23.3 C
São Paulo
sexta-feira, julho 1, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Lançamentos Brasileira de biológicos planeja registro de 58 novos produtos até 2025

Brasileira de biológicos planeja registro de 58 novos produtos até 2025

Crédito Divulgação

No agronegócio, assim como na grande maioria dos setores, a temática da sustentabilidade nunca esteve tão em alta quanto nos últimos anos. Isso, somado a outros fatores – como o dólar alto e a escassez de insumos tradicionais – tem feito com que as buscas por insumos naturais e biológicos alcancem patamares cada vez mais expressivos, e levado as empresas que atuam nesse mercado a rapidamente se estruturarem para atender à latente demanda.

Com seu primeiro produto (biopesticida) registrado em 2020, a meta da Biotrop, fabricante nacional de produtos naturais e biológicos para a agricultura, é obter até 2025 mais 10 registros de novas soluções em inoculantes e fertilizantes, chegando a 130, além de 48 novos biodefensivos, totalizando 66 com os atuais.

Para alcançar esses números, a companhia está nesse momento ampliando sua fábrica de Curitiba/PR, de 4,3 milhões de litros ao ano para ter capacidade de produzir 7 milhões ainda em 2022, indo para 9 milhões de litros em 2023. Uma segunda unidade industrial no mesmo local também está projetada e fará a produção subir para 16 milhões de litros anuais em meados de 2023. Além desses investimentos, a Biotrop pretende fazer novas aquisições de plantas industriais no Brasil em curto prazo.

Segundo Fábio Pevide, engenheiro agrônomo e diretor de assuntos regulatórios da Biotrop, toda essa expansão está ligada ao aumento da capacidade produtiva para atender o mercado e para produção de novos produtos à base de fungos, bactérias e extratos botânicos, e vai ter a capacidade de atender 50 milhões de hectares na produção de hortifrútis, soja, cana-de-açúcar, milho, feijão, batata, tomate, trigo e áreas de floresta. “Serão investidos nas duas obras aproximadamente R$ 60 milhões”, destaca.

A empresa quer caminhar ainda mais numa esteira de crescimento, e projeta em até três anos se consolidar também nos Estados Unidos, onde hoje existem 16 produtos em fase de registro. “Nossa projeção, juntando Américas, EUA e Europa, é de 124 novos registros até 2025”, detalha Pevide.

O que vem por aí

Uma nova estação experimental da empresa será credenciada para a realização de pesquisas, desenvolvimento e testes das novas soluções biológicas à campo, originando as tecnologias que serão, após registradas, disponibilizadas aos produtores em curto / médio prazo.

Dentre estas soluções, a Biotrop pretende muito em breve lançar um bioinseticida com aplicação inédita, e também um produto que une ação biofungicida e bionematicida. O primeiro, próximo de sua aprovação comercial, é o Biokato, que leva a associação de duas bactérias para o controle da cigarrinha-do-milho (Dalbulus Maidis), mosca-branca (Bemisia tabaci) e percevejo-marrom (Euschistus heros).

O “BTP 011”, ainda sem nome comercial, é biofungicida e bionematicida. Leva a associação de três bacilos e será aplicado no controle de podridão-radicular (Rhizoctonia solani) e do nematoide-das-lesões (Pratylenchus brachyurus).

“Também teremos lançamentos para outras doenças foliares e outros percevejos”, pontua o profissional.

Novidade para 2023

Outra solução inédita que a Biotrop irá colocar no mercado já no próximo ano está sendo chamada internamente de “NPK Biológico”. As letras fazem referência aos principais componentes dos fertilizantes, que são o nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (k).

O lançamento chega em boa hora ao mercado nacional, pois tem características que suprem a demanda atual. “É uma formulação totalmente baseada em bactérias e foi desenvolvida para diminuir ou excluir a necessidade aplicação de adubos químicos”, esclarece engenheiro agrônomo.

Regulamentação

No Brasil, a avaliação e registro de produtos biológicos é regulamentado por três agências governamentais: Anvisa, Ibama e Mapa. Os bioinsumos são regulamentados pela Lei 7802/1989 e que está atualmente em revisão pelo PL 6299.

O diretor da Biotrop, que atua há 20 anos no mercado de regulatórios, destaca que o governo federal tem priorizado a aprovação de produtos biológicos. Porém, destaca que a falta de mão de obra para trabalhar especificamente nesse pleito ainda é sentida. “A adoção de biológicos vai aumentar muito nos próximos anos, assim como a demanda mundial dos países importadores de commodities agrícolas, então é importante que mais produtos sejam aprovados em menos tempo. Com a priorização, as empresas também passariam a investir ainda mais em inovação”, finaliza Pevide.

Sobre – A Biotrop é uma empresa brasileira, fruto da visão e empreendedorismo de um seleto grupo de profissionais apaixonados pelo agronegócio. Atua com foco em pesquisa e desenvolvimento de soluções diferenciadas e inovadoras, com o objetivo de contribuir para uma agricultura mais sustentável, saudável e regenerativa. Com escritório em Vinhedo (SP) e fábrica em Curitiba (PR), a empresa leva ao mercado o que há de melhor no mundo em soluções biológicas e naturais. Acesse www.biotrop.com.br.

Inicio Lançamentos Brasileira de biológicos planeja registro de 58 novos produtos até 2025