Inicio Revistas Hortifrúti Abacaxi – A fruta que já nasce reinando

Abacaxi – A fruta que já nasce reinando

0
264

 

Consumido de Norte a Sul do Brasil e apreciado em todo o mundo, o abacaxi aparece como uma boa opção de cultivo

Abacaxi - a fruta que já nasce reinando
Abacaxi – a fruta que já nasce reinando

Em 2013, último ano de levantamento da safra de abacaxi, as principais regiões produtoras foram: Nordeste, Sudeste e Norte, que contribuíram, respectivamente com 35,21%, 29,41% e 28,25%. Os principais estados nestas regiões são: Nordeste: Paraíba, Rio Grande do Norte e Bahia; Sudeste: Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo; Norte: Pará e Amazonas, segundo dados da Embrapa Mandioca e Fruticultura.

A área colhida com abacaxi no Brasil, naquele mesmo ano, foi de 63.204 hectares. As estimativas provisórias de área colhida para os anos 2014 e 2015 são de 64.161 e 65.145 hectares, respectivamente. “Essas informações indicam crescimento da área colhida com a cultura“, avalia José da Silva Souza, pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura.

Volume nacional

O volume nacional produzido em 2013 foi de 1.655.887 mil frutos ou 2.483.831 toneladas. Estimativas provisórias de produção para os anos de 2014 e 2015 são de 1.713.515 e 1.748.997 mil frutos, respectivamente, indicando um pequeno crescimento da produção.

Consumo e exportação

José da Silva informa que o consumo de abacaxi ocorre em todas as unidades da federação, sendo que suas vendas estão distribuídas nas unidades menores (feiras municipais, feiras de bairros, mercadinhos etc.), nas unidades médias (redes de supermercados) e nas unidades maiores (Ceasas e entrepostos).

Já as exportações brasileiras de abacaxi caíram bastante nos últimos anos, em função da magnitude do mercado interno. “Dessa maneira, em 2014 o Brasil exportou apenas 1.356 toneladas (em torno de 0,05% da produção nacional). Essas exportações foram para países vizinhos, principalmente a Argentina e Uruguai, por via rodoviária“, detalha o pesquisador.

Outros países importadores do abacaxi brasileiro são Chile, EUA e Europa. “Mas, como o mercado interno para o consumo de abacaxi, nesses últimos anos, estava muito bom era mais interessante vender aqui do que exportar“, observa José Roberto Silva, coordenador técnico regional da EMATER-MG e especialista na cultura do abacaxi.

Produtividade

A produtividade brasileira em 2013 foi de 26.199 frutos/ha, o que equivale a 39,30 t/ha em um ciclo de 18 meses. Essa produtividade evoluiu nos últimos dez anos, mas José da Silva ainda avalia como baixa quando comparada com a produtividade da Costa Rica (59,67 t/ha), maior exportador mundial de frutas frescas de abacaxi.

Já em 2014, a produtividade médiachegou a atingir quase os 27.000 frutos por hectare, de acordo com José Roberto.

A favor da produção

“As principais práticas que contribuem para o aumento de produtividade são: número de plantas/ha (em torno de 40.000), seleção e preparo de mudas (mudas de boa qualidade), espaçamento adequado (fileiras simples ou duplas), adubação recomendada, indução floral adequada, controle de pragas e doenças (principalmente da fusariose em variedades suscetíveis), irrigação e boas práticas de colheita (acondicionamento e transporte). A prática da irrigação deve ser considerada para produção de frutas no período da entressafra, que ocorre entre fevereiro e maio, em que o produtor consegue melhores preços do produto“, recomenda o José da Silva.

José Roberto complementa apresentando outras técnicas:

  • ØAumento na densidade de plantio, ou seja, número de plantas por hectare. Por exemplo, passar de 25 mil a 30 mil plantas por hectare (média nacional) para 40 mil a 60 mil plantas, sem afetar a qualidade dos frutos. “Portanto, recomendamos o sistema de plantio em linha dupla com o espaçamento de 0,90 x 0,45 x 0,33 m para a cultivarSmoothCayenne (havaiano) = 44.893 plantas/hectare, ou ainda mais adensado 0,90 x 0,45 x 0,25 m = 59.259 plantas/hectare“.

Já para a cultivar Pérola, devido à presença de espinhos ao longo das folhas, a distância entre linhas duplas, recomendada pelo especialista, é de no mínimo um metro entre elas, como por exemplo: 1,00 a 1,10 x 0,45 x 0,33 m = 39.100 a 42.329 plantas por hectare, respectivamente. Para as novas variedades seguir a recomendações para o S.Cayenne (abacaxi havaiano).

  • Ø Plantio com utilização do “mulching“ e irrigação sob gotejamento, tecnologia recentemente utilizada por alguns abacaxicultores.
  • Ø Correção do solo e adubação adequada e equilibrada das plantas com macro e microelementos, levando em consideração os resultados da análise de solo.
  • ØConhecer bem as pragas e doenças que ocorrem durante o ciclo da cultura. Fazer o monitoramento das mesmas e realizar o “Controle Integrado de Pragas e Doenças“, ou seja, controle e manejo culturais adequados, e no caso de utilização de agrotóxicos, utilizar somente os específicos a cada praga e doença e registrados para a cultura.

Essa matéria completa você encontra na edição de julho da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua para leitura completa.

SEM COMENTÁRIO