Adubação NPK e a qualidade dos frutos do abacaxi

0
1482
Foto: Shutterstock

Giulia Belicuas Lopes
Graduanda em Engenharia Agronômica – ESALQ-USP
giuliabelicuas@usp.br
Catherine Amorim
Engenheira agrônoma e doutoranda – ESALQ-USP
catherine.amorim@usp.br
Ricardo Alfredo Kluge
Engenheiro agrônomo, doutor e professor – ESALQ/USP
rakluge@usp.br

O abacaxi, de nome científico Ananas comosus, é uma fruta tropical, largamente produzida no Brasil e na América do Sul, que se adapta bem a locais com clima quente e poucas chuvas. Apesar de ser considera uma cultura bastante rustica, a produção comercial de abacaxi também requer alguns cuidados e tratos culturais, dentre eles uma correta adubação.

A cultura do abacaxizeiro requer solos bem aerados e drenados, com textura média e profundidade acima de 70 cm. A demanda nutricional é alta e varia com o clima e condições ambientais, tipo de manejo, espaçamento de plantio e cultivar.

O Brasil é, atualmente, segundo a FAO (2020), o terceiro maior produtor de abacaxi no mundo, principalmente da cultivar Pérola, e por tal, deve-se dar ênfase no manejo para essa cultura visando melhor produtividade. Outra característica importante para o incentivo nessa área é a adubação corresponder a 27,99% dos gastos durante a produção.

Nutrição em foco

A adubação NPK é primordial para o desenvolvimento do fruto, atingindo os padrões de qualidade exigidos pelo mercado. Algumas das funções, de forma geral, desses nutrientes são com relação à qualidade, alteração da concentração dos sólidos solúveis, resistência, tamanho, acidez, consistência, entre outros.

Assim, a correta aplicação dos nutrientes no abacaxi (‘Pérola’) pode gerar resultados, como o aumento de massa e produtividade, no caso do nitrogênio; elevação do teor do ºBrix (quantidade de açúcares) nos frutos e melhora dos níveis de vitamina C com a aplicação de potássio.

Por fim, observa-se melhora do ºBrix e acidez do fruto com o fósforo. Desses três nutrientes, o nitrogênio é o mais importante em termos de melhora da qualidade e produtividade do abacaxi.

De forma geral recomenda-se a adubação fosfatada antes do plantio, ou na primeira adubação de cobertura. Os demais nutrientes devem ser distribuídos em duas a cinco vezes durante os meses.

Pesquisas

Pontes et al. (2020) testaram diferentes concentrações de NPK no abacaxi (0, 18, 36, 54 e 72 g/planta), sendo os resultados relacionados às melhores respostas de qualidade a maior dosagem.

No entanto, doses de 36 g/planta já produziram frutos de boa qualidade comercial. Além disso, as maiores doses produziram coroas menores, facilitando o transporte do fruto.

Em linhas gerais, para a adubação NPK do abacaxizeiro, é recomendada a aplicação de 6 a 10 g de N, 1 a 4 g de P2O5 e 4 a 15 g de K2O por planta. Entretanto, quando há dúvidas sobre adubação, alguns fatores devem inicialmente ser considerados para tomar a decisão correta.

É fundamental conhecer as necessidades nutricionais da planta, o nível de tecnologia que o produtor possui, finalidade do cultivo, rentabilidade desejada e a capacidade e estado atual do solo. Logo, o primeiro passo seria realizar a análise de solo, a fim de avaliar as reais necessidades do local para determinada cultura.

Esses dados gerados são comparados aos boletins de recomendação de cada Estado, dependendo de onde será feito o cultivo. Por exemplo, se for feito o plantio de abacaxi no Estado de São Paulo será utilizado o Boletim 100 – Recomendações de Adubação e calagem para o Estado de São Paulo (Instituto Agronômico e campinas – IAC), para verificar as melhores condições de desenvolvimento da cultura nessa região.

No caso, além da aplicação de NPK, o boletim ensina como realizar o espaçamento e a aplicação de calagem.

Recomendações

O fósforo deve ser aplicado no sulco de plantio nos meses de março a abril e o nitrogênio/potássio aplicados em cobertura ao lado das linhas posicionadas em diferentes quantidades durante os meses.

A última adubação nitrogenada deve ocorrer 60 dias antes da aplicação do regulador de florescimento. Para a segunda safra, deve-se aplicar a metade do recomendado na primeira durante os meses de março-abril e outubro-novembro.

Para frutos com uma melhor qualidade é recomendado, preferencialmente, a aplicação do potássio nas formas de sulfato ou nitrato (Boletim 100, IAC), principalmente durante as primeiras safras, devido à cultura ser sensível ao cloro (Boletim 200, IAC).

Adubos sólidos, como ureia, superfosfato e cloreto de potássio, precisam ser aplicados junto às plantas, no solo ou nas axilas das folhas da base. Em seguida, recomenda-se realizar a cobertura com terra do adubo para evitar perdas.

É importante lembrar que todas as recomendações encontradas em materiais de literatura são gerais, e portanto, é necessário sempre o conhecimento de cada caso em particular e realizar os devidos ajustes necessários.

As parcelas de adubação devem levar em conta o período em que ocorrerá a indução da floração e o regime pluvial da região. O recomendado é que a adubação seja realizada em ocasiões em que o solo esteja com boa umidade, para melhorar o aproveitamento dos nutrientes pela planta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!