14.6 C
Uberlândia
quinta-feira, maio 30, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesAcordo inédito beneficia pequenos produtores agrícolas

Acordo inédito beneficia pequenos produtores agrícolas

Cooperação envolve doação de parcela do valor da bilhetagem eletrônica no transporte público transformada em crédito de bioma.

Reprodução/Internet

Pela primeira vez no país, tecnologia, mobilidade e agricultura familiar se unem em um grande acordo estratégico de colaboração comercial que tem por objetivo financiar e desenvolver tecnologias sustentáveis. Trata-se da parceria inédita entre a Autopass – empresa brasileira privada de soluções para mobilidade e bilhetagem eletrônica –, a CONAFER (Confederação Nacional de Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais) e a Sthorm – centro de inteligência brasileiro, com parceiros internacionais, que se dedica ao desenvolvimento tecnológico e às descobertas científicas para resolver problemas globais.

“Pela primeira vez no Brasil é estabelecida uma aliança estratégica e comercial para proteger a biodiversidade, fomentar a mobilidade social, o desenvolvimento tecnológico sustentável, o fortalecimento das cadeias de produção agrícola supridas por pequenos produtores rurais e de agricultura familiar e povos originários e a transição para uma bioeconomia regenerativa e cíclica, fundamentada em princípios de finança regenerativa”, explica Rodney Freitas, CEO da Autopass.

A iniciativa será anunciada a lideranças globais e tomadores de decisão durante a COP28, 28ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, que acontece até 12 de dezembro em Dubai, Emirados Árabes.

Como funciona – Uma parcela do valor da bilhetagem eletrônica emitida pela Autopass será transformada em ativos financeiros – créditos de bioma – que gerarão recursos para que os grupos citados possam proteger a biodiversidade em que estão inseridos. A parceria também garantirá dignidade para que os povos originários e tradicionais permaneçam em seu território.

Ou seja: quanto maior a utilização do sistema de bilhetes eletrônicos no transporte público que a Autopass oferece em São Paulo, mais recursos serão disponibilizados para o projeto. É a conexão sustentável entre a vida urbana e a sustentabilidade rural.

Como é calculada a emissão dos ativos de conservação de bioma – Por meio da PlanetaryX – plataforma de tecnologia climática que utiliza Inteligência Artificial e blockchain para emitir ativos comercializáveis –, será possível fazer um cálculo estimativo do valor para se manter intocável determinada área com sua fauna e flora. A partir daí serão emitidos ativos financeiros que vão gerar recursos para que a população a ser beneficiada diretamente possa se comprometer com a conservação do bioma em suas comunidades e propriedades.

Segundo estimativas das empresas parceiras, a emissão de Ativos de Conservação de Bioma (BCAs) que possam ser emitidos em terras de associados à Confederação (terras cadastradas e regulares), tem potencial de gerar US 72 bilhões anuais a serem distribuídos para essa população, muitas vezes em situação vulnerável. A verba deverá ser utilizada na proteção da biodiversidade com viabilidade econômica.

Atualmente, a CONAFER reúne mais de 1,8 milhões de propriedades associadas, o equivalente a quase 20% do território brasileiro, impactando mais de 8 milhões de pessoas, o que inclui comunidades indígenas de 157 etnias diferentes. Como referência, a área de reserva natural sob gestão do CONAFER equivale aos territórios, somados, de Alemanha, França, Inglaterra e Espanha.

Pablo Lobo, fundador e CEO da Sthorm, explica que “com essa aliança, uniremos conhecimento científico avançado e práticas sustentáveis para enfrentar problemas ambientais críticos, de pandemias a mudanças climáticas, ao mesmo tempo em que trabalhamos para assegurar a biodiversidade e a sustentabilidade econômica das comunidades que dependem desses ecossistemas.”

A PlanetaryX – que tem Bob Richards como seu cofundador e diretor científico, também cofundador da Singularity University – é um dos maiores projetos de preservação de biodiversidade e combate ao desmatamento presente na COP28, além de ser o primeiro projeto que efetivamente remunera o pequeno produtor rural, ribeirinhos e comunidades indígenas, engajando esses grupos na proteção dos biomas.

Monitoramento e combate a incêndios – Outra ferramenta que irá integrar essa parceria é a Hãmugãy, plataforma para monitoramento e combate a incêndios florestais no Brasil, desenvolvida pela CONAFER. A aliança prevê que Hãmugãy tenha uma interface integrada com a plataforma de emissão de BCAs da PlanetaryX para levantar informações direto dos locais onde os ativos serão emitidos, fazendo com que os BCAs sejam os primeiros ativos de conservação e regeneração de biomas a disponibilizar dados concretos das comunidades originárias em que habitam aqueles que protegem florestas e biomas remanescentes, constituindo “o primeiro canal direto com os verdadeiros guardiões da vida, do planeta”, comenta Pablo Lobo.

ARTIGOS RELACIONADOS

GDM firma acordo para adquirir a Biotrigo Genética

A operação, que está sujeita à aprovação de órgãos reguladores no Brasil e Argentina, permitirá maiores incentivos econômicos e impulsionará o desenvolvimento da cadeia tritícola brasileira

FGV promoveu debate sobre a COP28

O webinar discutia avanços e desafios e recebeu o nome: “Desafios e Avanços da COP28 - As discussões dos bastidores em Dubai”.

Por que o mundo precisa de mais algodão?

Abrapa marca presença na COP28.

Alimentos orgânicos: por que o consumo deles é vital para os brasileiros?

Os alimentos orgânicos têm ganhado cada vez mais destaque devido aos seus inúmeros benefícios tanto para a saúde humana quanto para o meio ambiente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!