelo, nem sempre aceitando os totalmente amarelos por já estarem em estádio avançado de maturação. Embora a portaria de 2002 do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) do Brasil tenha regulamentado que o conteúdo mínimo de sólidos solúveis para comercialização do abacaxi seja de 12%, é recomendado que, para o abacaxi ‘SmoothCayenne’, o teor mínimo de sólidos solúveis seja de 14%.

Quando o fruto se destina à indústria, sobretudo quando localizada a distância relativamente curta, ele pode ser colhido mais maduro (em geral, com casca mais amarela que verde), tendo teor de sólidos solúveis mais elevado e maior conteúdo de suco. Para o mercado de exportação a colheita é realizada conforme protocolo do cliente.

Visual do abacaxi

Para o mercado, os frutos devem estar limpos, isentos de lesões de natureza mecânica, fisiológica e microbiana, como as queimaduras do sol e as decorrentes de pulverizações, danificações provocadas por impactos, insetos, roedores e doenças, tais como a fusariose.Nãodevem, também, apresentar anomalias no fruto e na coroa e nem estar senescentes.

O abacaxi fresco maduro deve apresentar frutilhos desenvolvidos, aderidos firmemente ao fruto, abertos e planos, de coloração verde, folhas com aparência fresca e com coroa compacta. A qualidade da coroa é um indicador de frescor e, portanto, a mesma deve ser verde com folhas turgescentes, e não ter aparência seca.

Entre as características de qualidade intrínseca, a coloração da polpa é um dos fatores mais importantes.O consumidor tem preferência por frutos com polpas mais amarelas. Os atributos de qualidade relacionados ao sabor também são extremamente importantes, sendo desejáveis frutos com elevado teor de sólidos solúveis (açúcares) e acidez moderada, além de polpa com poucas fibras.

Essa matéria você encontra na edição de agosto da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua.