21.3 C
Uberlândia
domingo, julho 14, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosCachos de uva: aminoácidos melhoram coloração e conservação

Cachos de uva: aminoácidos melhoram coloração e conservação

Crédito CNA

Marco Aurélio Casari
110779@faesb.edu.br
Lidce do Rosário da Silva Cutrim
lidcecutrim@gmail.com
Graduandos em Engenharia Agronômica – Faculdade de Ensino Superior Santa Bárbara (FAESB
Ana Paula Preczenhak
Doutora e professora – FAESB e pós-doutoranda em Fisiologia e Bioquímica de Plantas – ESALQ-USP
appreczenhak@gmail.com / prof.anapaula@faesb.edu.br

Em nosso país, a produção de uvas é destinada a três mercados: o de consumo in natura, de sucos e vinhos. As condições climáticas do Brasil e o manejo das videiras são os dois principais fatores que garantem essa possibilidade e diferenciam três macrorregiões produtoras, que são:

1) Os Estados do Sul e Sudeste (vinhos e sucos de viticultura tradicional);

2) O Vale do São Francisco (vinhos e sucos tropicais) e;

3) Localizado nas regiões sudeste e centro-oeste, em altitudes entre 600 – 1.200 metros (vinhos de inverno).

Sustentabilidade

Cada vez mais cresce a preocupação com a sustentabilidade do planeta e com a qualidade dos alimentos ingeridos, produzindo-se maior quantidade com baixas taxas de resíduos contaminantes.

Assim, a utilização de produtos biológicos ganha maior espaço no mercado agronômico. Na vitivinicultura, o uso de biorreguladores e substâncias orgânicas já é amplamente estudado e utilizado.

Estes produtos podem ser utilizados para vários fins durante o ciclo da planta. Há uma marcante dominância apical nas varas deixadas pela poda e, além disso, uma tendência à produção de cachos muito compactos.

Essas características naturais do desenvolvimento das videiras podem ser modificadas pela utilização de substâncias orgânicas, biorreguladores ou outros, tais como aminoácidos e cianamida hidrogenada, que atuam favorecendo o aumento do rendimento e da qualidade dos frutos, melhorando a produção, tamanho, coloração e conservação dos cachos.

Entenda

A cianamida hidrogenada é um regulador vegetal amplamente utilizado para quebra de dormência das gemas por meio de pulverização. Sua ação é localizada e não sistêmica, por isso é importante que atinja diretamente as gemas.

O aumento de brotação eleva a produtividade das videiras pelo maior número de cachos de uva.

Aminoácidos

Os aminoácidos são compostos orgânicos constituintes de proteínas, os quais são importantes propulsores do crescimento celular. Eles desempenham direta ou indiretamente diversas funções nas plantas, para seu crescimento, desenvolvimento e frutificação.

Sua aplicação exógena via foliar é capaz de influenciar em diversos níveis a fisiologia e a qualidade do produto. Os aminoácidos auxiliam na preservação dos tecidos vegetais, atuando na defesa das plantas contra estresses bióticos e abióticos.

Os aminoácidos fenilalanina e tirosina são os precursores da maioria dos compostos de defesa das plantas, além dos pigmentos roxos, avermelhados e amarelos das bagas de uva. Compostos de defesa, como os polifenóis (ácidos fenólicos, flavonoides e antocianinas) são derivados da fenilalanina e muitos hormônios vegetais, podendo ser citados o etileno e a auxina, que são sintetizados a partir da metionina e do triptofano, respectivamente.

Esta mesma via de produção dos polifenóis leva à síntese de lignina, que garante a firmeza aos frutos, que também é uma barreira física ao produto. Os maiores teores de lignina e de compostos antioxidantes (polifenóis e antocianinas) podem gerar produtos com durabilidade pós-colheita superior, tanto por reduzir a perda de água quanto pela resiliência aos estresses abióticos.

Pesquisas

Estudos desenvolvidos pela Embrapa Uva e Vinho no município de Bento Gonçalves (RS), que realizaram suplementação de parreiras com soluções naturais à base de potássio e aminoácidos, obtiveram bagas com aumento das concentrações de polifenóis totais em 30,7%  e de antocianinas em 44%, em comparação às bagas de plantas não tratadas.

O aumento destes compostos garante o acentuado flavor e coloração característicos da fruta, valorizando o produto.

A aplicação pode estar relacionada com o estádio de desenvolvimento da videira. A fase reprodutiva estabelece o número de inflorescências que irá determinar a produtividade da planta. Nesta fase, a planta remobiliza o nitrogênio (N) das folhas para formação das flores que irão gerar as bagas.

A aplicação foliar de aminoácidos nesta fase mostra eficácia no aumento da produtividade, pois estes são fontes de N, que ao serem absorvidos estão prontamente disponíveis para a produção de novas proteínas, preservando em parte as reservas da planta, que pode manter seu processo fotossintético ativo por maior período.

Como os aminoácidos participam desta mobilização de N?

Os aminoácidos têm participação direta no transporte de N pelo floema. Transportado nos aminoácidos glutamina e asparagina, este elemento é constituinte da estrutura dos aminoácidos, que “fornece” o mineral para formação das bagas, neste caso.

Aplicações de soluções contendo aminoácidos no período reprodutivo das videiras (em mais de um estádio) também são conhecidas por promoverem o aumento de açúcares totais e redutores e dos ácidos orgânicos nas bagas, o que leva ao aumento do ratio.

Estes resultados são associados ao aumento da atividade fotossintética da planta, que ao aumentar a fotossíntese produz mais substratos para seu crescimento – enchimento das bagas, número de bagas, açúcares, compostos orgânicos em geral. Os aminoácidos fazem parte da estrutura ou participam destes processos na planta.

Processo fotossintético

A clorofila é sintetizada a partir do aminoácido glutamina, sem o qual não é formado o pigmento verde, o que impacta totalmente a planta. A clorofila é o pigmento responsável pela absorção da energia luminosa, que é convertida em energia química para a planta, ou seja, energia para seu crescimento/desenvolvimento. 

É por meio da clorofila, presente nos cloroplastos da planta, que é realizada a fotossíntese.

Há possibilidade de aplicação de aminoácidos em diferentes estádios fenológicos, entre os quais: brotação, pré-floração, floração, frutificação e maturação dos cachos. Esta ampla possibilidade está ligada à plasticidade das funções dos aminoácidos, que são requeridos pelas plantas durante todo o seu ciclo.

Porém, uma ressalva deve ser feita – o resultado de aumento das bagas, coloração intensa e/ou aumento da produtividade em si estão mais ligados às etapas de frutificação, assim como a utilização conforme orientações do fabricante, as condições edafoclimáticas do ano-safra e ao próprio manejo adequado para a cultura.

ARTIGOS RELACIONADOS

Telas de sombreamento: indicações para o cultivo da videira

Conceitualmente, as telas de sombreamento ou malhas agrícolas utilizadas nos telados de produção de uva contêm aditivos que possibilitam uma alteração morfofisiológica, objetivando ganhos em produção, assim como a melhoria de variáveis organolépticas.

Uvas sem sementes: valor agregado garantido

s exigências do mercado consumidor por uvas “apirênicas”, ou seja, videiras que possuem a capacidade de gerar frutos com ausência de sementes, vem sido notada desde meados da década de 80

Com técnica inovadora, vinícolas do Sudeste do Brasil adaptam o ciclo das videiras e produzem vinhos surpreendentes

Sob influência do clima tropical brasileiro, as viticulturas produzem os chamados “vinhos de inverno”, ampliando o leque de oportunidades de exportação para o mercado internacional

Videira: manejo nutricional em todas as fases fenológicas

O manejo da adubação em videira é um aspecto de suma importância para o adequado desenvolvimento da frutífera e alcance de altas produtividades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!