18.6 C
Uberlândia
quinta-feira, junho 13, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosControle biológico de pragas na cafeicultura brasileira

Controle biológico de pragas na cafeicultura brasileira

Crédito Madelaine Venzon

Os investimentos realizados em pesquisa, desenvolvimento e inovação, tanto no âmbito público quanto privado, alinhado à necessidade crescente de desenvolver soluções sustentáveis e com menos interferência no equilíbrio do meio ambiente, resultaram em benefícios a todos os elos da cadeia produtiva. Um exemplo de sucesso é o controle biológico de doenças e pragas que afetam as lavouras.

Manejo sustentável

O controle biológico é um método de combater pragas agrícolas por meio da utilização de inimigos naturais, que podem ser insetos predadores, parasitoides e microrganismos (fungos, bactérias e vírus).
A pesquisadora Madelaine Venzon, coordenadora do Programa Estadual de Pesquisa em Agroecologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), ressalta o uso de crisopídeos no combate de pragas agrícolas. A pesquisadora explica que esses insetos são predadores-chave no controle biológico conservativo, com resultados bastante favoráveis nas lavouras de café e em hortaliças.
“São predadores vorazes na fase larval, e os adultos se alimentam de pólen, néctar e honeydew. As larvas predam larvas e lagartas pequenas, cochonilhas, tripes, pulgões, ovos de insetos e ácaros. Então, podem ser usados em diversas culturas, especialmente em casa de vegetação, para controle dessas pragas”, explica a pesquisadora, que estuda esses insetos desde 1991.
Em regiões quentes e secas, como o Cerrado Mineiro, o bicho-mineiro é a principal praga. “O controle biológico é a estratégia que deve ser priorizada, quer seja por medidas que conservem e aumentem os inimigos naturais das pragas nos plantios ou pela liberação de inimigos naturais”, afirma Madelaine, que acrescenta: “As populações de inimigos naturais para o controle das pragas podem ser aumentadas por meio da provisão de recursos, via diversificação da vegetação, que também tem o potencial de mitigar os efeitos da mudanças climáticas nos agroecossistemas e podem regenerar áreas agrícolas”.

Tendência

As práticas de controle biológico têm se tornado cada vez mais presentes no setor produtivo, uma vez que, além de ser uma tecnologia limpa, sem efeitos adversos ao homem e ao meio ambiente e sem deixar resíduos, são economicamente viáveis para os produtores, agregando valor ao produto final, isento de agrotóxicos. “O aparecimento de pragas resistentes aos métodos convencionais de controle tem levado os produtores a buscarem cada vez mais o controle biológico”, conclui Madelaine Venzon.

ARTIGOS RELACIONADOS

Brasil conquista aprovação da primeira cana transgênica do mundo

A nova variedade, desenvolvida pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), é resistente à broca, a principal praga que afeta as lavouras no Brasil, gerando...

Controle biológico de doenças de plantas

O doutor em fitopatologia e pesquisador da Embrapa Meio Ambiente, Dr. Wagner Bettiol fala sobre controle biológico de doenças de plantas.

Webinar sobre controle biológico na cafeicultura

Em mais uma iniciativa para levar informação de qualidade ao produtor rural e demais interessados, a Koppert promove o webinar “Controle Biológico na Cafeicultura...

Microrganismos atuam na nutrição e manejo de doenças

Os microrganismos desempenham funções importantes no solo, de forma a suprir as necessidades da planta por meio de diversos mecanismos. Entre os benefícios do uso de microrganismos na agricultura está a fixação biológica do nitrogênio, decomposição de resíduos orgânicos, desintoxicação com pesticidas, a supressão de doenças nas plantas, o fornecimento de nutrientes ao solo e produção de compostos bioativos, como vitaminas e hormônios para estimular o crescimento das plantas (Martínez, 2002).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!