27.6 C
Uberlândia
segunda-feira, abril 22, 2024
- Publicidade -
InícioPecuáriaBovinosAumento dos casos de doenças infecciosas e parasitárias em bovinos

Aumento dos casos de doenças infecciosas e parasitárias em bovinos

O aumento dos casos assustam os pecuaristas.

Considerada potencial causa de queda na produtividade, a dictiocaulose é uma afecção respiratória causada por helmintos do gênero Dictyocaulus que pode acometer bovinos de todas as idades. ” Embora os animais jovens sejam os mais frequentemente acometidos, esse verme pode parasitar também os animais adultos”, alerta o médico-veterinário Fernando Santos, Gerente de Vendas de Grandes Animais da Syntec do Brasil. 

Créditos: Divulgação

O veterinário explica que a “pele” dos vermes tem pequenos espinhos, que arranham a parede dos órgãos internos dos bovinos, resultando em inflamação. “Nos casos crônicos, os animais acometidos apresentam tosse frequente e emagrecimento lento, sem causas evidentes. Nos casos agudos, ocorre edema e enfisema pulmonar, com secreção nasal, tosse úmida e dificuldade para respirar. Essa quebra de resistência local favorece o surgimento de bactérias que complicam muito a bronquiopneumonia, por exemplo.” 

Segundo o especialista, “o principal meio de disseminação das formas infectantes do Dictyocaulus são por meio dos pastos com alta lotação de animais. O controle desta parasitose envolve o manejo racional dos pastos da propriedade, o que inclui alojamentos dos animais nas áreas mais altas ou de maior índice de umidade. Deve-se também evitar que animais de outras faixas etárias utilizem os pastos designados para a criação de animais jovens.” 

Para auxiliar os pecuaristas na proteção dos bovinos contra os parasitas, a Syntec do Brasil desenvolveu Alnor 10%, antiparasitário oral de amplo espectro de ação, à base de Albendazol, indicado para o tratamento das principais parasitoses que afetam bovinos e ovinos. É eficaz no combate e prevenção das formas adultas, larvares e ovais de vermes redondos gastrointestinais, como nematoides, além de combater vermes chatos cestoides (Taenia), parasitoses pulmonares (causadas por Dyctiocaulus viviparus e D. filaria) e parasitoses hepáticas (causadas pelas formas adultas da Fasciola hepatica e F. gigantica).

ARTIGOS RELACIONADOS

Cigarrinha-verde Empoasca sp. na cultura da videira: danos e controle

Apesar de toda tecnologia empregada na videira, a cultura vem sofrendo com alguns problemas fitossanitário, com destaque para a cigarrinha-verde Empoasca sp.

Mancha branca no milho: causas e controle

A doença tem capacidade de causar redução na produtividade em até 60%, quando implantados híbridos suscetíveis ao patógeno. O cultivo do milho safrinha é acometido com mais severidade devido às condições climáticas se apresentarem propícias a infecções.

Alertas emitidos pela Epagri ajudam no controle de doença que pode dizimar lavouras de soja

A Epagri monitora em 27 municípios catarinenses a ocorrência de uredosporo causador da ferrugem asiática da soja, capaz de dizimar lavouras inteiras. O objetivo é diminuir custos e aumentar a sustentabilidade da produção.

Quando dar início às aplicações de fungicidas?

O uso de fungicidas é indicado com auxílio de um profissional qualificado em função do grau de infestação na lavoura. Nisto, o uso de fungicidas é indicado com auxílio de um profissional qualificado em função do grau de infestação na lavoura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!