17.6 C
Uberlândia
domingo, maio 19, 2024
- Publicidade -
InícioMercadoComo a variação do dólar impacta o produtor brasileiro?

Como a variação do dólar impacta o produtor brasileiro?

A projeção para a moeda americana ao final de 2023 é R$5, R$5,05 para 2024 e R$5,10 em 2025.

Em uma economia globalizada, o dólar é a principal moeda de troca para as transações financeiras entre países. A balança comercial é um dos indicadores dessas operações, contabilizando diretamente a quantidade de exportação e importação feita por um país, utilizando a moeda americana.

Com isso, a variação de preço da divisa dos EUA impacta diretamente em diversos setores da economia brasileira. De acordo com o Boletim Focus, relatório que traz as expectativas dos agentes de mercado, o dólar deverá encerrar 2023 cotado a R$5, para 2024, a perspectiva é de R$5,05 e, em 2025, a R$5,10.

Para o setor agro, a variação do dólar impacta diretamente em dois pontos: das despesas – em que os insumos habitualmente são precificados na moeda americana, como os fertilizantes que o Brasil importa – neste caso, uma cotação elevada do dólar desfavorece o produtor no quesito custo/despesas, aumentando seu custo de produção. E no ponto da receita, as commodities, como soja e milho, também são valorados em dólar, e a partir de uma valorização da moeda americana, o valor da receita do produtor poderá aumentar. 

“Por tratar-se de uma commodity, um produto básico global, por ter sua bolsa de referência em Chicago e pelo Brasil ser um grande exportador, a moeda americana é a moeda majoritária do agronegócio, existem algumas tentativas de negociação em outras moedas, como é o caso do Yuan, mas nada muito habitual”, comenta Enrico Manzi, country manager da Biond Agro.

Como funciona a precificação das  exportações?

Existem dinâmicas particulares para precificação das commodities que são influenciadas pelo peso do mercado interno (oferta e demanda) e como isso  se equilibra com o mercado global.

Toda negociação conta com o preço da cultura na bolsa de Chicago como referência inicial. Essa referência é ajustada pela disponibilidade geográfica dos grãos considerando a sazonalidade da oferta e o comportamento da demanda. Esse ‘ajuste’ é geralmente denominado “prêmio” a hora de negociar. Por último, o câmbio é considerado como a variável que permite traduzir tanto o prêmio quanto o valor de Chicago para uma referência de preço em reais. 

É por isso que o impacto do dólar na comercialização dos grãos é alto, considerando o mesmo nível de preço em dólares, um câmbio alto favorece muito a competitividade em termos de preço, porém um câmbio menor, naturalmente tem o impacto inverso no preço final em reais.

Existem casos os quais, dependendo da modalidade de venda escolhida, é necessário adicionar a variável logística dentro da conta de precificação. Ela representa o custo de escoamento da mercadoria desde o local de retirada até o local de destino da mesma.

Para exemplificar, os dados do comércio exterior brasileiro de soja e milho demonstram a operação. Os maiores compradores de ambas as commodities e seus derivados são:

1) China – com 45% de todo o volume de exportação do Brasil, exportando em 2022 – 55 milhões de toneladas.


2) Irã – com 7,2% e 8,9 milhões de toneladas


3) Espanha – com 6,8% e 8,3 milhões de toneladas


4) Japão – com 4,5% e 5,5 milhões de toneladas


5) Egito – com 3,5% e 4,3 milhões de toneladas

Atualmente, na safra 22/23, o Brasil se posiciona como o maior exportador global de soja e milho. Desde a safra 18/19, o país ocupa o primeiro lugar como exportador de soja; já com o milho, na safra atual o Brasil ultrapassou os EUA.

“O processo de exportação é feito majoritariamente pelas tradings ou demais empresas do setor, essas empresas originam os grãos dos produtores e destinam para exportação. A Biond Agro ajuda o produtor a entender as variáveis de mercado – como o dólar – como afetam o produtor e como é possível gerenciar os riscos”, comenta.

Além do dólar, o que mais impacta o produtor?

Juros, inflação, PIB, geopolítica e relações exteriores, esses são alguns fatores que podem refletir no produtor. No caso dos juros altos, ele traz consigo  a possibilidade de um “dinheiro mais caro”, limitando então o acesso ao crédito, consequentemente dificultando o desenvolvimento do trabalho do produtor, investimentos e manutenção da safra. Uma inflação mais alta também gera para o produtor custos mais altos em relação ao diesel, mão de obra… Penalizando assim a rentabilidade.

No processo de exportação, uma inflação alta e um pib estagnado, no caso de países compradores, pode diminuir o poder de compra, limitando então o consumo. Com uma inflação alta, os custos serão mais altos e o preço do produto será mais caro, também limitando o consumo, dentre outros casos.

“O atual cenário é desafiador, mas não é negativo. O desafiador são os custos da nova safra, que apesar de terem reduzido frente à safra anterior, ainda são considerados altos para a média histórica, e a queda de preços da soja e do milho, ambos os fatores em conjunto reduzem a margem do produtor, que vê uma margem mais apertada frente a média das últimas três safras”, finaliza.

ARTIGOS RELACIONADOS

Branco Motores lança o aparador de cerca viva – BAC 600

Equipamento é recomendado para profissionais da jardinagem que buscam excelência na manutenção da área verde em propriedades.

Syngenta expande ferramentas da Cropwise no Brasil

Nema Digital auxilia agricultores a terem acesso a conhecimentos avançados para o cultivo da soja.

ConectarAGRO celebra o Dia do Agrônomo

A digitalização tem sido um fator transformador no campo, e os aplicativos de agricultura têm desempenhado um papel fundamental na otimização das tarefas agrícolas.

Sustentabilidade exige visão multifacetária do setor agro

Quinto episódio do projeto "Caminhos do Agro SP" abordou os desafios de um cultivo ambientalmente correto, socialmente justo e que seja rentável Conciliar a atividade agropecuária com a...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!