28.7 C
Uberlândia
sábado, fevereiro 24, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosAbacate Hass: exportações são marcantes no Brasil

Abacate Hass: exportações são marcantes no Brasil

A cultivar ‘Hass’ é a mais valorizada no mundo. O fruto possui alta concentração de lipídeos e pode pesar entre 149 e 300 gramas. Essas cultivares são reconhecidas pelos altos níveis de óleo e este fator tem uma forte influência na conservação do sabor.

Foto: Pixabay

Lígia Falanghe Carvalho
Sócia diretora da Jaguacy, presidente da Associação Abacates do Brasil e da Comissão Nacional de Fruticultura da (CNA)
ligia@jaguacy.com.br

No Brasil, até meados da última década, o abacate era visto como uma fruta adocicada, consumida tradicionalmente com açúcar ou no preparo de vitaminas, tendo pouca expressão na gastronomia brasileira.

Com o aumento da busca por alimentos saudáveis devido à pandemia, o abacate, considerado um superalimento também ganhou ainda mais destaque.

Características

A denominação ‘avocado’ tem sido utilizada no Brasil para identificar as cultivares de abacate ‘Hass’ e ‘Fuerte’ (esta última, no Brasil, não é produzida desde 2010), que são valorizadas pelo seu tamanho diferenciado e alto teor de lipídeos, apesar de suas reduzidas dimensões.

Estas cultivares têm grande aceitação do mercado consumidor pelo tamanho e também por terem menor teor de água em sua composição, o que representa um fruto com características ideias para pratos culinários salgados. Além disso, enquanto os abacates tropicais são produzidos em temperaturas mais altas, o avocado prefere climas mais amenos.

A variedade ‘Hass’ possui casca áspera e formato arredondado. Quando está madura, sua casca apresenta uma coloração arroxeada. Já a variedade ‘Fuerte’ possui casca verde brilhante e lisa, com formato alongado.

A cultivar ‘Hass’ é a mais valorizada no mundo. O fruto possui alta concentração de lipídeos e pode pesar entre 149 e 300 gramas. Essas cultivares são reconhecidas pelos altos níveis de óleo e este fator tem uma forte influência na conservação do sabor.

Por possuir pouca água, tem grande concentração de nutrientes, como gordura monoinsaturada, vitamina E, luteína e fibras alimentares. É considerada pelo Guiness Book a fruta mais nutritiva da natureza.

Exportação

A Jaguacy, empresa com sede em Bauru (SP), lidera no País a produção do abacate do tipo Hass, conhecido popularmente como avocado, e produz cerca de 70% de toda a fruta exportada atualmente.

A expectativa da Jaquacy é de exportar, em 2023, uma média de sete mil toneladas de avocado. Atualmente, a empresa possui 1.200 hectares de produção próprios e de parceiros, produzindo avocado de fevereiro a agosto.

Como são produzidas as frutas

As mudas de abacate Hass são desenvolvidas em viveiros, levando em torno de nove meses para atingir o tamanho ideal para ser plantada. A Jaguacy possui a capacidade de produção de 100 mil mudas/ano.

A empresa trabalha com o desenvolvimento de porta-enxertos diferenciados e com pesquisa, em conjunto com a Westfalia, da África do Sul, para sistema de clonagem resistente a pragas e doenças.

Valor agregado

 A produção do avocado deve ser orientada para exportação. Assim, o produtor deve se assegurar de obter as principais certificações internacionais como Global Gap e Grasp.

O Brasil é um país continental, com diferentes microclimas. As principais regiões produtoras de avocado são o Sudeste, com destaque para São Paulo e Minas Gerais. Porém, existem vários produtores explorando novas regiões, como Nordeste e Sul do País, buscando alternativas para produção o ano todo.

Tecnologias

A Jaguacy sempre busca parcerias com universidades e empresas para o aprimoramento das tecnologias de plantio, manejo e controle de pragas e doenças. Atualmente, está desenvolvendo novos sistemas de irrigação e controle da temperatura da planta com o intuito de mitigar o problema da crise hídrica sofrida de 2018 a 2021.

Ainda, o controle biológico no campo está em constante desenvolvimento, buscando as melhorias no manejo.

Colheita

A época de colheita varia de acordo com a região e variedade cultivada. Para a melhoria e aumento da vida útil pós-colheita da fruta, pode ser realizado um tratamento de imersão em solução contendo fungicida.

Atualmente, o cultivo de abacate se mostra uma alternativa ao pequeno produtor, pois é uma cultura que requer poucos tratos culturais, o que demanda também mão de obra reduzida, e possui um mercado promissor e em desenvolvimento.

Contudo, o Brasil só poderá se tornar referência em produção e exportação de abacates com investimentos em marketing interno e externo, gestão da qualidade da produção, investimentos em pós-colheita, mitigação de riscos de produção, além de melhoria na logística e infraestrutura de toda a cadeia de produção de frutas no País.

Foto: Pixabay

Curiosidades

Há cerca de quatro anos o avocado (variedade Hass) vem sendo avidamente consumido com torradas em cafés hipsters e exibido em contas de influenciadores digitais pelos quatro cantos do mundo. Este aumento de consumo, associado a dois anos de baixa produtividade dos pomares, resultou em aumento dos preços e menor disponibilidade do produto.

Até mesmo o mercado brasileiro, de modo geral alheio ao sucesso da fruta, tem sofrido com os reflexos da crise do avocado.

No México o problema é social. No país, que produz quase um terço de todo o abacate consumido no mundo, o fruto ganhou o nome de “ouro verde”. Com clima e características perfeitas para o crescimento dos abacateiros, a produção se tornou um negócio extremamente lucrativo. Para se ter ideia, cartéis de droga começaram a fazer parte da concorrência, abrindo novas áreas para produção de abacate em meio à floresta.

No Chile, com o aumento da demanda externa, produtores também começaram a utilizar formas criminosas para manter o fluxo de produção em alta. Na província de Petorca, na região de Valparaíso, o governo encontrou diversas tubulações subterrâneas projetadas para desviar o fluxo de rios e irrigar plantações de avocado.

As condições climáticas do Chile exigem mais água para a produção das frutas e o uso ilegal da água para irrigação já está causando uma grave crise de abastecimento para a população.

No Brasil, apesar de o consumo desta variedade ser pequeno, muitos restaurantes que têm a guacamole como carro-chefe também estão tendo problemas com abastecimento e precisaram substituir o cardápio ou misturar polpa de abacates tropicais ao avocado, que não é o ideal.

Portanto, este é um mercado em expansão e ainda não possuímos produção relevante para exportar. Neste caso, não atendemos nem mesmo o mercado interno, já que em alguns momentos importamos abacate Hass (avocado) do Chile.

ARTIGOS RELACIONADOS

Controle das pragas e doenças do abacateiro

As principais pragas do abacateiro são: broca ou lagarta-do-fruto (Stenoma catenifer), principal praga no Brasil; bicudo do abacateiro (Heilipus catagraphus; Heilus spp.) e carunchos (coleobrocas), lagartas, ácaros (Oligonychus yothersi; Oligonychus persea), tripes, percevejos e formigas.

Mosca negra dos citros – Ministério revoga restrição ao trânsito

Foi publicada no último dia 20 de fevereiro a Instrução Normativa (IN) nº 2, do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que revoga...

Propagação de mudas do abacateiro

Givago Coutinho Doutor em Fruticultura e professor efetivo do Centro Universitário de Goiatuba (UniCerrado) givago_agro@hotmail.com O abacateiro (Persea americana Mill.) é originário da América e seu centro...

Uso de fitorreguladores no abacateiro

A aplicação de fitorreguladores é um manejo que vem ganhando cada vez mais visibilidade ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!