26.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 24, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosAutomação da fertirrigação em rúcula hidropônica

Automação da fertirrigação em rúcula hidropônica

A fertirrigação inteligente é uma novidade no cultivo hidropônico e aumenta de 20 e 35% a produtividade da rúcula

Glaucio da Cruz Genuncio
Doutor e professor adjunto – Universidade Federal de Mato Grosso (DFF/FAAZ/UFMT)
glaucio.genuncio@ufmt.br

Crédito: Jorge Barcelos

O sistema de fertirrigação inteligente, ainda uma novidade no cultivo hidropônico da rúcula, permite a redução da mão de obra e de falhas humanas na elaboração da solução nutritiva, mantendo estáveis ao longo do dia os níveis de EC e pH ideais para o cultivo.
Além disso, permite o acompanhamento e controle da solução nutritiva remotamente e conta com sistema que identifica os dias mais quentes e com mais radiação solar, realizando com mais frequência o ciclo de circulação da solução nutritiva para evitar o murchamento das plantas.

Não confunda

Primeiramente, fertirrigação e hidroponia são técnicas distintas, as quais podem coexistir, caso específico da hidroponia em substrato. Uma terceira técnica, que é amplamente utilizada na indústria, é a automação, a qual vem crescendo nos últimos anos em horticultura.
Por muitos anos, o simples uso de um temporizador era considerado automação em sistemas hidropônico e fertirrigado. Entretanto, automatizar “de forma inteligente” se define pelo controle de variáveis que afetarão alguma parte do sistema de produção da rúcula.
Assim, podemos ampliar a automação no monitoramento e controle de variáveis não somente nutricionais, mas também microclimáticas, fitossanitárias e no controle pós-colheita.
Monitorar e controlar, por exemplo, a irradiância na estufa de crescimento vegetal, com a leitura e a tomada de decisão sobre a abertura e o fechamento de telas de sombreamento, associadas ao acionamento de nebulização, é uma automação importante para o cultivo protegido.
Especificamente, o monitoramento e controle automatizado das variáveis nutricionais é de suma importância. Porém, é importante ressaltar que não somente devemos usar a condutividade elétrica (EC) e pH como principais variáveis a serem monitoradas e controladas.

Nutrição de ponta

No contexto nutricional, digamos que “o céu é o limite”, uma vez que monitorar as concentrações iônicas de cada um dos 14 elementos essenciais é algo desejado, tanto entre produtores mais tecnificados como por pesquisadores de nutrição mineral de plantas.
Atualmente, monitorar pH e EC da solução drenada é o contexto da automatização, porém, a demanda de sistemas mais completos é crescente e acontecerá a curto ou médio prazos, como os sistemas existentes na Europa e nos EUA.

Benefícios da automação da fertirrigação

A rúcula é uma planta muito sensível às variações de pH e de certos íons, como o Mg e Mn. Assim, o controle automatizado do pH, próximo a 6,8 e da EC são fundamentais em termos nutricionais, para que o manejo de nutrição seja efetivo.
Portanto, monitorar e controlar de forma a reduzir erros é importante para a melhoria da produção da rúcula hidropônica.
Lembrando que a mão de obra para o manejo nutricional não será substituída na automação. Na realidade, ela deve ser capacitada tanto para o entendimento da química de soluções como misturas para evitar precipitação, EC específica de cada fertilizante, índice salino, além da taxa de injeção e avaliação sobre a possibilidade de salinização do substrato.
Enfim, a adoção da automação em fertirrigação demanda uma pessoa treinada para saber manjar a solução e entender o funcionamento do cabeçal de fertirrigação. Esta mão de obra é escassa no mercado, atualmente.

Falhas humanas

As falhas ocorrem tanto no monitoramento das variáveis intrínsecas ao manejo nutricional como no seu controle. Assim, o pH adequado para cada fase de cultivo, a EC adequada para estas fases, o nível de oxigenação do substrato, o potencial de salinização do manejo da solução nutritiva no decorrer do ciclo e o conhecimento da incompatibilidade entre os fertilizantes são, dentre outras variáveis, as principais fontes de erro humano, quando desconhecidas, consequentemente, mal manejadas.
Para evitar esses erros, é importante monitorar e controlar as variáveis supracitadas, de forma contínua e eficaz. Quanto menor a variação paramétrica, menor o erro e maior a possibilidade de a planta responder positivamente a uma produção superior à média.

Funcionalidades do sistema

A rúcula é muito sensível às variações de pH e o monitoramento ajuda
Crédito: Eduardo Miyayaciki

O sistema de automação identifica os dias mais quentes e com mais radiação solar. Lembrando que não adianta avaliar somente o manejo nutricional, é preciso associar com o manejo microclimático.
Neste sentido, os sistemas automatizados devem se comunicar. Essa é a grande sacada para um futuro próximo. Poucos são os sistemas que têm esta base de dados interligada atualmente. Isso nos leva a afirmar que a automação ainda não alcançou a sua plenitude como processo para a produção de rúcula em sistema de cultivo protegido e fertirrigado.
O uso da tensiometria, aferindo-se os diversas componentes do potencial hídrico (ψH), como os potenciais osmótico (ψos) e de pressão (ψp), são fundamentais a serem utilizados como parâmetros para o manejo da solução nutritiva.
Porém, deve-se ter cuidado para não confundir o manejo da irrigação com o manejo de aplicação de fertilizantes. Apesar de haver uma linha tênue que separa ambos, eles devem ser avaliados e manejados de forma distinta.

Resultados na rúcula hidropônica

Pode-se considerar um acréscimo entre 20 e 35% na produtividade da rúcula hidropônica neste sistema. Lembrando que a produtividade é obtida na relação produção por área, assim, se o produtor consegue fazer mais ciclos em uma mesma área, ele pode ter uma produtividade acrescida e um ganho maior no ano agrícola.
São muitos os desafios neste cultivo, além dos custos. Hoje um cabeçal de fertirrigação pode chegar a R$ 60.000,00 para a fertirrigação, o que torna o metro quadrado de cultivo protegido alto para o cultivo da rúcula hidropônica.

Vantagens de automatizar de forma inteligente

Monitora e controla:

  • Variáveis microclimáticas, nutricionais, fitossanitárias e pós-colheita
  • Concentrações iônicas de cada um dos 14 elementos essenciais
  • pH e EC da solução drenada é
  • Abertura e o fechamento de telas de sombreamento
  • Acionamento de nebulização
ARTIGOS RELACIONADOS

Berinjela: Qual o manejo nutricional ideal?

Autores Roberto Botelho Ferraz Branco Pesquisador científico - APTA/Instituto Agronômico – Centro de Horticultura branco@iac.sp.gov.br A berinjela (Solanum melongena) é uma espécie pertencente à família...

IAC realiza Dia de Campo sobre técnicas para “Regular Bem“ Máquinas Agrícolas

  Máquinas, implementos e ferramentas são componentes indispensáveis nas atividades agrícolas. Sua adequação e uso correto são fatores de influência na qualidade do resultado final....

Dia de Campo Palinialves em Muzambinho (MG)

Seguindo sua tradição de Dias de Campo impactantes para o mercado, a Palinialves convida cafeicultores de Muzambinho & Região para, na próxima terça-feira, dia 18/06, conhecerem seu CONTROLADOR DIGITAL DE TEMPERATURA para secadores de café sem fio, EM FUNCIONAMENTO, e o DESPOLPADOR ECOZERO, único no mercado que realmente não consome água no processo de despolpa do café.

Unicamp desenvolve robô capaz de executar tarefas agrícolas de forma autônoma

Você já pensou em ter um robô que executa tarefas agrícolas como semear, adubar e irrigar a terra de forma automática, sem a necessidade...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!