Inicio Revistas Hortifrúti Como tirar proveito da adubação nitrogenada em folhosas

Como tirar proveito da adubação nitrogenada em folhosas

0
201

 

Carla Verônica Corrêa

Doutoranda em Agronomia/Fisiologia Vegetal e Metabolismo Mineral – UNESP

cvcorrea1509@gmail.com

Luís Paulo Benetti Mantoan

Doutorando em Ciências Biológicas/Fisiologia Vegetal – UNESP

Fotos Shutterstock
Fotos Shutterstock

O nitrogênio é conhecido como elemento essencial para todas as plantas, porque exerce funções importantes nos processos bioquímicos da planta, estando diretamente relacionado ao crescimento e rendimento de culturas, estimulando as taxas de iniciação e expansão foliar, o tamanho final e a intensidade de senescência das folhas da alface.

Por esta razão, contar com a adubação nitrogenada é de fundamental importância para o crescimento vegetativo da todas as culturas, inclusive das folhosas.

O nitrogênio é um dos elementos minerais que mais influencia na qualidade das olerícolas. Faz parte de proteínas, ácidos nucleicos e de outros importantes constituintes celulares, incluindo membranas e diversos hormônios vegetais.

O nitrogênio é um dos componentes da molécula de clorofila, desta forma, em doses adequadas permite maior atividade fotossintética, tanto pela estruturação da clorofila como pelo maior desenvolvimento da parte aérea.

Benefícios para a alface

A adubação nitrogenada influencia na produtividade e qualidade da alface
A adubação nitrogenada influencia na produtividade e qualidade da alface

 A adubação nitrogenada influenciana produtividade e qualidade da alface.Quando aplicada na concentração e época adequada, favorece a qualidade ao possibilitar folhas mais tenras e saborosas; atua no aspecto visual, como coloração mais clara; na precocidade de colheita e aumenta a produtividade, por permitir plantas de maior tamanho e peso.

No entanto, deve-se ter extremo cuidado para não exagerar na adubação nitrogenada, uma vez que a adubação excessiva com nitrogênio acarretará maior suscetibilidade às doenças, acúmulo de nitrato e desequilíbrio nutricional.

Como o nitrogênio influencia no crescimento, a adubação excessiva com fertilizantes nitrogenados aumenta a incidência de Tip burn, anomalia essa caracterizada pela morte de tecidos jovens devido à não formação de parede celular, resultante da ausência de cálcio em tecidos em crescimento.

Assim, deve-se realizar calagem criteriosa na área, pulverizações foliares com cálcio e equilibrar a aplicação de nitrogênio.

Opções em nitrogenados

São várias as opções de adubos nitrogenados para a cultura da alface. A ureia é a fonte de nitrogênio mais empregada na cultura. No entanto, para se evitar desequilíbrios nutricionais, lixiviação e outras formas de perdas, uma opção bem interessante são os adubos nitrogenados encapsulados.

Tratam-se de produtos recobertos por polímeros que permitem reduzir as perdas de nitrogênio que, normalmente, ocorrem com a utilização da ureia, fazendo com que haja uma barreira física das formas solúveis, contra a exposição do nutriente para o meio, evitando-se, assim, perdas desse nutriente.

Além disso, a aplicação de nitrogênio pode ser realizada mesmo em condições climáticas adversas para a prática de adubação, como períodos mais úmidos. Como o nitrogênio será liberado mais lentamente, aumenta a porcentagem de aproveitamento do nutriente pela planta, uma vez que esse nutriente estará disponível em menores quantidades, porém, por um maior período.

Como há maior aproveitamento pela cultura, ocorrerão menores perdas de nitrogênio, seja por lixiviação ou volatilização e, desta forma, além de reduzir danos ao ambiente, também amortiza custos de produção ao diminuir a quantidade a ser aplicada e o número de aplicações de fertilizantes nitrogenados.

Recomendações

O adubo nitrogenado mais recomendadoé a ureia, porém, se o produtor optar pelos encapsulados, pode ter alguns benefícios, como:

â–º Facilidade de aplicação, pois torna a distribuição mais homogênea no solo;

â–º Aplicação mesmo em condições climáticas desfavoráveis, como por exemplo, alta umidade;

â–º Minimizar perdas de nitrogênio, como lixiviação e volatilização;

â–º Redução de danos ambientais pela contaminação por adubos nitrogenados;

â–º Redução de custos pelo fato de reduzir tanto a quantidade de adubo aplicado como o número de aplicações;

â–º Redução do estresse e toxidade devido à alta concentração de nitrogênio junto ao sistema radicular da planta;

â–º Aprimoramento dos efeitos sinérgicos entre os nutrientes, por reduzir o desequilíbrio entre o nitrogênio e outros elementos;

â–º Aumento da produtividade devido ao melhor aproveitamento do nitrogênio pela planta.

Essa matéria completa você encontra na edição de agosto de 2018 da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

Ou assine

SEM COMENTÁRIO