13 C
São Paulo
sexta-feira, junho 24, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Ácidos húmicos aumentam o desenvolvimento de raízes da cebola

Ácidos húmicos aumentam o desenvolvimento de raízes da cebola

 

Nilva Teresinha Teixeira

Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora do Curso de Engenharia Agronômica do Centro Regional Universitário de Espírito Santo do Pinhal (UNIPINHAL)

nilva@unipinhal.edu.br

CréditoShutterstock
CréditoShutterstock

As substâncias húmicas (SH), ou seja, huminas, ácidos húmicos e fúlvicos, são os principais componentes da matéria orgânica dos solos, das águas e dos sedimentos. Além de influenciarem as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo, determinando a produção biológica dos ecossistemas, elas exercem efeito direto sobre o crescimento e metabolismo das plantas, especialmente sobre o desenvolvimento radicular.

Tradicionalmente, as substâncias húmicas(SH) são definidas como substâncias de coloração escura compostas de macromoléculas de massa molecular relativamente elevada, formadas por meio de reações de síntese secundária a partir dos resíduos orgânicos de plantas, animais e microrganismos

Os ácidos húmicos e fúlvicos são caracterizados por ausência de repetição estrutural, desordem molecular e por larga variedade de tamanhos e formas, que implicam uma porosidade, assumindo uma forma sólida ou um estado coloidal.

Sabe-se quetais características influem no número, tipo e disponibilidade de sítios reativos, na capacidade de adsorção e na extensa interação de minerais e íons usados para descrever a estrutura ramificada ou a superfície rugosa e distorcida dos ácidos húmicos.

Os ácidos húmicos beneficiam diretamente a qualidade física do solo - Crédito Luiz Gustavo Grecco
Os ácidos húmicos beneficiam diretamente a qualidade física do solo – Crédito Luiz Gustavo Grecco

O que são

Os conceitos e definições de SH estão passando por revisões e novos modelos estão sendo sugeridos por diversos autores. As SH têm sido referidascomo agregados de compostos orgânicos transformados bioquimicamente que assumem diferentes formas, as quais vão desde pseudomicelas até a concepção de um arranjamentosupraestrutural.

De acordo com esse modelo, as SH consistem em agregados de unidades estruturais provenientes da transformação dos resíduos orgânicos, que estabilizados por meio de ligações fracas, formam um arranjamento estrutural com massa molecular aparentemente elevada.

No entanto, qualquer alteração no meio, tal como variação de pH ou outras pode desestabilizar essas ligações, promovendo o rompimento dos supra-agregados e liberando pequenas unidades estruturais para o meio que, por sua vez, podem interagir com plantas e microrganismos.

Portanto, além de modificar as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo por meioda atividade dos seus grupamentos funcionais, as SH podem afetar diretamente a fisiologia das plantas. No entanto, ainda não está bem claro como as SH podem modificar a bioquímica e o metabolismo das plantas.

Alguns autores afirmam que o aumento na solubilidade do complexo húmico-metal facilita a absorção principalmente de micronutrientes. Sugere-se que o aumento na permeabilidade das membranas celulares provocadas pelas SH facilitam a entrada de íons e a nutrição celular.

A aplicação do produto, normalmente, é feita em pré-plantio - Crédito Luize Hess
A aplicação do produto, normalmente, é feita em pré-plantio – Crédito Luize Hess

Efeito bioestimulante

Grande parte dos efeitos bioestimulantes do AH tem sido creditada à sua atividade similar às auxinas.Já se detectou a presença de auxinas em SH isoladas de vermicomposto. Além disso, as SH promovemaumento da plasticidade da parede celular por meio da acidificação do apoplasto, fator fundamental para o processo de crescimento e alongamento da célula vegetal.

 Cita-se, ainda, que as substâncias húmicas podem afetar diretamente o metabolismo das plantas por meio de mecanismos ainda não muito claros, influenciando positivamente o transporte de íons, facilitando a absorção de nutrientes, respiração e velocidade das reações enzimáticas do ciclo de Krebs, resultando assim em maior produção de energia metabólica.

Considera-se, também, que tais substâncias promovem incremento no conteúdo de clorofila, de ácidos nucleicos e de proteínas.O resultado, assim, é o aumento da atividade metabólica do vegetal; aceleração dos processos enzimáticos e da divisão celular,o que poderá provocaro crescimento mais rápido da raiz e da produtividade das plantas.

O solo

Sabe-se, também,que os ácidos húmicos interferem diretamente na qualidade física do solo, por promoverem uma aproximação das partículas e, consequentemente, sua união, gerando, dessa forma, uma maior agregação dos solos.

O processo de agregação dos solos influi diretamente sobre outras características do perfil como, por exemplo, a densidade, porosidade, aeração, capacidade de retenção e infiltração de água. Contudo, a agregação é o ponto de partida, sem a qual os demais benefícios para o solo não ocorrem.

Por possuírem cadeias muito grandes, as substâncias húmicas têm alta capacidade de retenção de água, o que colabora para a manutenção de agregados estabilizados nos solos. Sua capacidade de reter água é 20 vezes maior que a dos solos sem matéria orgânica, o que justifica a maior capacidade de plantas sobreviverem melhor em solos com grande quantidade de substâncias húmicas durante o período de déficit hídrico.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de abril da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua para leitura integral.

 

Inicio Revistas Hortifrúti Ácidos húmicos aumentam o desenvolvimento de raízes da cebola