Conservadoras DaColheita

0
29
Embalagem – Crédito: Termotécnica

A uva é um dos best-sellers entre os cultivos que utilizam as conservadoras DaColheita produzidas pela Termotécnica, tanto para o mercado interno como para exportação. No Vale do São Francisco, entre Bahia e Pernambuco, terceiro maior produtor de frutas do mundo e entre os 20 maiores exportadores globais deste setor, a Termotécnica já atende 2/3 dos produtores de uva.

A Termotécnica também tem forte atuação entre os produtores de uva do Sul e Sudeste. Com a expertise adquirida nesta parceria com os fruticultores, fornecendo conservadoras de forma contínua e exponencial desde 2010, a Termotécnica amplia a cada ano a linha DaColheita para atender outras regiões e culturas de FFLVs (Flores, Frutas, Legumes e Verduras).

Tecnologia envolvida

Com tecnologia e design patenteados, a linha de conservadoras DaColheita é ideal para o transporte, armazenamento e exposição das frutas no varejo. Acondicionadas nas conservadoras DaColheita, as uvas vão do campo ao armazenamento e transporte, até chegar à mesa do consumidor final mais frescas e nutritivas.

No que se refere a manutenção do shelf life (frescor, aspecto visual e qualidade nutricional), as frutas transportadas nas conservadoras DaColheita fabricadas em EPS (isopor® – marca registrada de terceiro) ampliam em até 30% o shelf life dos produtos acondicionados.

As frutas desidratam menos, chegam à temperatura desejada mais rápido e mantêm o frio por mais tempo. Essa solução também conserva os nutrientes, um elemento de saudabilidade e um diferencial importante neste momento em que o consumo de produtos frescos em todo o mundo tem aumentando justamente para reforçar a imunidade na pandemia.

Testes de transporte e armazenamento de uvas realizados pela AgroTropical e validados pela HDG com as conservadoras DaColheita concluíram que elas são a melhor opção no comparativo com caixas de papelão, conservando o frescor da fruta por muito mais tempo e representando até 45 dias com a manutenção da uva em condições ideais de comercialização.

As conservadoras DaColheita reduzem a perda de vitaminas e da umidade das frutas, ampliando a sua resistência, além de não liberar resíduos e fungos nos alimentos. Sua estrutura diminui o risco de avarias durante a movimentação, absorvendo melhor os impactos e reduzindo a perda de carga por danos.

Vantagens

Tudo isso traz grandes vantagens para todos os envolvidos na cadeia de distribuição. Para os produtores proporciona menor índice de devolução dos lotes de frutas fora do padrão de qualidade exigido pelos clientes e permite a abertura de novos mercados mais distantes. Para os distribuidores e varejistas, propicia maior giro no PDV, têm sua marca associada a frutas de qualidade, com a manutenção do preço.

A embalagem é um veículo importante de posicionamento e de comunicação destes benefícios e agregação de valor. “Nossas soluções proporcionam ganhos efetivos e aumento da competitividade para os fruticultores, distribuidores e varejistas. Pensando na cadeia logística como um todo é uma solução diferenciada e inovadora para este mercado”, reforça o diretor Superintendente da Termotécnica, Nivaldo Fernandes de Oliveira.

Termotécnica lança conservadora multiuso

A Termotécnica acaba de lançar no mercado um novo modelo de conservadoras para atender o mercado de uvas na sacola, em seus diversos tamanhos. Essa nova embalagem amplia a capacidade de volume interno, proporcionando melhor aproveitamento logístico.

Além de todos os atributos das demais conservadoras da linha DaColheita, a nova embalagem apresenta ganhos extras para o cliente:

• Comporta 8,0 kg de carga;

• No empilhamento em transporte rodoviário, atende 16 conservadoras de altura, sendo 96/palete;

• Esse empilhamento permite um ganho de 6,7% no frete, nas movimentações, no uso do túnel de refrigeração, no uso da câmara, em insumos de embalagens e paletes;

• Ampliação da área de ventilação em relação a outros modelos.

Redução do desperdício

Por ser um plástico, o EPS pode ser 100% reciclado. E a Termotécnica tem uma trajetória pioneira em logística reversa e economia circular ao estruturar uma rede de parceiros e investir na reciclagem de embalagens pós-consumo por meio do Programa Reciclar EPS.

A empresa mantém o portal www.reciclareps.com.br informando pontos de coleta do material e desenvolve outras ações e parcerias com cidades interessadas em reduzir o lixo em aterros. O resultado do programa contabiliza mais de 44 mil toneladas de EPS recicladas, cerca de 1.000 pontos de coleta do material em várias regiões do país e geração de emprego e renda para cerca de 5.000 famílias.

As embalagens em EPS também contribuem para reduzir drasticamente as perdas por impactos mecânicos. Em 2019 a Termotécnica conquistou a premiação WorldStar, concedida pela WPO (World Packaging Organization), um dos mais importantes reconhecimentos do mercado de embalagens, nas categorias Food e Save Food.

Com esse reconhecimento, a Termotécnica consolida-se como referência mundial em soluções pós-colheita contribuindo para que os produtos frescos brasileiros ganhem mais destaque nos mercados internacionais e combatendo o desperdício de alimentos.

O Korean Food Research Institute, entidade de pesquisa localizada na Coreia do Sul, realizou uma série de pesquisas que destacam o percentual de vitamina C de frutas e legumes, após uma semana de armazenamento em embalagens de EPS e papelão. A média de ganhos com o EPS é significativa. Ao comparar a conservação de uvas, verifica-se um aproveitamento de mais de 40% superior quando armazenada na embalagem de EPS.

Produto Papelão EPS
Uva 44.52% 85.87%
Abobrinha 41.30% 85.28%
Pepinos 54.72% 68.87%
Tomates 80.71% 92.42%

 Fonte: Korean Food Research Institute

A Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, complementa dados sobre a influência do tipo de material utilizado nas embalagens após a colheita da uva e ressalta que a perda de peso da fruta aumenta após uma simulação de vibração, situação comum ao transportar as frutas nas estradas brasileiras.

 Tipo caixa Perda de peso (%)
EPS 5.2
Papelão 11.2

  Fonte: Universidade da Califórnia

Outro dado que a Universidade da Califórnia é que em túnel de resfriamento, a perda de água da uva é menor e a mesma não é absorvida pela conservadora de EPS.

 Tipo caixa Absorção de água pela caixa (%) Perda de água uva (%)
EPS 0 1.4
Papelão 9,59 1.7

  Fonte: Universidade da Califórnia

Embalagens em EPS

O mundo e os mercados estão cada vez mais exigentes quanto à pegada ambiental das empresas e a Termotécnica está comprometida com esta agenda apresentando soluções que estão em linha com essas demandas.

Recentemente, a Termotécnica encomendou estudo realizado pela consultoria ambiental Green Domus, onde foram comparadas as emissões de GEE (Gases do Efeito Estufa) para transporte de cargas de uvas simulando um cenário em conservadoras e paletes de EPS e em caixas de papelão com paletes de madeira.

Foi feito o comparativo do transporte de uma carga de uva (110 caixas) com ambos os tipos de embalagens, entre Petrolina (PE), onde a Termotécnica tem unidade fabril, e a Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), via transporte rodoviário em caminhão de baú refrigerado padrão.

Como resultado, as emissões presentes no transporte terrestre de uva em embalagens e paletes de EPS foram 9,52% menores do que em embalagens de caixas de papelão e paletes de madeira, uma diferença de 89,13 toneladas.