21.6 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasBioativo natural impulsiona produtividade de melão no nordeste do país

Bioativo natural impulsiona produtividade de melão no nordeste do país

Produto desenvolvido por empresa irlandesa de biotecnologia atua em etapas críticas do ciclo produtivo e atende exigências internacionais

Melão – Crédito: Shutterstock

O Brasil é o maior produtor de melão da América do Sul, com cerca de 20 mil hectares plantados. A região Nordeste responde por cerca de 99% dessa produção, favorecida pela combinação de altas temperaturas com boa luminosidade e baixa umidade relativa do ar.

A metade da safra é exportada. Em 2019 o embarque de 160 mil toneladas para o mercado externo rendeu ao Brasil US$ 251,641 milhões, mais de R$ 1,330 bilhão, segundo dados da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas). Junto com a manga, o melão lidera a exportação de frutas especialmente para a Europa. A fruta doce, de polpa suculenta e aromática, começa a conquistar também a China, que autorizou a importação da fruta do Brasil.

O Vale do Rio São Francisco, assim como os estados do Rio Grande do Norte e Ceará, atende à principal exigência do mercado internacional: a qualidade das frutas. As negociações estão condicionadas às boas práticas agrícolas, como uso adequado de defensivos, condições de trabalho na lavoura e integração com a natureza. É nesse panorama que se integra o uso de produtos de origens naturais, sem impactos negativos nas lavouras e ao meio ambiente. Concebido com tecnologia europeia, está disponível no mercado nacional o Super Fifty, produto que prepara a planta para crescer e se desenvolver ao longo de todas as fases do ciclo, mantendo-a em bom estado, ativas e sem estresse.

“O segundo semestre do ano no Vale do Rio São Francisco é quente, chega fácil aos 40 graus. Toda a produção só acontece se tiver irrigação, mas o fruticultor precisa lidar também com o estresse contínuo provocado por umidade baixa demais e alta incidência de raios ultravioleta na lavoura. Esses extremos causam danos na planta”, explica o engenheiro agrônomo Marcelo Paranhos, especialista no assunto. O Super Fifty prepara o meloeiro exatamente para essa condição e tem indicação para uma variedade grande de frutas, como uvas e mangas, além de hortaliças.

Quando o Super Fifty é aplicado de três a cinco dias antes de um evento de estresse previsto, a planta terá tempo para se mobilizar e preparar suas próprias reservas para lidar com as adversidades e se desenvolver como se estivesse em condições normais. Ele ativa a fotossíntese, produz antioxidantes e aumenta a eficiência hídrica das plantas. “A floração, por exemplo, é uma fase em que a planta já sofre naturalmente e as situações extremas podem levar até ao abortamento da flor”, detalha Paranhos. Em nossas pesquisas, observamos que os ativadores atuam em todas as etapas do ciclo, fazendo com que a planta trabalhe mais tranquila e que ela produza normalmente”, completa.

A BioAtlantis, empresa irlandesa de biotecnologia que produz o Super Fifty está no mercado desde 2007. Para o melão, a recomendação é de quatro aplicações foliares: na pré-florada, flor plena, pegamento e chumbinho. Entre os maiores benefícios, estão a uniformidade e o aumento de produção, em média, de 15%. Além de favorecer o desenvolvimento do meloeiro, planta de ciclo curto, com duração de aproximadamente 75 dias, o Super Fifty é um produto natural e, consequentemente, tem resíduo zero, o que agrada em cheio o mercado externo. “Todas as empresas de frutas que exportam para a União Europeia e Estados Unidos, hoje, precisam cumprir protocolos para manter as diferentes certificações. Entre eles, a questão de resíduo zero, ou pouco resíduo. Um produto de origem natural e que não gera resíduo nenhum, vai de encontro à necessidade lá de fora pois está integrado às exigências internacionais”, afirma o especialista.

Em grandes propriedades, onde o trabalho é intenso e com até três ciclos de frutas ao ano, como no caso do melão, produtividade é determinante e os resultados obtidos com o Super Fifty são otimistas. “Todas as pesquisas, até agora, sem exceção, deram resultados positivos. Ao fazer com que a planta sofra menos com as intempéries, ocorrem processos fisiológicos que a gente não enxerga, mas se refletem no resultado. Observamos que o Super Fifty entrega ao produtor, no fim do ciclo, aumento de produção e fruta de qualidade”, finaliza.

Instagram @bio.atlantis

Facebook: www.facebook.com/bioatlantisbrasil

ARTIGOS RELACIONADOS

Área de trigo deve aumentar

Segundo analistas, cálculo de resultado da safra deve considerar a relação entre o custo ...

Óleo de neem no combate à mosca-branca

  Gustavo Santa Clara Roque da Mata Engenheiro Agrônomo da UNIQUE Fazendas Brasil/Organeem e Zooneem groquedamata@gmail.com O óleo de neem é uma substância orgânica que substitui os agrotóxicos....

Tipos e variedades de melão

Existem melões com casca amarela, verde ou com uma mistura das duas cores, redondos ou alongados e com polpa de cor variável A escolha do...

Cultivares de manga: exigências edafoclimáticas e manejo

Como escolher? Quais as características de cada cultivar? Confira no artigo sobre manga da Campo & Negócios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!