20.2 C
Uberlândia
terça-feira, julho 16, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiConsumo de rúcula está em plena expansão

Consumo de rúcula está em plena expansão

De rápido crescimento e fácil cultivo em canteiros ou até em caixotes, a rúcula não exige muita mão de obra e tem consumo em expansão. Seu cultivo pode ser a céu aberto, mas o uso de estufas agrícolas é uma alternativa para viabilizar a produção nos períodos de chuva durante o verão

Talita de Santana Matos

Doutora em Agronomia pela UFRRJ

Elisamara Caldeira do Nascimento

Doutora em Agronomia pela UFRRJ

Glaucio da Cruz Genuncio

Doutor em Agronomia pela UFRRJ

glauciogenuncio@gmail.com

Crédito: Eduardo Miyayaciki
Crédito: Eduardo Miyayaciki

A rúcula é uma hortaliça folhosa herbácea pertencente à família Brassicaceae, a mesma da couve, couve-flor, repolho, brócolis e mostarda. De rápido crescimento vegetativo, apresenta ciclo curto, porte baixo, folhas relativamente espessas, divididas e tenras, com nervuras verde arroxeadas e 15 a 20 centímetros de altura.

A folha é a parte comestível e comercial da planta. Também conhecida como mostarda-persa, é uma hortaliça originária de regiões próximas ao Mediterrâneo, sendo a produtividade média de 1.700 a 2.000 maços por hectare. Cada maço é constituído por um feixe de folhas e talos.

Os Estados das regiões sul e sudeste do Brasil são os maiores produtores.

Destaque

A espécie mais cultivada no Brasil é a Eruca sativa Miller, representada principalmente pela folha larga. Também se encontram cultivos em menor escala da espécie Diplotaxistenuifolia (L.), conhecida como rúcula selvática. As principais cultivares de rúcula apresentam diferenças quanto ao tipo de folha, que podem ter bordas lisas até bastante recortadas.

Rúcula temrápido crescimento e fácil cultivo - Crédito: Jorge Barcelos
Rúcula temrápido crescimento e fácil cultivo – Crédito: Jorge Barcelos

Mudas

Quanto ao plantio, a adoção de mudas maiores para o cultivo em regiões quentes são preponderantes (famosos mudões), além da necessidade de acerto da quantidade de sementes por célula. Alguns produtores preferem o uso de substratos (comercial ou fibra de coco), outros adotam a espuma fenólica como substrato.

Por ser este assunto um tanto controverso, o que é realmente importante é a produção de mudas sadias e com bom equilíbrio nutricional.

 

O cultivo

A rúcula pode ser cultivada diretamente no solo, em hidroponia ou em substrato. As condições de cultivo em qualquer modo de produção (convencional, orgânico e hidropônico) influenciam diretamente as características dos produtos hortícolas na fase pós-colheita, uma vez que as tecnologias utilizadas podem prolongar a vida útil, mas não melhoram a qualidade, ou seja, apenas mantêm as características normais da espécie, considerando o tipo de mercado e o destino do produto.

As hortaliças folhosas demandam grande quantidade de nutrientes, sobretudo devido a seu curto período de crescimento vegetativo. Portanto, o manejo da adubação é essencial para manter altos rendimentos e alcançar a segurança ambiental.

Além do manejo da adubação, a escolha da variedade mais adequada ao clima e solo e o sistema de irrigação garantem o sucesso na produção. A irregularidade do regime pluvial torna-se restritiva ao desenvolvimento agrícola, pois mesmo dentro de estações chuvosas, observam-se períodos de déficit hídrico. O controle de pragas e doenças também é de extrema importância.

Clima é fator decisivo

A rúcula é uma planta muito fácil de cultivar e que se autopropaga com bastante facilidade, o que torna vantajosa sua produção, e uma excelente alternativa aos produtores de hortaliças regionais.

No cultivo da rúcula, apesar da recomendação para semeadura o ano todo, as temperaturas amenas favorecem o desenvolvimento. As temperaturas altas estimulam a antecipação da fase reprodutiva, emitindo pendão floral prematuramente, tornando suas folhas rígidas e mais picantes.

Temperaturas variando em torno de 22-24°C durante o dia e 16-18°C durante a noite são as mais indicadas. Entretanto, a rúcula tem sido cultivada ao longo do ano em numerosas regiões do País. Quando cultivadas durante os meses frios, possuem um sabor picante.Já quando o cultivo é realizado em épocas mais quentes, tem sabor mais amargo.

Crédito: Luize Hess
Crédito: Luize Hess

Cuidados

Cuidados com a incidência de tombamentos de mudas são primordiais. Assim, para se evitar a incidência de fusariose, rizoctonia, xanthomonas, dentre outras, o manejo da irrigação nesta fase é importante, assim como a adoção de medidas preventivas, tais como o uso de produtos à base de Bacillus, amplamente comercializados no mercado.

Rúcula hidropônica

Em específico, a rúcula é muito disseminada em sistemas hidropônicos, dada a sua a adaptabilidade ao sistema, assim como seu encurtamento de ciclo pelo menos 10 dias, comparando-se aos cultivos no solo, com aumento significativo de produtividade e, consequentemente, aumento da rentabilidade do produtor.

Atualmente, a rúcula é a segunda cultura mais produzida no sistema hidropônico, atrás somente da alface. A produtividade pode chegar a 2.000 maços por dia, dependendo do porte adotado para comercialização (quantidade de furos utilizados para o maço).

Em uma área de 1.200 m2, o investimento total de implantação pode variar entre R$ 145 mil a R$ 180 mil, dependendo do nível de tecnologia empregada, e com prazo de três anos para o retorno do capital empregado.

A rúcula cultivada em hidroponia encurta o ciclo em 10 dias - Crédito: Waldomiro Borba
A rúcula cultivada em hidroponia encurta o ciclo em 10 dias – Crédito: Waldomiro Borba

Diversificação

A cultura, ao longo dos anos, tornou-se essencial para a diversificação deste segmento de mercado, sendo um diferencial para a oferta e conquista de novos nichos.

Essa é parte da matéria de capa da revista Campo & Negócios Hortifrúti, edição de novembro 2016. Adquira a sua para leitura completa.

ARTIGOS RELACIONADOS

Feltrin Sementes – Genética brasileira para os campos de HF

A Feltrin Sementes estará participando da Hortitec e mostrando sua linha de sementes. “A feira é uma grande oportunidade de divulgar ao público nossos trabalhos do último ano, com impacto a nível internacional. Aqui construímos nossa vitrine de produtos uma vez ao ano e recebemos clientes de diversos locais do Brasil e exterior. É uma semana intensa, de planejamento e execução constantes. Os trabalhos para organização da feira e nosso dia de campo levam praticamente um ano, tudo visando receber nossos visitantes da melhor maneira possível durante a semana do evento”, diz Luís Gustavo de Souza, coordenador de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa.

Evite desperdícios pós-colheita

No cenário de hortifrúti, é de suma importância que no período de colheita os profissionais ...

Os nutrientes e ácidos húmicos essenciais à cana

Sandro Roberto Brancalião PhD. em Agronomia e pesquisador do IAC brancaliao@iac.sp.gov.br A combinação de fertilizantes fluidos especiais para o tratamento nutricional da cana-de-açúcar tem sido apontada por...

Melhoramento genético do pinus traz aumento de produtividade

José Geraldo Mageste Engenheiro florestal, Ph.D. e professor da Universidade Federal de UberlândiaUFU/ICIAG jgmageste@ufu.br João Flávio da Silva Engenheiro florestal, doutor em Melhoramento Florestal (USP) e gerente de...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!