24.6 C
Uberlândia
sábado, abril 13, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosComo controlar a mosca-branca no tomateiro

Como controlar a mosca-branca no tomateiro

Descubra estratégias eficientes para controlar a mosca-branca e garantir um cultivo saudável de tomateiros.

Camila Queiroz da Silva Sanfim de Sant’Anna
Engenheira agrônoma e doutora em Produção Vegetal – Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)
agro.camilaqs@gmail.com

Matheus Roussenq
Engenheiro agrônomo – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
matheusrous@gmail.com

Paulo Henrique Santarosa
Engenheiro agrônomo – ESALQ/USP
santarosa.pauloh@gmail.com

O inseto- praga, segundo Gullan e Craston (2017), é todo artrópode capaz de provocar danos econômicos ao ser humano. Esse dano econômico é proporcional à densidade populacional das pragas, ou seja, será caracterizado por diferentes níveis populacionais para as pragas agrícolas.

Mosca-branca atacando lavoura de tomate
Crédito: Alice Nagata

O dano econômico pode ser direto, quando o produto com um fruto injuriado por uma mosca-das-frutas, e indireto, quando o dano não correr diretamente no produto econômico, mas o prejudicará indiretamente.

A mosca-branca se alimenta da seiva dos tomateiros, enfraquecendo-os. A sucção contínua de seiva pode levar ao amarelecimento e enfraquecimento das folhas, redução do crescimento e da produção de frutos.

Outro dano indireto muito comum consiste na transmissão de vírus pelo fator. Esses vírus são transmitidos quando a mosca-branca se alimenta de uma planta infectada e depois se move para outra planta saudável, espalhando a infecção.

Os vírus podem causar sintomas como o amarelecimento das folhas, enrugamento, deformações e redução na produção de frutos.

Vírus

Alguns dos principais vírus transmitidos pela mosca-branca são os seguintes:

● Vírus do mosaico do tomateiro (Tomato mosaic virus, ToMV): causa manchas amareladas ou mosaicos nas folhas do tomateiro, além de deformações e redução na produção de frutos.

● Vírus do enrolamento das folhas do tomateiro (Tomato leaf curl virus, ToLCV): é um dos vírus mais comuns transmitidos pela mosca-branca e causa o enrolamento e o amarelecimento das folhas, afetando o crescimento e a produção de frutos.

● Vírus do amarelecimento severo do tomateiro (Tomato yellow leaf curl virus, TYLCV): resulta em um amarelecimento intenso das folhas do tomateiro, redução no crescimento e na produção de frutos.

● Vírus do enrugamento do tomateiro (Tomato rugose fruit virus, ToRFV): causa enrugamento e distorção dos frutos do tomate, podendo levar a perdas significativas na qualidade e comercialização dos frutos.

Ciclo da praga

Os adultos da mosca-branca se alimentam na face inferior das folhas, em que pode ser encontrada também a fumagina, decorrente da excreção açucarada dessa espécie. O ciclo biológico tem de 14 a 27 dias.

A mosca-branca ataca as plantas em diferentes ambientes, como viveiros ou lavoura, procurando infestar, principalmente, as folhas jovens e os brotos. Os adultos sugam a seiva e diminuem a capacidade fotossintética da planta.

Quando ocorre a alimentação, os insetos injetam toxinas, as quais podem gerar anomalias nas plantas. A infestação severa pode ocasionar o nanismo, a murcha e até a morte de mudas e de plantas jovens.

O principal dano causado pela mosca-branca no tomateiro é a transmissão de vírus, especialmente o begomovírus e o crinivírus, que podem comprometer a produtividade das plantas.

Sintomas

Os sintomas das infecções por begomovírus variam, mas geralmente incluem o amarelecimento das folhas, o enrugamento, o encurtamento dos entrenós (espaços entre os nós), o encurvamento das folhas e a redução na produção de frutos. Em alguns casos, as plantas infectadas podem morrer prematuramente.

Dentre os begomovírus que afetam os tomateiros, o vírus do enrolamento das folhas do tomateiro (Tomato Leaf Curl Virus, ToLCV) é um dos mais comuns. Ele causa o enrolamento e o amarelecimento das folhas, afetando o desenvolvimento da planta e a qualidade dos frutos.

Entre os principais crinivírus transmitidos por essa praga estão o Tomato chlorosis virus (ToCV) e o Tomato infectious chlorosis virus (TICV). Esses vírus causam doenças conhecidas como clorose do tomateiro, que podem resultar em danos significativos nas plantas e redução na produtividade.

Os sintomas da infecção por crinivírus incluem clorose nas folhas, que se manifesta como áreas amareladas ou avermelhadas, redução no tamanho e deformação dos frutos, retardamento no crescimento das plantas e queda prematura das folhas.

Além disso, a transmissão desses vírus pela mosca-branca pode facilitar a infecção por outros patógenos, o que pode agravar os danos causados às plantas.

Resistência da praga

O manejo adequado da mosca-branca e dos crinivírus no tomateiro é essencial para minimizar os danos causados às plantas. As estratégias de controle mencionadas anteriormente, como o monitoramento, o controle cultural, o controle biológico e o uso seletivo de inseticidas, também são aplicáveis para o controle dos crinivírus transmitidos pela mosca-branca.

Além disso, é importante adotar boas práticas de manejo integrado, como o uso de variedades resistentes, a rotação de culturas, a limpeza adequada da lavoura e a capacitação dos agricultores para identificar os sintomas e tomar medidas adequadas de controle.

Historicamente utilizava-se inseticidas sintéticos no controle eficiente, porém, infelizmente o uso de inseticidas sintéticos no controle da mosca-branca do tomateiro está se tornando cada vez menos eficaz.

Entre os motivos está o fato de a mosca-branca ter desenvolvido resistência aos inseticidas sintéticos usualmente usados. A população desses insetos possui a capacidade de se adaptar e se tornar menos suscetível aos inseticidas químicos.

Além disso, o impacto ambiental desses produtos químicos é alto, por persistirem no ambiente por longos períodos, causando danos ao ecossistema, além do uso excessivo de inseticidas sintéticos poder levar à eliminação dos inimigos naturais da mosca-branca e permitir o aumento de outras pragas secundárias, o que pode agravar o problema.

Alguns inseticidas sintéticos utilizados para o controle da mosca-branca podem ter ação semelhante contra outras pragas. Se ocorrer resistência cruzada, ou seja, a resistência a um inseticida usado no controle de outra praga, isso pode reduzir ainda mais as opções de controle eficaz.

Solução

Para resolver a situação, surge o manejo integrado como forma de controle eficaz da mosca-branca no tomateiro. Esta é uma abordagem de controle de pragas que busca integrar diferentes estratégias para manter as populações de pragas abaixo do nível de dano econômico, minimizando o uso de produtos químicos.

Caso seja necessário o uso de inseticidas, é preferível utilizar produtos seletivos, que tenham menor impacto sobre os inimigos naturais da mosca-branca e outros organismos benéficos.

A seguir estão algumas medidas que podem ajudar a controlar a mosca-branca no tomateiro:

1. Monitoramento regular: faça o monitoramento frequente das plantas para detectar a presença da mosca-branca. Utilize armadilhas adesivas amarelas para capturar os adultos e realizar inspeções visuais para identificar os ovos, ninfas e danos nas folhas.

2. Controle cultural: adote práticas culturais adequadas para reduzir a infestação da mosca-branca. Isso inclui o uso de sementes certificadas e livres de doenças, rotação de culturas para quebrar o ciclo de vida da praga, eliminação de plantas hospedeiras voluntárias e manejo adequado de restos de cultura.

3. Controle biológico: utilize inimigos naturais da mosca-branca, como parasitoides e predadores, para controlar as populações da praga. Encoraje a presença desses inimigos naturais através do cultivo de plantas que ofereçam abrigo e alimento para eles.

4. Uso de barreiras físicas: utilize barreiras físicas, como telas ou coberturas, para impedir o acesso da mosca-branca às plantas de tomateiro.

5. Uso seletivo de inseticidas: se necessário, utilize inseticidas seletivos que tenham menor impacto sobre os inimigos naturais da mosca-branca. Siga as recomendações de dosagem e aplicação correta dos inseticidas e evite a aplicação excessiva.

6. Uso de armadilhas adesivas: coloque armadilhas adesivas amarelas nas plantas para monitorar a presença da mosca-branca e reduzir a população de adultos capturados.

7. Variedades resistentes: utilize variedades de tomateiro que sejam resistentes ou tolerantes à mosca-branca. Essas variedades podem ter menor incidência de infestação e danos.

8. Rotação de culturas: pratique a rotação de culturas, evitando o plantio contínuo de tomateiro no mesmo local, pois isso pode favorecer o aumento das populações de mosca-branca. A rotação ajuda a interromper o ciclo de vida da praga.

9. Higiene na lavoura: realize uma boa limpeza e eliminação dos restos de cultura após a colheita para reduzir a sobrevivência da mosca-branca.

Eficácia

Lembre-se que a combinação dessas estratégias é fundamental para um controle eficaz da mosca-branca. O manejo integrado, envolvendo a combinação dessas medidas, é a abordagem mais sustentável e eficiente para controlar a praga no tomateiro.

A produção de hortaliças em campo aberto exige investimento considerado de médio a alto, e boa parte é focada no controle de pragas. A correta identificação dos insetos-pragas é o caminho mais rápido para obtenção de um controle efetivo, econômico e eficaz.

ARTIGOS RELACIONADOS

Nova classe de defensivos biodirigidos avança no controle de percevejos

Tecnologia disruptiva para soja e milho é enquadrada como não geneticamente modificada pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio).

Fosfitos controlam patógenos

O manejo de doenças deve levar em consideração a interação de três fatores de extrema importância...

Ervas daninhas causam 70% de perdas ao girassol

O girassol é uma oleaginosa de características agronômicas bastante diversificadas, pois as plantas possuem boa resistência à seca, ao frio e ao calor.

Mirex-S: controle eficiente de formigas

A Atta-Kill marca presença na Hortitec todos os anos, conectando-se com canais de vendas e clientes, oferecendo soluções e esclarecendo dúvidas sobre o uso dos produtos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!