26.6 C
Uberlândia
domingo, maio 19, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesComo usar as cadeias curtas na sua produção?

Como usar as cadeias curtas na sua produção?

Diversos processos são importantes quando se trata de produção de alimentos e as cadeias curtas de produção alimentar, também chamadas de short food suply chain, fazem parte desse movimento. A ISLA Sementes, empresa brasileira com o mais diversificado portfólio de sementes de hortaliças, flores, ervas, temperos e microverdes do país, traz mais informações sobre como funcionam as cadeias curtas e seus tipos.

Reprodução/Internet

As três tipologias de cadeias curtas ajudam a aproximar o produtor do consumidor final e do distribuidor, o que traz uma relação de ainda mais transparência e confiança que também é refletida na qualidade do produto.

De acordo com estudos voltados ao tema, entre os três tipos de cadeias curtas estão: Face a Face, Proximidade Espacial e Cadeias espacialmente estendidas. Vamos entender o que são cada uma delas:

O primeiro tipo, a “Face a face” é quando os agricultores têm um contato direto com os consumidores e aspectos sociais como confiança, autenticidade e interação pessoal são essenciais ao seu funcionamento.

O segundo tipo é o de proximidade espacial no qual os produtos são produzidos e distribuídos em uma região específica e os consumidores buscam estes alimentos no local de produção ou em locais de comercialização.

E o terceiro tipo é o de cadeias espacialmente estendidas que são aquelas em que é necessária a transmissão e a tradução de valores e informações em torno dos produtos e do local de produção aos consumidores de fora da região de produção. Pode ser usado efeitos de reputação, via Selos de certificação ou Códigos de produção aproximam consumidores de produtores.

Entre os principais benefícios dessa prática estão a qualidade dos alimentos, menor impacto ambiental, relação mais próxima entre o consumidor e o produtor, ajuda no desenvolvimento econômico local e estimula a diversificação da produção.

Como atuar?

Para atuar com cadeias curtas é importante pesquisar e identificar os mercados locais, como feiras, mercados de agricultores ou programas de alimentos, onde você poderá vender diretamente suas hortaliças, avaliar a demanda e a preferência local.

Além disso, ter parcerias com outros produtores locais, cooperativas ou associações envolvidas no meio é essencial. Isso aumenta sua presença no mercado, contribui no compartilhamento de custos e amplia a variedade de produtos disponíveis, atraindo ainda mais consumidores.

Conforme a sazonalidade, atente-se à qualidade e diversidade dos seus produtos. Ter canais de comunicação direta com o consumidor pode colaborar na divulgação do seu serviço a criar confiança e a fidelizar os clientes.

Por fim, comparecer a feiras de agricultores, eventos locais e programas de alimentos orgânicos ou de agricultura familiar ajudam a criar oportunidades de comercialização direta, networking com outros produtores e acesso aos consumidores.

ARTIGOS RELACIONADOS

2º Feira de Sementes acontece em Rondonópolis

Para o segundo dia do evento, nesta sexta-feira (16), a FEBRASEM segue com a programação de palestra, painéis e exposições de equipamentos de tecnologia.

Integração Lavoura

Palestra que integrava programação da Abertura Oficial da Colheita do Arroz ocorre no dia 11 de março

Bahia encerra plantio de algodão com crescimento

Bahia encerrou o plantio da safra 2023/2024 de algodão com um crescimento de 9,3% da área cultivada.

Inovações para agricultura da BASF são destaques no Showtec

A empresa reforça a importância do manejo eficiente para atingir maiores produtividades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!