Colheita do café: Produtores devem redobrar os cuidados

0
141
Café vermelho _ Crédito: Shutterstock

Em tempos de pandemia pelo novo coronavírus (Covid-19), o cafeicultor precisa redobrar os cuidados para proteger os colaboradores

A colheita de café começou em todo o Brasil a partir da segunda quinzena de maio. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a estimativa da safra de café arábica e robusta no País deve variar de 57,15 e 62,02 milhões de sacas, o que representa um aumento de 25,8% em comparação ao volume colhido na temporada passada. Cerca de 35% do café consumido no mundo é produzido no Brasil. Temos mais de 350 torrefadoras.

Em tempos de pandemia pelo novo coronavírus (Covid-19), o cafeicultor precisa redobrar os cuidados para proteger a vida de seus colaboradores e fazer a colheita deste importante produto para o agro do País e do exterior. A colheita do café é uma das atividades mais importantes na cafeicultura e normalmente demanda bastante mão de obra e equipamentos para ser realizada em tempo hábil.

Orientações

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo produziu um manual de orientação e boas práticas contra a Covid-19, com direcionamentos que podem ser adotados nas comunidades rurais, nas propriedades e no dia a dia da produção. Sendo a colheita do café uma atividade essencial, o produtor, de acordo com o manual, deve afastar os funcionários que apresentem sintomas, como febre, tosse ou dificuldade para respirar e evitar ao máximo a presença de pessoas acima de 60 anos nos locais de trabalho.

O trabalhador deve manter as mãos limpas, as unhas cortadas e não fumar ou beber durante a atividade de colheita. Além disso, deve-se evitar compartilhar ferramentas de trabalho, como pás, enxadas, rastelos e peneiras, assim como garrafas de água e de café, e lavar com desinfetante todos os utensílios e equipamentos com solução clorada (900 ml de água para 100 ml de água sanitária) e higienizar com álcool 70% as partes de contato direto com as mãos nas ferramentas de trabalho, antes do início e ao final da atividade. A recomendação é que ocorra o mais breve possível o recolhimento dos sacos com os frutos colhidos, que devem ser mantidos abertos na parte sombreada da planta.

No transporte dos trabalhadores, também deve-se retirar toda a sujeira e borrifar antes e depois das viagens solução de água com 1% de água sanitária ou peróxido de hidrogênio, além de disponibilizar álcool 70% para limpeza das mãos dos trabalhadores, manter as janelas dos veículos abertas e a distância de 1,5 metro entre os passageiros.

As orientações têm sido seguidas por Diogo Dias Teixeira de Macedo, da fazenda Recreio, que fez algumas adaptações para garantir a colheita do produto e a saúde de seus colaboradores.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.