20.6 C
Uberlândia
quinta-feira, fevereiro 22, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosAdubação verde: ciclagem de nutrientes e eliminação de nematoides

Adubação verde: ciclagem de nutrientes e eliminação de nematoides

Crédito: Shutterstock

Paulo Henrique Santarosa
Engenheiro agrônomo – ESALQ/USP
santarosa.pauloh@gmail.com
Camila Queiroz da Silva Sanfim de Sant Anna
Engenheira agrônoma – Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)
agro.camilaqs@gmail.com

A adubação verde é uma prática que consiste no plantio de espécies vegetais com diferentes propósitos, sendo os mais comuns a ciclagem de nutrientes, a recuperação de solos degradados, a melhoria das condições físicas, químicas e biológicas do solo, incorporação de nitrogênio e aumento de matéria orgânica no solo.

Os ditos adubos verdes podem ser plantados em sucessão, rotação ou em consórcio com a cultura de interesse, cobrindo o solo por determinado tempo e posteriormente roçados e incorporados ou, ainda, mantidos na superfície como cobertura morta.

Grupos

As espécies de adubos verdes são divididas em três grupos: primavera/verão, outono/inverno e perenes, escolhidas conforme condições de clima, solo e época de cultivo. As espécies de primavera/verão são plantadas no período de setembro a dezembro; as de outono/inverno entre março e junho e as espécies perenes, uma vez plantadas, permanecem durante vários anos desempenhando seu papel como adubo verde.

A adubação verde também promove a descompactação do solo devido à profundidade que suas raízes alcançam e que, após sua decomposição, criam galerias e poros, tornando o solo mais aerado.

Vale a pena incorporar ao solo?

A escolha entre deixar o adubo verde sobre a superfície ou incorporá-lo ao solo deve ser realizada com critério, visto que a incorporação pode diminuir a oxigenação no solo para as plantas impactando diretamente na produtividade da cultura.

Em geral, plantas pertencentes à família das leguminosas são as mais utilizadas devido à associação com bactérias fixadoras de nitrogênio que colaboram com o aumento de sua concentração no solo. Essas plantas são essenciais para a disponibilização de nutrientes em camadas mais profundas, tornando o solo mais fértil.

As leguminosas possuem a capacidade de se associar a bactérias fixadoras de nitrogênio, conhecidas como rizóbios, que capturam o nitrogênio do ar e o convertem em nutriente assimilável pela cultura, diminuindo, portanto, a necessidade de aplicações de adubação nitrogenada.

Na bataticultura

O uso de adubação verde na cultura da batata é bastante difundido no Brasil, visto que a cultura é muito assolada por doenças ocasionadas por nematoides e alguns adubos verdes atuam diretamente no controle desses fitoparasitas.

A batata é uma das hortaliças de maior produção e consumo, sendo comumente, no Brasil, utilizada in natura. Assim, além da produtividade, os aspectos visuais, como a preservação da qualidade dos tubérculos quanto a deformações e alterações de aparência são de suma importância para os produtores.

Imagem de arquivo

Doenças ocasionadas por fitonematoides podem causar a depreciação dos tubérculos, inviabilizar sua comercialização e resultar em grandes perdas de produção. Muitos gêneros de fitoparasitas afetam o desenvolvimento da cultura, sendo os de maior importância para a cultura da batata o nematoide-das-galhas (Meloidogyne spp.) e o nematoide das lesões (Pratylenchus spp.).

A aplicação da adubação verde, como forma de mitigar essa problemática, justifica-se em atuar como planta-armadilha, não hospedeira ou antagonista aos fitonematoides, além de promover o aumento da atividade e diversidade biológica do solo.

Espécies de crotalária, por exemplo, possuem a capacidade de reduzir a população de fitonematoides no solo, funcionando como planta-armadilha, de forma que ocorre a penetração dos juvenis em suas raízes, inviabilizando o seu desenvolvimento até a fase adulta, além de produzirem substâncias com ação nematostática (capacidade de paralisar e reduzir a infestação).

Dicas importantes

No cultivo da batata em solos brasileiros, o uso de batata-semente certificada é essencial para manter o solo livre deste tipo de patógeno. Mas, não é a única opção a ser levada em consideração, já que para ter sucesso no cultivo, muitos outros fatores devem ser colocados em evidência, pois a adoção de uma técnica isolada não garantirá um efetivo controle sobre esses parasitas.

Desta forma, a associação de diferentes técnicas e manejos é a medida mais recomendada para que se tenha um bom estabelecimento da cultura e, consequentemente, alta produtividade da mesma, com tubérculos bem formados e livres de doenças.

Prevenir é sempre melhor

Independente da cultura a ser implantada, a prevenção é a melhor forma de controle de patógenos de solo. Devido à baixa mobilidade que os nematoides têm no solo, a principal forma de sua disseminação é passiva, por meio de fatores externos, tais como movimentação de água, solo ou batata-semente contaminada.

Assim, a adoção concomitante de diferentes técnicas e manejos têm como objetivo principal reduzir ou manter as densidades populacionais dos nematoides em baixos níveis, reduzindo a possibilidade de significativas perdas econômicas.

Rotação de culturas, uso de plantas antagonistas e matéria orgânica, eliminação de restos culturais, soqueira e plantas daninhas, utilização de variedades resistentes ou menos suscetíveis, controle biológico, controle químico e época de plantio são alternativas viáveis que devem ser utilizadas para ter sucesso na bataticultura.

Não se deixe enganar

Um dos maiores responsáveis pela disseminação dos nematoides pelas lavouras é a movimentação dos equipamentos agrícolas, pois ao revolver o solo, alguns torrões, juntamente com resíduos e material orgânico, aderem às máquinas e implementos que serão utilizados em outras glebas e, assim, levam consigo os patógenos.

Após a chegada desse fitoparasita na lavoura, sua erradicação será praticamente impossível, restando ao produtor a utilização de técnicas e manejo de modo a diminuir/controlar a disseminação e quantidade desse parasita nas lavouras.

Por isso, a utilização de diferentes técnicas e manejos é tão importante no controle dos nematoides, já que a junção de duas ou mais modalidades visa reduzir ou manter as densidades populacionais dos nematoides em níveis abaixo do dano econômico.

Alqueive

O alqueive é outra prática utilizada no controle de nematoides, que consiste em manter o solo limpo, sem a presença de matéria verde, tanto plantas daninhas quanto de interesse comercial.

Nessa prática, o solo permanece nú e recebe capinas, arações e gradagens de tempos em tempos. O alqueive reduz não só a população de nematoides, como também outros parasitas, pela ação dos raios solares.

Sua eficiência depende de sua duração, época do ano, temperatura e umidade do solo e também da espécie parasita que se visa controlar. Porém, o alqueive possui a inconveniência do custo de manter o solo limpo, sem cultivo, reduzindo o lucro do produtor e tornando o perfil suscetível a erosões.

Quanto custa?

Em relação aos custos com a implantação da adubação verde, estes irão variar de acordo com a escolha da espécie utilizada e o tamanho da área de plantio, que incidirão diretamente na estimativa dos custos de sementes.

No entanto, os benefícios obtidos com o aumento da produtividade, qualidade dos tubérculos e melhoria do solo podem dissolver, ao longo do ciclo da batata, os custos com a adoção da prática da adubação verde.

ARTIGOS RELACIONADOS

Fitorreguladores na cultura da soja é a receita para altas produtividades?

Autora Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica...

Novas regras para rotulagem de alimentos entram em vigor em outubro e rótulos poderão ter selos de advertência na forma de lupas

Além de mudanças que passam a valer a partir de 9 de outubro na tabela de informação e nas alegações nutricionais, a novidade será a adoção da Rotulagem Nutricional Frontal

Calagem, gessagem e nutrição da goiabeira

Talita de Santana Matos Doutora em Agronomia Elisamara Caldeira do Nascimento Doutora em Agronomia e professora - Sesitec - MT Rafael Campagnol Professor de Olericultura " Universidade Federal...

Cresce a incidência da phoma cafeeira

  Adriano Augusto de Paiva Custódio Engenheiro agrônomo fitopatologista, IAPAR custodio@iapar.br Anselmo Augusto de Paiva Custódio Engenheiro agrônomo fitotecnista A Phoma pode causar depauperamento progressivo de órgãos aéreos reprodutivos e...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!